imagens e palavras

REFLEXÕES SOBRE LITERATURA E CINEMA

Fernanda Villas Boas

LIBERTE-SE!

Para conquistar-se a liberdade, só escutando primeiro sua alma lhe falar em segredo das dores e alegrias que estão em nosso caminho para nos ensinar a viver.


vida.JPG

Toda maneira de caminhar é significativa. Seja pelo movimento, seja pela escolha um pouco tímida do exercício da liberdade. Eu não estranho o indecifrável. Eu não quero entender tudo, porque é muita onipotência. Mas, nós somos criados para falar parecido, comportar-se quase igual, numa série de metálicos sorrisos forçados, falas repetidas e rasas.

Não. Não vamos a lugar nenhum. Só se houver um mergulho completo. Quem te fez acreditar em tantas regras, foram a família e a escola. Somos, por gosto ou desgosto imitadores por natureza e a única forma de sairmos e rompermos com as amarras é mergulhar para dentro de si. As couraças são duras de tirar e pesam no corpo . O corpo arqueia e não serve mais. Já não sentimos gestos espontâneos. Como se o corpo tivesse adquirido sua porção diária, e expelisse o que não era saudável. Mas, não podemos falar o mesmo da alma.

A alma invisível não pode viver aprisionada por sentimentos contidos. Contam-se os anos e a alma permanece sobrevoando seu campo energético em busca de amor para alimentar-se. Esse amor incondicional que pulsa e pulsa em direções as mais diversas, como se nos contasse todo dia a beleza da poesia. Esta alma que nos faz mais humanos já que toca no que não raciocina, naquilo que é o Ser. A alma dos mendigos de afeto, de carinho. Esta alma universal e solitária nos chama e nos leva para o limiar da liberdade. Alma do mundo, alma que acalma tantos corações abandonados, sofridos pela perda de um amigo, de um ente querido. De manhã, ela acorda e se no silêncio se espalha é porque nos traz tão somente um recado: Liberte-se!


version 1/s/recortes// //Fernanda Villas Boas