ideias aleatórias

O usuário tem o poder

Jeronimo Molina

Administrador com MBA em Marketing e Vendas. Atua como professor nos cursos de Administração e Marketing. Ativista político e colunista do Jornal Sete.

Liberalismo é ruim?

Um governo gigante torna a sociedade menos solidária. O liberalismo é a favor de uma sociedade mais preocupada com o próximo.


RothbardChalkboard.jpg

Quando pensamos na palavra liberalismo logo a vem a mente pessoas inescrupulosas, que tem por objetivo roubar o pouco que o Povo conquistou, de preferência engando a sua humildade. Só que o liberalismo não é isso.

O liberalismo é uma teoria política desenvolvida no século XVII que tem por premissa básica a liberdade individual. Hoje até consideramos que somos totalmente livres, porém ainda dependemos de governos para conduzir boa parte daquilo que poderíamos fazer de forma privada. Infelizmente quando vemos um problema em nossa rua não podemos executar, porque isso é competência do estado. Se solucionarmos tal problema seremos multados porque não é nossa competência, é do estado. Em outras palavras, somos dependentes das decisões do estado.

Alguns dos preceitos básicos do liberalismo são a livre iniciativa (ou livre mercado), a propriedade privada, a liberdade individual e o estado mínimo. Por ser crítico ao tamanho do estado, o liberalismo tem por finalidade aumentar a liberdade individual restringindo o custo do estado, que é sustentando através de impostos.

Se sabe que o estado é enorme. Existem diversos departamentos dentro da iniciativa pública, tantos que acabam as vezes até mesmo se sobrepondo, torando assim o estado lento, burocrático e incompreensível para a grande maioria da população.

Um estado gigante, com diversas regras e burocrácia paralisante acaba criando espaço para um problema nevrálgico: a corrupção. A falta de entendimento de como funciona a máquina pública faz que somente poucos se utilizem dela, e torna assim terreno fértil para a entrada de pessoas espertas, mas também gananciosas, fomentando assim o “jeitinho” e a enrolação.

Se não bastasse o estado gigante aumenta os impostos para se sustentar gigante. Qualquer um sabe que quanto maior for o governo mais caro ele, fazendo com que a carga tributária seja aumentada de tempos em tempos para suportar o gasto que ele tem. Se não fosse isso somente, normalmente o estado gasta muito e mal, adquirindo bens e serviços desnecessários, graças a sombra que a burocracia faz na real necessidade do cidadão.

Por fim um estado gigante faz com que a população seja menos caridosa. O paternalismo estatal faz com que as pessoas deixem de ajudar umas as outras porque empurram a responsabilidade para o estado, já que este supri todas as necessidades da população. A decorrência disso é uma população menos preocupada com o próximo, e mais egoísta.

O liberalismo defende que o estado seja pequeno, suprindo somente as necessidade de segurança e justiça da população, deixando as pessoas criarem novos negócios sem burocracia, incentivando o emprego, traduzindo as necessidades da população em ações. Como resultado teremos uma população mais caridosa, mais fraterna e com menor desigualdade social.

Uma sociedade mais preocupada com seu semelhante irá progredir mais rapidamente, pois a preocupação coletiva não será imposta, mas sim algo natural, oriundo de cada um.


Jeronimo Molina

Administrador com MBA em Marketing e Vendas. Atua como professor nos cursos de Administração e Marketing. Ativista político e colunista do Jornal Sete..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/sociedade// @destaque, @hplounge, @obvious, @obvioushp //Jeronimo Molina