Marco Ribeiro

"A vida não é um poema."

Sobre o conceito de felicidade

Em um mundo no qual o politicamente correto anda de braços dados com a ideia de liberdade e felicidade goela à baixo, é importante compreender o que de fato é a felicidade.

Thumbnail image for happy.jpg

O conceito de felicidade é relativo e está associado à capacidade individual com que cada indivíduo consegue lidar com seus prazeres momentâneos. Não há uma regra específica que defina a forma como deve ser tratada a questão da felicidade enquanto sentimento, ainda que certas correntes defendam que tal sentimento deve ser cultivado, tem poder de transformação e é de certa maneira divino.

Existe um abismo entre as ideias de SER e ESTAR feliz e um grande equívoco por parte de quem defende com unhas e dentes a ideologia de uma vida plena e ininterrupta de felicidade. Como uma verdadeira cornucópia de prazer e plenitude.  

Se partirmos do pressuposto linguístico, tal tese cai por terra tão logo analisarmos a palavra felicidade, já que o seu significado faz referência a um estado de bem estar, prazer e plenitude, não uma condição constante e inalterada. Além disso, ao utilizarmos 'ser' ou estar' antes de felicidade, daremos significados distintos á que ambas desempenham função distinta e antagônica na frase. 

Ser é diferente de estar feliz, haja vista que enquanto uma define um sentimento momentâneo de prazer, a outra nos leva a um posicionamento diferenciado, com base no princípio de que nós humanos vivemos em constante gozo das plenitudes da vida. 

Normalmente ficamos felizes por algo que nos propicie prazer momentâneo e este prazer tem prazo de validade. Se temos sede, bebemos água, quando sentimos fome, comemos e assim se completa o ciclo de satisfação pessoal. Porém, este prazer dura somente um período específico de tempo, pois logo precisaremos suprir novamente tais necessidades. Ninguém come ou bebe em tempo integral.

Utilizando tal analogia, é possível perceber que é humanamente impossível alguém ser feliz o tempo todo. Caso fosse, certamente o indivíduo sofreria severamente com crises de ansiedade e quadros de euforia que o levariam ao hospital.  

Mas para quem achou até aqui tal informação frustrante, entenda que não há nada de errado nisso ou motivos para sentir-se frustrado. A boa notícia é de que felizmente a vida é feita de momentos únicos e graças a isso temos a possibilidade de experimentar as mais diversas sensações ao longo de nossa existência. Do contrário, amargaríamos uma vida entediante e sem propósito. É importante compreender que nossa existência é marcada por estímulos diversos. Somos um caldeirão de emoções e experimentamos ao longo da vida os mais diversos sentimentos. Somos os únicos capazes de chorar de alegria ou tristeza, rir de alegria ou nervosismo,  irritar-se por motivos variados, nutrimos amor e ódio por algo ou alguém, sentir saudade de pessoas ou momentos. 

Contudo, ainda conseguimos administrar tudo isso de forma que possamos tirar proveito e desta maneira construir uma história de vida baseada em vivências. E por meio de tais vivências nos tornamos eternos construtores, que a cada dia adiciona uma nova etapa a esta grandiosa obra que é ser um humano e ter consciência da própria existência.

Pouco importa se o conceito de felicidade é ou não verdadeiro,pois isso não compete, pois o tempo que perdemos monitorando nossos sentimentos de maneira crítica, poderíamos direcionar para outras atividades mais interessantes e úteis. É desnecessário avaliar cada detalhe teórico a respeito do que sentimos ou experimentamos. Devemos sentir, não conjecturar a respeito e acima de tudo crer em nosso potencial de transformação. Não com base em princípios místicos ou teorias enganadoras, mas sim realistas.  O que nos mantém de pé é justamente a capacidade que temos em lidar com as dificuldades e superá-las. 

Não seja coadjuvante de sua própria existência e sim protagonista, pois temos autonomia suficiente para decidir até onde queremos chegar e quais ferramentas utilizar para este fim. Questão de aprendizado.

Nosso desejo de viver a vida com plenitude e a consciência de que somos seres livres para pensar, são nossas fontes de energia e a receita para uma vida plena.  Se algo for motivo de alegria, lhe motiva e faz levantar diariamente com gana por viver e realizar projetos de vida, então você está no caminho certo. Você pode não conseguir ser feliz o tempo todo, mas certamente terá a oportunidade de experimentar as mais variadas emoções e no fim de tudo ter excelentes lembranças de cada um destes momentos únicos.

Marco Ribeiro

Projeto Resiliência


Marco Ribeiro

"A vida não é um poema.".
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/Comportamento// //Marco Ribeiro
Site Meter