ideias aleatórias

O usuário tem o poder

Jeronimo Molina

Administrador com MBA em Marketing e Vendas. Atua como professor nos cursos de Administração e Marketing. Ativista político e colunista do Jornal Sete.

Qual líder devemos seguir?

Seguir um líder não requer de perícia, cursos mirabolantes ou mágica. Temos que aguçar nossa percepção para as verdadeiras virtudes de um líder e assim conseguiremos descobrir se quem nos lidera é de fato um líder ou um anti-líder.


post-do-blog-sexta-feira-09-111.jpg

Dizem por aí que os líderes nascem. Não sei se é verdade ou não, mas temos diversos exemplos que os líderes tem por natureza o dom da fala, da perspicácia, do carisma e também da empatia. São poucos os líderes que não cativam seus liderados com poucas palavras, com poucos gestos. Poderia dizer que um líder para ser líder de verdade teria que estar a frente do seu tempo, usar da estratégia e as vezes correr "contra a maré", usar de intuição, estar conectado com as tendências antes mesmo delas saírem do papel.

Porém, o aspecto fundamental de um líder é dar o exemplo. Não haveriam bons liderados se vissem um líder fraco, hesitante, mas não seguiriam de forma alguma um líder que se mostrasse mal com as pessoas, carrasco com seus liderados, ou humilde a ponto de colocar em dúvida sua força e vitalidade. Deve mostrar-se um exemplo, um modelo a ser seguido. Ninguém gostaria de seguir alguém que fala mal dos outros, que toma decisões intempestivas ou corrói à todos pelo simples prazer de estar no poder.

Agora, nem sempre os líderes são escolhidos por suas qualidades. Na maioria das vezes não escolhemos líderes, escolhemos pessoas que não detém nenhuma qualidade de um verdadeiro líder, mas, por necessidade, falta de opção ou até mesmo displicência de nossa parte deixamos que assuma esse lugar. Estes líderes são a grande maioria nos tempos modernos: diretores de empresas, chefes de família, pastores evangélicos, políticos. Existem diversos líderes impostos ou outorgados a seus liderados, líderes no qual seus liderados muitas vezes sequer confiam.

lider.jpgUm líder de verdade não oprime seus liderados

Como poderá alguém que não detém qualidades de um líder ser líder? Não há como. Poderá se tornar líder por imposição do voto, da escolha ou da falta dela; mas jamais uma pessoa que não detém carisma, força, tomada de decisões, empatia e intuição poderá exercer o cargo de líder por muito tempo. Acabará retirado ou derrubado. É a tendência natural das coisas. Em nossa história existiram diversos líderes e muitos outros "anti-líderes", tomamos por parâmetro que os anti-líderes foram a maioria, pois, normalmente acabamos por escolher mal aqueles que queremos que nos liderem.

Um exemplo clássico de anti-líder está na Bíblia, no livro de 1 Samuel, que conta a história da unção de um rei para o povo de Israel, mesmo contra a vontade de Deus. Na história Deus não queria que Seu povo escolhesse um rei, porém, depois de muito insistir, Deus ungiu um rapaz de nome Saul para ser rei do povo de Israel. Saul tinha todos os predicados de um bom líder: sabia falar bem, era forte, corajoso, tinha empatia pelas pessoas. Porém infelizmente não seguiu os princípios judeus e conta a Bíblia que Deus não aprovou as atitudes de Saul, indo por diversas vezes contra Sua vontade. Dessa forma Deus foi em busca de outro rei para Seu povo e encontrou Davi, que ao contrário de Saul não detinha nenhuma qualidade visível: era franzino, ruivo, pastor de ovelhas, pouco falante. Agora desta vez surgiu um líder de verdade, muito mais valoroso que Saul. Era tão líder que derrubou um gigante com apenas uma pedra, e demonstrou à todos do povo de Israel que seria um grande rei.

Existem outros exemplos de líderes e anti-líderes, mas os lugares que mais se encontram divergências de atitudes são nos imperadores romanos: Júlio César foi um grande líder, porém Nero ainda é considerado um louco; Calígula foi um devasso, em compensação Augusto foi um grande general.

foto-galeria-materia-620-p9.jpegJúlio César, imperador de Roma

Na história recente temos como um grande líder Winston Churchill, que salvou a Inglaterra de um ataque nazista na Segunda Guerra Mundial. Dotado de grande habilidade política e estratégia de visão além do conhecimento da época, defendeu uma proteção da Inglaterra ante uma ameça nazista. Era um notável orador e estadista, fazendo com que a época - atuando como Primeiro-Ministro - tivesse grande aprovação popular. Normalmente durante a guerra, caminhava até os locais dos ataques à bomba e verificava in loco os estragos. É dele diversas frases, algumas duras, mas com um profundo cunho de justiça e força, como: "Um fanático é uma pessoa que não pode mudar de opinião e que não muda de assunto."; ou "Não adianta dizer: Estamos fazendo o melhor que podemos. Temos que conseguir o que quer que seja necessário.".

Winston-Churchill.jpgWinston Churchill, um líder de verdade

Temos também em nossa história recente um marco de anti-líder, Adolf Hitler. Dono de uma oratória quase que teatral - se por dizer teatral - tinha por objetivo único chegar ao poder e aniquilar todos aqueles que se opunham a isso. Tinha no seu dom de carisma sua maior arma de convencimento. Porém, era um ser enigmático e muitas vezes depressivo. Não tinha dons de estrategista, sempre vivia temendo tudo e todos, e por diversas vezes mandou assassinar seus opositores. Á ele são atribuídas frases estranhas como: "Se a liberdade é escassa em armas, devemos compensá-la através do poder da Vontade" ou "Eu sigo o caminho que a Providência me indica com a segurança de um sonâmbulo.".

tumblr_inline_n854ytT3GR1r3xvgl.jpgAdolf Hitler em ensaios teatro para usar em seus discursos

É complexa a escolha de um líder, porque nunca saberemos se suas qualidade são realmente qualidades ou obras fantasiosas de obras de marketing pessoal. Seja um novo chefe em seu trabalho ou um presidente, temos que ter cuidado de quem estamos seguindo. Nem sempre estamos seguindo pessoas que denotam as habilidades necessárias para se tornar um verdadeiro líder, porém as vezes àquelas pessoas que não demonstram habilidades de liderança quando confrontadas acabam se tornando líderes natos.

Não temos "bola de cristal" ou "vara-mágica" para conseguirmos verificar um verdadeiro líder de um anti-líder. De toda forma os anti-líderes não conseguem se manter em sua função de liderança por muito tempo, sendo questionados a todo tempo por suas atitudes, suas condutas, seus exemplos e modelos.

Estar sempre alerta aos sinais de um anti-líder faz com que na próxima oportunidade de escolha tenhamos mais cuidado a selecionar alguém, e se caso essa possibilidade não existir ainda podemos nos confrontar a respeito da liderança nos perguntando: eu seguiria esta pessoa? Se não, é hora de pensarmos em mudar de líder.


Jeronimo Molina

Administrador com MBA em Marketing e Vendas. Atua como professor nos cursos de Administração e Marketing. Ativista político e colunista do Jornal Sete..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/sociedade// @destaque, @hplounge, @obvious, @obvioushp //Jeronimo Molina