horizonte de eventos

De onde dizem que nem mesmo a luz consegue escapar...

Alexandre Beluco

Engenheiro, pesquisador, professor universitário. Especialista em energias renováveis. Apaixonado por motores de dois tempos

dois lamborghinis e uma nova categoria de esportivos

O Lamborghini Miura e depois o Lamborghini Countach abriram (no final dos anos 60 e início dos 70) uma nova categoria de esportivos. Os super esportivos apresentam motor central, com dois lugares e o motorista em posição bastante adiante do eixo traseiro, com perfil baixo e com motores em V com vários cilindros e com potências muito altas (e cada vez maiores).


A Lamborghini surgiu no início dos anos 60 principalmente pela insatisfação de seu proprietário, até então fabricante de tratores, com o desempenho de algumas 250 disponibilizadas pela Ferrari. [Ao menos é o que dizem algumas lendas sobre o assunto!] A partir daí surgiram alguns esportivos bastante impressionantes, mesmo passadas já algumas décadas, que também tornaram mítica a preferência por nomes de touros notáveis para denominar seus carros.

O Lamborghini Miura e o Lamborghini Countach são esportivos diferentes e ao mesmo tempo muito parecidos. Eles não foram os primeiros esportivos com motor central nem foram os primeiros a serem equipados com motor em V com 12 cilindros. Entretanto, o Miura e o Countach, a transição de um para o outro e suas diferenças com outros esportivos da época marcaram o início de uma nova categoria de esportivos.... os "super esportivos"!

O Miura foi o sexto esportivo concebido pela marca, mas foi o primeiro com motor central. Antes dele, os esportivos sempre tinham motor a frente e tração traseira, com amplos capôs que comportassem seus motores em V sempre com 12 cilindros. Seguindo uma tendência que vinha das pistas de corrida, era o momento para colocar o motor em posição central e mais próximo do eixo de tração, empurrando o condutor para frente, mais próximo do eixo dianteiro.

O para brisa é amplo e encurvado, conferindo uma eficiente visibilidade a frente. A dianteira do carro é afunilada e tem forma de cunha, para aumentar a eficiência aerodinâmica do conjunto. Desse modo, os faróis, que são convencionais (e muito parecidos com os "olhos-de-boi" que equipavam Fuscas e DKWs da época), ficam escamoteados e são elevados apenas em condições de uso, como aliás se tornou comum nessa nova categoria de esportivos.

1024px-Musée_Lamborghini_0010.jpg Dianteira de um Lamborghini Miura.

O Miura é um carro largo e baixo, com linhas curvas e bastante suaves. É de certo modo a continuidade das linhas dos Lamborghinis anteriores, principalmente o Espada, mas é também uma certa vanguarda no design de esportivos nos anos 60. O fato de ter apenas dois lugares não era uma inovação, mas poucos (entre esses, o Porsche 550 Spyder) haviam assumido esse risco colocando um motor a frente do eixo traseiro. E o Miura tinha um V12 em posição transversal.

1024px-Musée_Lamborghini_0011.jpg Traseira de um Lamborghini Miura.

Há entradas de ar na linha inferior e na linha central da carroceria, logo atrás das portas. A janela traseira é substituída por uma espécie de persiana com peças fixas. Há um painel plano levemente inclinado onde ficam as lanternas e a placa de identificação. A própria carroceria termina com um painel curto e inclinado para cima que funciona como um aerofólio integrado à carroceria. A parte traseira se desloca integralmente para dar acesso ao motor.

1024px-Musée_Lamborghini_0018.jpg Dianteira de um Lamborghini Countach.

O Countach, por sua vez, é um automóvel aparentemente diferente do Miura, mas ao mesmo tempo, muito parecido com ele. Na verdade, a distribuição de espaços e de volumes no Countach é praticamente a mesma do Miura, com a diferença de que o Countach tem o motor (ainda em posição central mas agora) colocado na longitudinal. Além disso, a carroceria do Countach é composta em grande parte por superfícies planas com poucas partes curvas.

1024px-Musée_Lamborghini_0016.jpg Traseira de um Lamborghini Countach.

O Countach é mesmo revolucionário em termos de design e foi o primeiro esportivo com essa aparência que chega a ser difícil de explicar mas que é aerodinamicamente eficiente. Um de suas características revolucionárias está nas portas, que "abrem para cima". É um automóvel notável, mas não é perfeito e por ter sido concebido para a velocidade ele apresenta falhas em outros quesitos. Por exemplo, ele apresenta péssima manobrabilidade a baixas velocidades.

1024px-Lamborghini_Countach_25th_Anniversary_2.jpg A porta de um Lamborghini Countach, aberta.

O Miura alcança 276 km/h com uma arrancada de 0 a 100 km/h em 6,70 segundos. Já o Countach alcança em algumas versões 288 km/h, arrancando de 0 a 100 km/h em menos de 5,00 segundos. Ambos têm distância entre eixos de 2.500 mm, com o Miura apresentando comprimento de 4.360 mm, largura de 1.760 mm e altura de 1.060 mm (ou seja, 42,0 polegadas) e o Countach apresentando comprimento de 4.140 mm, largura de 2.000 mm e altura de 1.070 mm (42,1 polegadas).

1024px-Lamborghini_Miura_Engine-bay.jpg Motor de um Lamborghini Miura em posição transversal.

A foto acima mostra o motor de um Miura, colocado logo atrás dos passageiros, em posição transversal. Diferentes versões tiveram motor com 3.929 cc, com 4 carburadores Weber, desenvolvendo de 350 CV a 380 CV. A foto abaixo mostra o motor de um Countach, também atrás dos passageiros mas em posição longitudinal. Diferentes versões tiveram motores com 3.929 cc, com 4.754 cc e com 4.971 cc, na maioria com 6 carburadores Weber, chegando a desenvolver 446 CV. As últimas versões do Countach tiveram 4 válvulas por cilindro. Todas as versões do Miura e do Countach tiveram caixas de transmissão com 5 velocidades.

Lamborghini_Countach_(4349515525).jpg Motor de um Lamborghini Countach, em posição longitudinal.

Como já foi comentado acima, a Lamborghini denomina seus esportivos com os nomes de touros notáveis. Miura era a denominação de uma linhagem de touros notáveis oriundos de um criadouro específico na região de Sevilha, na Espanha. O primeiro Miura ficou famoso em meados do século XIX. Já Countach é uma montagem anglicizada para uma exclamação típica da região da Lamborghini, em dialeto piemontês, comum quando um homem se defronta com uma bela mulher.

O Countach foi o último lançamento da Lamborghini antes que a empresa fosse negociada com o Grupo Volkswagen. [E é possível afirmar que os modelos seguintes acrescentaram pouco em termos de design automotivo, mas isso é tema para outro artigo!] Ao total, foram produzidos 764 exemplares do Miura entre 1966 e 1973 e 2.049 exemplares do Countach entre 1974 e 1990.


Alexandre Beluco

Engenheiro, pesquisador, professor universitário. Especialista em energias renováveis. Apaixonado por motores de dois tempos.
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/design// @obvious, @obvioushp, @obvious_escolha_editor //Alexandre Beluco
Site Meter