horizonte de eventos

De onde dizem que nem mesmo a luz consegue escapar...

Alexandre Beluco

Engenheiro, pesquisador, professor universitário. Especialista em energias renováveis. Apaixonado por motores de dois tempos

personal jet packs - esporte radical ou nova alternativa?

A nossa sociedade ocidental moderna apresenta o individualismo como uma de suas principais características. A maior manifestação desse individualismo é a importância dada à autonomia pessoal. Um símbolo de autonomia são os personal jet packs, surgidos na ficção científica mas agora podendo ser adquiridos por qualquer reles mortal.


Os quadrinhos e a ficção científica dos anos 20 do século passado apresentavam com alguma frequência homens super heróis que voavam. Algumas dessas estórias se aventuravam a garantir meios mais aceitáveis para essa capacidade inata desses homens. Em várias dessas estórias, esses homens voadores portavam mochilas equipadas com foguetes. E esses homens não se queimavam!

Há quase 25 anos houve um filme envolvendo uma das personagens mais famosas entre todas as que portavam essas mochilas. Era um filme sobre o Rocketeer, que havia encontrado um material secreto da Força Aérea Americana e que passava a portá-lo no arrepio da lei para resolver questões pessoais, sempre com as melhores intenções, além de nunca esquecer que a mocinha do filme precisava ser protegida.

D23_Expo_2011_-_Rocketeer_20th_anniversary_poster_(6075268617).jpg

Os anos e as décadas se passaram, a tecnologia evoluiu, em muitos casos a passos largos, e agora essas mochilas estão no mercado, em diferentes versões, podendo ser adquiridas por qualquer reles mortal. Essas versões modernas e reais daquelas peças de ficção hoje em dia são denominadas como “jet packs” ou “personal jet packs”, ou ainda “rocket packs” ou “rocket belts”.

Uma certa ironia existe nessa evolução, que parece se encaminhar (não acidentalmente, claro) no sentido da valorização do que marca de modo muito contundente a nossa sociedade ocidental moderna que é a afirmação da liberdade do indivíduo.

No velho oeste, o cavalo servia como o símbolo da liberdade e da autonomia dos caubois. Nos nossos dias, os automóveis representam essa individualidade. E para isso, para representar esse individualismo, essas “mochilas voadoras” se prestam muito bem!

Um mochileiro famoso nas últimas décadas é o astronauta americano que aparece em uma fotografia clássica voando livre de amarras no espaço exterior, realizando com muita liberdade alguma atividade extraveicular nessa era de ônibus espaciais.

1024px-Astronaut-EVA.jpg

Esses personal jet packs se prestam bastante bem aos esportes ditos radiciais. Com certeza, radicais, porque não é disponível para qualquer reles mortal, certamente, a coragem que é necessária para pilotar uma dessas mochilas voadoras.

É certo, entretanto, que esses esportes radiciais servem, entre outras tantas coisas, para levar os limites do ser humano para muito adiante do que se espera e também para revelar muitas novas tecnologias, surgidas da vontade desses bravos esportistas em ultrapassar limites.

Essas mochilas voadoras se apresentam também como uma alternativa quase poética ao trânsito caótico de muitas grandes cidades pelo mundo. Quem não sonharia em usar uma dessas mochilas para chegar rapidamente ao trabalho pela manhã ou, ainda melhor, para retornar “meteoricamente” para casa ao final de um dia de trabalho?

Uma rápida busca pela internet revela que existem hoje no mercado uma razoavelmente grande quantidade desses jet packs a disposição de qualquer reles mortal, nem todos ainda a pronta entrega. Alguns são maiores e aparentemente mais desengonçados. Outros são realmente esbeltos e aparentemente bastante práticos.

Um deles, apenas como exemplo, segundo o site de seu fabricante, pode fazer voar homens com até 80 kg, prometendo levá-los a até 18 km de seu ponto de partida a uma velocidade máxima de até 135 km/h, com um tempo máximo de voo de aproximadamente 10 minutos, não ultrapassando 100 metros de altitude. Números empolgantes, principalmente se considerados juntamente com o preço de venda desse artefato.... cerca de US$ 200.000!

1024px-Rocket_man02_-_melbourne_show_2005.jpg

Nos anos 20, esses jet packs eram apenas ficção científica. Atualmente, os netos daqueles que sonhavam em ter uma dessas mochilas podem comprar uma e efetivamente voar, como sonhavam seus avós! Assim caminha o mundo moderno...


Alexandre Beluco

Engenheiro, pesquisador, professor universitário. Especialista em energias renováveis. Apaixonado por motores de dois tempos.
Saiba como escrever na obvious.
version 3/s/tecnologia// @obvious, @obvioushp //Alexandre Beluco
Site Meter