horizonte de eventos

De onde dizem que nem mesmo a luz consegue escapar...

Alexandre Beluco

Engenheiro, pesquisador, professor universitário. Especialista em energias renováveis. Apaixonado por motores de dois tempos

o 1000 sp e o t'bird de 1955 - semelhantes mas diferentes

O Ford Thunderbird surgiu no final de 1954 como um esportivo de grande porte, inaugurando um novo nicho de automóveis de luxo. O Auto Union 1000 Sp foi lançado como um esportivo com motor de dois tempos, no segmento acima dos populares como o sedan clássico da Volkswagen. O esportivo da Auto Union teve suas formas inspiradas nesse primeiro modelo do Thunderbird.


A Auto Union havia se reinventado nos anos que se seguiram ao final da Segunda Grande Guerra e alcançava a metade dos anos 50 já com seu nicho de mercado relativamente consolidado. Mas seguia produzindo modelos concebidos ainda dos anos 30 e era necessário progredir. O ano de 1958 marcou então o lançamento de alguns novos modelos no mercado automobilístico!

Um deles era o 1000 Sp, um cupê esportivo com as formas inspiradas em um modelo norte-americano recém lançado. Era uma versão "em miniatura" do Ford Thunderbird lançado no final de 1954 como modelo de 1955. Havia uma clara intenção de entrar no cobiçado mercado norte-americano (como a Volkswagen já vinha fazendo) mas ocorreu aí um erro estratégico!

auto-union-1000-roadster-01.jpg Auto Union 1000 Sp conversível.

A foto acima mostra um exemplar da versão conversível do Auto Union 1000 Sp, que fora produzido também em versão cupê. [O cupê foi produzido de abril de 1958 a março de 1965, totalizando apenas 5.004 exemplares. O conversível foi produzido de outubro de 1961 a março de 1965, totalizando apenas 1.640 exemplares.]

A foto abaixo mostra um Ford Thunderbird de 1955, comercializado apenas nessa versão conversível, com apenas dois lugares. [Foram produzidos 16.155 unidades em 1955, 15.031 unidades em 1956 e 21.380 unidades em 1957 desse modelo único. Os anos seguintes, com versões re estilizadas, tiveram mais opções.]

ford-thunderbird-1955-03.jpg Dianteira de um Ford Thunderbird de 1955.

A semelhança entre os dois modelos é evidente, com os principais componentes estéticos do Thunderbird presentes no 1000 Sp, mas há diferenças. Os faróis dianteiros e a grade formam conjuntos bastante semelhantes. Os para brisas e os para lamas também se mostram semelhantes. Mas os "rabos de peixe", ainda na moda no mercado americano, e a traseira de um modo geral, são diferentes.

auto-union-1000-coupe-01.jpg Folheto de divulgação da versão cupê do 1000 Sp.

A versão cupê é mais aderente às propostas da Auto Union, que tradicionalmente oferecia alternativas de mobilidade para famílias de classe media. Os motores de dois tempos conferem uma certa esportividade aos seus modelos e garantem um bom espaço em competições, mas como aplicações secundárias. A versão conversível seria algo como uma alternativa de lazer.

auto-union-1000-coupe-02.jpg Versão cupê do Auto Union 1000 Sp.

As traseiras marcam talvez as principais diferenças de estilo! Enquanto no 1000 Sp ela parece mais funcional do ponto de vista aerodinâmico, com caída para baixo e com rabos-de-peixe mais salientes e inclinados em 45 graus, no conversível da Ford ela apresenta um grande painel horizontal e o painel traseiro quase vertical, com rabos-de-peixe coadjuvantes e na vertical.

ford-thunderbird-1955-03b.jpg Traseira de um Ford Thunderbird de 1955.

O Thunderbird é um automóvel bastante maior que o 1000 Sp. O T'bird tem largura de 178,6 cm e comprimentos que variam de 445,3 cm a 470,4 cm, conforme o ano, com entre-eixos de 259,1 cm. O 1000 Sp tem largura de 168,0 cm e comprimentos de 417,0 cm, com entre-eixos de 235,0 cm. Enquanto o T'bird tem cerca de 1.800 kg, o 1000 Sp tem pouco mais da metade, com cerca de 950 kg.

auto-union-1000sp-painel.jpg Painel do Auto Union 1000 Sp.

Os painéis e os interiores eram bastante diferentes! O painel do 1000 Sp seguia a linha da Auto Union, com os mesmos instrumentos de outros modelos ocupando um espaço relativamente pequeno. O painel do T'bird era um tanto maior, bem ao estilo de seus contemporâneos norte-americanos. O interior do 1000 Sp era simples, enquanto o do T'bird era o interior típico de um conversível, com destaque para o comando do câmbio automático que equipava o modelo da Ford.

ford-thunderbird-1955-03c.jpg Interior de um Ford Thunderbird da primeira geração.

Contam que um dos diretores da DKW teria viajado aos Estados Unidos e desfrutado de um Thunderbird dessa primeira geração ao ponto de se apaixonar pelo modelo e pedir que fosse projetado um esportivo inspirado em suas linhas mas equipado com motor de dois tempos. A verdade é que a empresa pretendia entrar no mercado norte-americano, como, naquela época, tantas outras empresas europeias (incluindo a concorrente Volkswagen com seu sedan popular) vinham fazendo.

Mas os americanos que compravam automóveis europeus buscavam algo diferente. Os europeus ofereciam automóveis compactos, nem tão motorizados mas muito equilibrados. E os europeus ainda ofereciam um estilo diferente, menos "barroco" e mais funcional, menos apropriados para longos trechos em linha reta e mais apropriados às tortuosas subidas de montanha. O 1000 Sp de certo modo oferecia essa "receita europeia", porém com uma aparência muito americanizada.

Talvez, no momento de sua concepção, ninguém tivesse bons argumentos contrários à ideia do 1000 Sp. Mas com o tempo, um modelo europeu com design norte-americano acabou se revelando um erro estratégico. A produção do 1000 Sp foi bastante reduzida, mesmo se comparada à produção de outros lançamentos da Auto Union naquele ano de 1958. O insucesso relativo do modelo em seu tempo contribuiu para o ocaso da marca em meados dos anos 60 mas levou o 1000 Sp a se tornar um dos mais procurados por colecionadores especializados.

Já o T'Bird seguiu outro caminho e será tema de artigo específico em breve.


Alexandre Beluco

Engenheiro, pesquisador, professor universitário. Especialista em energias renováveis. Apaixonado por motores de dois tempos.
Saiba como escrever na obvious.
version 3/s/design// //Alexandre Beluco