Erick Morais

Um menestrel caminhando pelas ruas solitárias da vida

Saudade do meu amor

"Saudade só um pouquinho. Um pouquinho o tempo todo."


garoto-triste-e-apaixonado.jpg

Sinto saudade das suas piadas sem graça, que mesmo assim me faziam rir. Sinto saudade das suas pernas tortas, que te faziam caminhar de um jeito encantador. Sinto saudade da sua cintura fina e daquele vestido cor de rosa com bichinhos. Sinto saudade daquele batom cor de rosa que usava só para me deixar cheio de marcas.

Sinto saudade de fazer carinho nos seus cabelos negros feitos de linho. Sinto saudade de quando falava que eu era o melhor companheiro de pestanas. Sinto saudade do seu sorriso que me desarmava completamente. Sinto saudade do seu abraço, forte, intenso e que fazia de mim alguém especial.

Sinto falta das nossas brigas cheias de calor, as quais sempre terminavam com amor profundo. Sinto saudade de te ligar de madrugada só para dizer eu te amo. Sinto saudade de olhar a lua contigo, você sentada no meu colo, fazendo tudo ao meu redor parar. Sinto saudade de estar no seu colo, quando precisava chorar e me sentia fraco.

Sinto saudade de ler suas cartas, com misturas de letras cursivas e bastão. Sinto saudade da sua complexidade, que às vezes me enlouquecia, mas só fazia te amar mais. Sinto saudade do seu jeitinho estabanado, sempre se batendo no sofá. Sinto saudade de te segurar enquanto andava no meio-fio, pois éramos dois bobos no meio de gente tão séria.

Sinto saudade das besteiras que falávamos um para o outro e que nos transformava em palhaços no meio do circo. Sinto saudade de conversarmos sobre a vida, sobre Deus e os nossos pecados. Sinto saudade dos nossos apelidos, bonitos e engraçados ao mesmo tempo. Sinto saudade dos seus cafunés que acalmavam as tormentas do meu coração.

Sinto saudade de ouvir você cantar, sentada no sofá, enquanto comia chocolate. Sinto saudade do som da sua risada e a forma como ficava seu rosto enquanto sorria. Sinto saudade do seu cheiro, que onde quer que esteja, consigo sentir com o vento. Sinto saudade das suas maluquices e estranhezas. Sinto saudade de todos os seus mistérios que tiravam o meu sono.

Sinto saudade de estar contigo e você ser suficiente pra mim. Sinto saudade de comprar algodão doce para que pudéssemos sentir o sabor da infância. Sinto saudade, quando escuto aquela música que você sempre me mandava o refrão em mensagem. Sinto saudade daquela “bicheira” no seu pé, que sempre rendia piadinhas para te provocar.

Sinto saudade de estar ao seu lado e me sentir realmente feliz. Sinto saudade de estar vulnerável em seus braços. Sinto saudade dos nossos planos de viajar de balão e andar de barco em Veneza.

Sinto saudade de tudo aquilo que os outros chamam de imperfeições, mas eu chamo de maravilhas. Sinto saudade de poder me comunicar com você só com os olhos. Sinto saudade de você me chamar de “menino dos olhos lindos”. Sinto saudade do dia que você deixou de ser alguém, para ser o meu amor.

Sinto saudade de todas as suas crises, de todas as suas angústias, todos os seus medos. Sinto saudade e não lamento de estar ao seu lado sempre que precisou de mim. Sinto saudade de ser o seu herói e poder te levar no colo sempre que estava cansada. Sinto saudade de todas as suas idiossincrasias, de tudo que te fazia tão especial, tão única, que te fazia um anjo posto na terra só para fazer os meus dias mais felizes.

Sinto saudade e lembro que dava trabalho. Sinto saudade e lembro que o amor não é fácil, que é uma construção. Sinto saudade e lembro que muitas vezes pensava em desistir. Então, sinto saudade e lembro o quão forte era nosso amor e em tudo que acabei de dizer.

Lembro que não éramos perfeitos, mas éramos perfeitos um para o outro. Lembro que sonhava sendo você a mulher dos nossos três ou quatro filhos. Lembro que não sou um cara famoso, não tenho dinheiro e sucesso. Mas, tenho certeza que te amei de todo o meu coração e nisso tive sucesso como poucos terão. Mesmo que tenha restado apenas a saudade.


Erick Morais

Um menestrel caminhando pelas ruas solitárias da vida.
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/recortes// @obvious //Erick Morais