gourmet lifestyle

Uma visão mais detalhista do mundo.

Bárbara Cavalcante

Bárbara Cavalcante é carioca e tem 22 anos. Adora escrever, fotografar e conversar. Cursa direito, tem um blog e um canal no Youtube.

Benditos Pratos

As viagens, o dinheiro, a casa não é nada. Durante todo o tempo você esteve aqui, porém te via sem te enxergar. Nada em mim é algo sem você. Agora eu vejo. E quero mais.


im3.jpg

Era uma segunda feira de outono com jeito de domingo. A chuva caia fina e infinita e o dia passava devagar. Já tínhamos almoçado e como de costume lá estavam os pratos nos esperando. Ela decidiu que lavaria a louça dessa vez, propositalmente no almoço comentei que meus dedos estavam doloridos por conta do frio.

Sentei na cadeira da ponta da mesa. Ela na pia em frente, ventre encostando no mármore, mãos nuas. O som da água corrente aliviava o silêncio. Nem um vento soprava na janela, nem um barulho no andar de cima. Só água, água infinita.

Depois de alguns instantes com o olhar parado nos imãs mal organizados na geladeira decidi parar de pensar. Contei até dez, silenciei minha mente, fechei os olhos. Não fazia isso há muito tempo. Passados alguns instantes cerrei-os para ir me acostumando a luz. Abri-os, e pasmei.

Há quanto tempo eu não parava para admirá-la? Nunca? É pouco.

O ventre estaria frio? E os pés descalços no tapete, precisariam de amparo?

Uma nuvem passou e veio a penumbra. Não eram nem duas da tarde. A louça não tinha fim e eu comemorava. Eu que penso tão rápido sempre, naquele momento demorava a vista. Era tanto para ver, tantos detalhes. E onde eles estavam todo o tempo que não os vi? E será que eu os notaria antes do fim?

Ajeitou o cabelo com a mão molhada e me olhou.

" Quer alguma coisa a mais? " " Não, só estou descansando. "

Descansando de tanto descaso de mim para com ela. Será que aqueles olhos negros sempre estiveram lá?

A espuma encostou em sua blusa. Clara e solta, abaloava nos seios e seguia sem forma pela cintura. Mostrava os braços, o pescoço, o colo onde eu descansava depois de uma longa viagem.

Mostrava também os pulsos, os mindinhos. Lembro quando ela me repreendia quando eu levantar os mindinhos ao tomar café. Agora não precisa mais, já aprendi.

Os cabelos escorriam sobre os ombros. Ainda estavam lá as marcas do biquíni da praia do mês passado. Eu tinha dito para ela ficar sem a parte de cima, só tínhamos nós, mas ela quis usar. Com ou sem o pano para mim seu busto estava sempre nu, sempre livre, sempre cabia mais de mim ali.

A nuvem ia passando e aos poucos feixes de luz adentravam a janela da cozinha. O brilho batia em seus cabelos, contornava suas costas, destacava seu quadril. As pernas descansadas cor de véu, os olhos voando no universo paralelo dentre as bolhas do detergente. A boca mal se movia, a testa relaxada... Ela devia estar bem longe, ou perto demais.

Pensei que quando ficássemos idosos com meias desiguais e poucos fios na cabeça eu lembraria daquela cena. Lembraria do colo, das pernas, dos seios. Lembraria dos seus olhos escuros perdidos no fim e no começo de alguma coisa enquanto a espuma encostava na blusa. Lembraria do quadril vestido com aquela saia branca.

Poderíamos ter nos casado naquele momento. Ela toda de branco, eu todo de tudo. Naquele momento eu estava enfeitiçado. Ela nunca quis usar o anel, ela é muito mais que um anel, muito mais que uma convenção, ela é mais que tudo que eu conheço, por isso estou aqui.

Por isso estou aqui olhando para o tudo no meio do nada. As viagens, o dinheiro, a casa não é nada, não é nada sem o seu cabelo castanho, não é nada sem seus lábios pálidos, não é nada sem sua blusa clara que esconde mais de ti do que consigo notar. Nada em mim é algo sem você. Agora eu vejo.

A louça acabou.

Pegou um pano qualquer e enxugou dedo por dedo, as palmas, os pulsos. Olhou em volta para ter certeza de que tinha acabado. Guardou o pano. Levantei no mesmo momento, queria verificar se o ventre estava mesmo frio.

Estava.

Agora não mais.


Bárbara Cavalcante

Bárbara Cavalcante é carioca e tem 22 anos. Adora escrever, fotografar e conversar. Cursa direito, tem um blog e um canal no Youtube..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/recortes// //Bárbara Cavalcante