fragmentos públicos

Frases soltas que todos ouvem, mas não percebem.

Danilo Brandão

Estudante de jornalismo. Já foi pseudônimo, hoje prefere mostrar-se ao mundo. Literatura e cinema. Na dúvida: escreva.

  • wide.jpg
    A lágrima de Roberto Marinho

    Roberto Marinho (1904 - 2003) foi o maior "político" brasileiro. Dono de umas das maiores emissoras do mundo, Roberto consegue ecoar pelos quatro cantos do país seu crivo ideológico, até os dias de hoje. Suas lágrimas, cínicas ou não, revelam a vitória do monopólio midiático do país.

  • saramago.jpg
    Para os tempos de crise: Saramago!

    Saramago é um dos cânones da literatura portuguesa. Seus romances são verdadeiras aulas sobre a alma humana. O autor analisou nossa sociedade de uma maneira única. Expôs todas as nossas fraquezas perante os problemas da civilização. Por isso, Saramago é o melhor remédio para os tempos de crise.

  • comentarista-do-odio.jpg
    Caos no formigueiro

    O que acontece em momentos de crise? De caos social? O autoritarismo ecoa. Chega sem pedir licença. Ele se aproveita dos vácuos que esse tipo de situação deixa. Não há espaço para o bom senso no caos. Este é um texto sobre democracia, Gregor Samsa, explosão, Política e formigas!

  • Classicos.jpg
    A relação entre os clássicos e o poder

    Todos gostam dos clássicos. Há quase uma unanimidade em relação a algumas obras e seus autores. Mas o que poucos pensam é em como esses cânones são construídos. E, como quase tudo em nossa sociedade, o poder é a chave para se "fazer" um clássico.

  • 12795328_1029356613790302_260654471892897634_n.png
    Quero ser escritor em tempos de Facebook!

    Com as novas tecnologias, o mundo luta para realizar uma tarefa simples, se concentrar. O que não falta são distrações para desviar nosso foco de todas as tarefas. Imagine vocês: Eu quero ser escritor em tempos de Facebook.

  • Gustave-Flaubert.jpg
    Ao Flaubert, o romance Moderno

    O escritor francês Gustave Flaubert foi um dos maiores nomes da história da literatura. Sua obra prima, Madame Bovary, foi considerada pioneira no modo de destrinchar a sociedade da época. Madame Bovary foi o primeiro romance moderno!

  • Violência.jpg
    Nós: fabricadores de violência

    Somos os maiores fabricantes de violência. Quase tudo que fazemos ou dizemos pode ser gerar algum mal para alguém. Há pessoas que são privilegiadas. Outras nem tanto. Essa é a fábrica de violência.

  • bukowsi.jpg
    Bukowski: ébrio perante a vida

    Charles Bukowski é, sem dúvida, um dos maiores escritores da história da literatura mundial. Seus textos influenciaram diversas gerações de artistas ao redor do mundo. Seu estilo ébrio e agressivo marcaram centenas de leitores. Buk era, acima tudo, ele mesmo em sua arte

  • Auto admiração.jpg
    Auto admiração moderna

    Vivemos na era da exposição. Em todos os lugares encontramos pessoas se auto admirando. As redes sociais são um prato cheio para aqueles que buscam, somente, admirar-se diante da vida. É um fardo complicado dos tempos modernos. A dedicação no ter toma todo o espaço da dedicação do ser.

  • Diane-Keaton.jpg
    Woody Allen e seu estereótipo pessoal

    Woody Allen apresenta, em sua obra cinematográfica, mais de 50 filmes. Dentre eles os assuntos são variados. Porém há um personagem que é constante nos filmes do diretor-ator estadunidense: O gênio neurótico, um homem de meia idade, artista, intelectual, inquieto diante das questões do mundo, agitado com a sociedade que vive. Tal personagem é o próprio Allen refletindo suas angústias na sua arte. Como se seus filmes fossem espelhos de suas preocupações pessoais.