horizonte de eventos

De onde dizem que nem mesmo a luz consegue escapar...

Alexandre Beluco

Engenheiro, pesquisador, professor universitário. Especialista em energias renováveis. Apaixonado por motores de dois tempos

os primeiros automóveis da saab eram todos na cor verde

A Saab produzia aviões para a Suécia já durante a Segunda Grande Guerra. Após o conflito, buscando novos mercados, decidiu produzir automóveis. Seu primeiro modelo, o Ursaab, era aerodinâmico e era impulsionado por um motor de dois tempos. Os modelos baseados nesse prototipo, também com motores de dois tempos, seguiram em produção até meados dos anos 60. Os exemplares das primeiras séries de produção tinham em comum a cor verde!


A Saab Automobile foi fundada em 1945 pela Saab, uma fabricante de aeronaves, com a intenção de colocar um automóvel no mercado. O primeiro modelo começou a ser produzido e comercializado em 1949. A Saab foi fundida com a Scania a partir de 1968 e a Saab Automobile depois foi vendida para a General Motors em 1990. Após uma negociação mal sucedida com chineses, em 2010, a empresa foi à falência e encontra-se inativa desde 2014.

A Saab esteve nos noticiários brasileiros recentemente após a venda de caças de última geração para a Força Aérea Brasileira. A Saab, cujo nome significa Svenska Aeroplan Aktie Bolag (que em livre tradução significaria "Aeronáutica Sueca Sociedade Limitada"), foi fundada em 1937 para produzir aeronaves para a Flygvapnet. Após o esforço de guerra, a empresa buscava novos mercados e a indústria automobilística pareceu bastante conveniente.

A intenção inicial foi projetar um automóvel leve e aerodinâmico, aproveitando a experiência da empresa no setor aeronáutico. Também seria interessante chegar a um carro barato e com uma certa vocação esportiva, para aumentar o espectro de possíveis clientes. Além do know how, a empresa também pretendia utilizar o grande estoque de tinta esmalte na cor verde militar, da época em que era necessário pintar as aeronaves para a defesa aérea do país.

O primeiro de quatro protótipos ficou conhecido como Ursaab (ou "o Saab original") e atualmente é mantido no Saab Car Museum, em Trollhättan, a cerca de 75 km de Gotthenburg. Na sequência de projetos da empresa, recebeu a denominação 92, por vir logo depois de uma aeronave já conhecida como Saab 91. A empresa adquiriu carros vendidos naquela época, da DKW, da Opel, da Hanomag e da Volkswagen, para comparar seu desempenho com o carro em desenvolvimento na empresa.

Aos olhos de hoje em dia, o Ursaab é um automóvel com visual antiquado. Ele tinha parabrisa partido e tinha atrás, também, uma janela partida em duas "vigias". As portas abriam no sentido contrário, "suicida", e os eixos dianteiro e traseiro tinham uma largura menor que a carroceria. O motor pretendido era uma versão que seria produzida sob licença, e com algumas alterações, do motor transversal de dois cilindros produzido pela DKW no final dos anos 40.

Ursaab.jpg O Saab Ursaab, ou Saab 92001.

O Saab 92, derivado diretamente dos prototipos, foi comercializado a partir de 1949 e tinha pequenas diferenças em relação ao modelo de desenvolvimento. A parte frontal era um pouco menos aerodinâmica e mais apropriada a veículos de produção, inclusive com faróis em melhor posição. O acabamento interno era fornecido apenas na versão luxo, porque não houve interesse na versão mais despojada, e as primeiras séries eram de fato fornecidas apenas em um tom de verde militar.

saab-92.jpg Um Saab 92 em movimento.

Esse modelo foi mantido no mercado até 1956 praticamente sem alterações. O motor era um motor de dois tempos muito parecido com o DKW, com dois cilindros em posição transversal, com 765 cc, com uma caixa de três velocidades com a primeira velocidade não sincronizada e equipada com roda livre. Um baixo peso, de cerca de 800 kg, e um coeficiente aerodinâmico excepcional, de aproximadamente 0,30, garantiam um desempenho bastante razoável.

1024px-Saab_92_1951b.jpg A traseira de um Saab 92.

Um certo apelo esportivo e o motor de dois tempos permitiram ao Saab 92 relativo sucesso em competições automobilísticas, mantido nos anos seguintes pelos seus sucessores e que se traduziram em boas vendas no mercado internacional. Inicialmente planejado como um carro popular para um mercado ainda limitado pelas dificuldades do período pós-guerra, o Saab 92 e seus sucessores penetraram em um mercado de nível bastante mais alto e mais requintado.

Saab_92_tył.jpg As linhas aerodinâmicas de um Saab 92.

Em 1956, foi lançado o Saab 93, com uma nova dianteira e com um motor de dois tempos agora disposto longitudinalmente, com 750 cc e três cilindros. Esse modelo seguiu em produçao até 1960, mas ao longo dos anos surgiu o 93B, com parabrisa em peça única, e o 93F, com as portas abrindo no sentido usual, mais seguro. O sucesso em rallies levou ao lançamento do Saab GT750, voltado ao mercado dos Estados Unidos, com interior requintado e motor "envenenado".

1957_SAAB_93_(6667026747).jpg Saab 93.

Em 1960, foi lançado o Saab 96, fornecido com o motor de dois tempos, agora com 841 cc, com caixa de três e depois de quatro velocidades, todas sincronizadas, até o final de 1966. Dali em diante e até 1980 ele foi comercializado com um motor V4 da Ford, sofrendo pequenas correções estéticas ao longo dos anos. Uma versão station wagon foi disponibilizada também a partir de 1960 sob a denominação Saab 95, dispondo do mesmo conjunto mecânico.

Saab_96_(5625474580).jpg Saab 96.

No último ano de produção do Saab 96 ainda com motor de dois tempos, os motores recebiam um sistema de pré mistura do óleo lubrificante e recebiam também três carburadores Solex, desenvolvidos para os rallies, sendo que o carburador central tinha uma regulagem especial para manter um funcionamento regular do motor mesmo nas rotações mais baixas. A Saab abriu mão dos dois tempos apenas por tendências de mercado que exigiem soluções "mais modernas".

Foram produzidos 20.128 exemplares do Saab 92 e 52.731 exemplares do Saab 93. Foram produzidos ainda 37.309 exemplares do Saab 95 e 400.705 exemplares do Saab 96. Essas informações foram obtidas no site do Saab Car Museum.


Alexandre Beluco

Engenheiro, pesquisador, professor universitário. Especialista em energias renováveis. Apaixonado por motores de dois tempos.
Saiba como escrever na obvious.
version 6/s/design// @obvious, @obvioushp, @obvious_escolha_editor //Alexandre Beluco
Site Meter