força oculta

uma viagem ao infinito

Adriana Socoloski

Ao papel atribuo a confiança e a caneta o dom de registrar... Escrever é necessário assim como respirar.

Diversidade cultural no contexto educacional

As instituições de ensino, no âmbito específico de suas atuações, podem contribuir para a realização de ações educativas que visam estimular e promover a cultura dos direitos humanos mediante ao exercício de práticas educativas de promoção e fortalecimento dos direitos humanos no espaço escolar, ajudando a construir uma rede de apoio para o enfrentamento de todas as formas de discriminação e violação aos direitos humanos.


Na atual sociedade é extremamente nítida a desigualdade social, gerada principalmente pelos impasses socioeconômicos e políticos. A desigualdade entre culturas e a discriminação esta fortemente articulada a regra de procedência, onde a inacessibilidade á determinados bens materiais e culturais levam a exclusão social. O desafio das instituições de ensino é considerar a diversidade como parte integrante da instauração da identidade nacional que constitui o patrimônio sócio cultural. Desse modo passa a minimizar o nível de discriminação provinda das diferenças sociais, raciais, étnicas, e culturais, visando a formação de indivíduos que reconheçam, valorizem e respeitem a diversidade.

A educação contemporânea vem destacando-se através de seus métodos que buscam a cada dia mais eficácia e qualidade no processo de ensino- aprendizagem, também existe uma busca demasiada por igualdade, mas esta encontra-se longe de alcançar sua plena eficácia. Infelizmente o preconceito, o racismo, veem adentrando o espaço escolar e proliferando-se no ambiente. Precisa-se urgentemente de docentes preparados e dispostos a enfrentar esse desafio e lutar por uma sociedade igualitária, formando seres humanos críticos, reflexivos e influentes na sociedade, indivíduos que obedeçam os dilemas impostos, mas que também exijam seus direitos. O ambiente escolar abrange diariamente um grande número de pessoas, possuidoras dos mais diversos costumes, crenças, religiosidade, sexualidade, etnias e culturas. Para que essa pluralidade cultural possa conviver pacificamente dentro do conceitual do respeito e da ética, faz-se necessário estudos que os direcionem á uma prática pedagógica que comtemple as diferenças ao mesmo tempo em que ofereça aos educandos conhecimento sobre as mesmas, de forma á conhecer antes de julgar, passando a formar uma opinião na realidade concreta que formem seres críticos, reflexivos e acima de tudo que saibam respeitar e exigir o respeito. Da mesma forma que não existe pessoas desprovidas de cultura, deve-se considerar também que existem várias culturas, cada qual com seus conceitos e valores próprios, no entanto esses mesmos conceitos e valores diferem-se de cultura para cultura e é nesse impasse que surgem as diversidades, as mais explicitas estão entre a cultura de elite e a popular. Vivenciando as turbulências de um mundo globalizado, faz-se necessário exalar um olhar em direção ao reconhecimento das diferenças e dos vários aspectos da desigualdade. É fundamental considerar que toda a educação também é cultura, as escolas não limitam-se á instrução formal, mas também englobam a formação pessoal, social do individuo. A diversidade pode ser considerada como um principio educativo, nesse contexto é fundamental a aprendizagem de valores sociais e culturais uns dos outros, isso deve acontecer de forma igualitária, sem elevações e hierarquias, na visão epistemologia e antropológica todos os indivíduos possuem o mesmo valor. Necessita-se de uma pedagogia reflexiva, sensível, investigativa e responsável para que a aprendizagem ocorra da e com a diversidade. As próprias escolas são instituições culturais, neste contexto deve-se considerar as diferenças como algo constitutivo, ao contrário do que se pensava por volta do século XX, onde era considerada a ideia da homogeneidade. É trabalhando com as diferenças culturais que constitui-se o foco central do multiculturalismo. Apresentação1.jpg


Adriana Socoloski

Ao papel atribuo a confiança e a caneta o dom de registrar... Escrever é necessário assim como respirar. .
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/sociedade// //Adriana Socoloski