imagens e palavras

REFLEXÕES SOBRE LITERATURA E CINEMA

Fernanda Villas Boas

COMO ÁGUA PARA CHOCOLATE- A CULINÁRIA DAS EMOÇÕES

Como Água para Chocolate(no original, Como agua para chocolate) é um filme mexicano de 1992, do gênero drama, dirigido por Alfonso Arau. O roteiro foi escrito por Laura Esquivel, baseado em romance homônimo de sua autoria.


como-agua-para-chocolate.jpg

Como Água para Chocolate, filme mexicano do diretor Alfonso Arau, de 1992 baseado no livro de Laura Esquivel, é um filme que convida à reflexão. A partir da comida e da relação que os personagens estabelecem com a mesma, é possível perceber e conhecer os modos de vida do lugar em que se desenvolve a narrativa. Quem nos conta a história é a sobrinha-bisneta de Tita (personagem principal do filme), através de um livro de receitas que é passado através das gerações de mulheres da família. Como Água para Chocolate é um filme de que segue uma narrativa dentro do realismo fantástico, onde os acontecimentos têm uma raiz mágica vinda da química dos alimentos e seus ingredientes. Tita, a protagonista nasceu na cozinha da casa da família e o parto foi feito pela empregada Nacha por quem Tita se afeiçoa. Sua mãe estava cortando cebolas e Tita tornou-se vítima de uma tradição local, que dizia que a filha mais nova não poderia casar para cuidar da mãe até a sua morte. Ao crescer, Tita se apaixona por Pedro Muzquiz, que corresponde e quer casar com ela. A mãe autoritária e má impede o matrimônio. Pedro então, casa com Rosaura, a irmã dois anos mais velha de Tita para ficar perto de sua amada. comoagua2.jpg O destino imposto a Tita a conduz a uma profunda tristeza, que seria intensificada com o casamento de Pedro com sua irmã mais velha, Rosaura. Pedro aceita esse casamento - naquele lugar, assim como em outros tantos povoados rurais, casamento era entendido como negócio de família. Tita não aceita a decisão de Pedro e mergulha num "mar de tristezas", por entender que perdera de uma vez por todas seu grande amor. . Na comida preparada por Tita, se manifestam e são transmitidos os sentimentos, angústias e desejos que ela traz contidos, devido ao amor proibido e à sua imensa tristeza. Ao preparar o bolo do casamento, tomada por profundo sentimento de tristeza, Tita se põe a chorar, deixando cair suas lágrimas sobre a massa do bolo. A profunda tristeza de Tita, transmitida para a massa do bolo, causaria ânsia de vômito nos convidados.

comoaguaparachocoloat- mãe.png Já em outra ocasião, o prato de codornas ao molho de pétalas de rosa, preparado com as flores que Tita ganhara de Pedro, transmitiria a quem o ingerisse a sensualidade e volúpia daquela paixão. Esta cena é de absoluta perfeição, com todos os convidados querendo fazer sexo e se queimando de desejo. Nesta ocasião. Gertrudes, a única irmã que se liberta da mãe, foge nua numa cavalo a pelo com o general do exército rebelde. Sua mãe queima todo seus registros e a expulsa da família. Elena, a mãe simboliza o mal, a mentira e o poder, constelando-se como má, ela não quer perder o controle sobre nada nem ninguém. Até morta, aparece em alucinações de Tita para ameaçá-la e atormentá-la. Toda a mágica da comida segue da cozinha para as sensações dos personagens. A comida é de fato a metáfora usada para mostrar o encanto do desejo, suas consequências, através da boca, primeiro órgão de saciedade que a criança tem e necessita para sobreviver, do leito materno. Tita representa o feminino como mãe, mulher e filha rejeitada por ter sido fruto de um casamento não formal. Ela cresce obedecendo sua mãe, chorando pelos cantos e sendo obrigada a trabalhar na cozinha. Mas, ela faz deste castigo, um paraíso de sabores e invenções culinárias que lhe dão um certo poder sobre o paladar dos familiares.

A família De La Garza é marcada por segredos, por uma rigidez de funcionamento que interferia na comunicação, na expressão da afetividade, na sexualidade e por consequência dificultava movimentos para mudanças. . A comunicação é unidirecional - de Elena para os outros. Não se pode questionar em hipótese alguma, mesmo que não haja concordância, principalmente questionar algo que " é assim" durante gerações. A ausência da possibilidade de diálogo aponta para importantes disfunções dentro do sistema familiar. A pouca flexibilidade e a impossibilidade de diálogo colocam os filhos em posição sem saída: ou eles se submetem aos padrões estabelecidos ou eles enlouquecem para sair da situação. Esta rigidez fica clara quando Elena diz para Tita que ela não vai casar para cuidar dela até a morte e Tita questiona dizendo que aquilo não era justo. Quando mais tarde, o sobrinho morre, Tita tem um surto,enlouquece de tanto que aprendera a ficar muda e internalizar a voz materna, numa relação de ódio contido. São muitos anos de crochê nas noites de insônia que Tita costura um cobertor colossal. Uma vez surtada, perde a voz e o contato com a realidade, sendo cuidado pelo Doutor John até curar-se através do afeto, da compreensão do médico. Ele se apaixona por titã, não é correspondido, mas ainda tentam noivar, o que é desmanchado com a chegada de Pedro e esposa para a casa de novo. Entre conflitos, Pedro e titã trnsam, se querem muito e o médico admite o afastamento, num gesto nobre.

Chocolate.jpg Tita fica tão perturbada com a presença de Pedro que comenta: "Se soubesse naquela época o que era buraco negro seria fácil compreender que tinha um buraco negro no peito que fazia sentir um frio intenso". A analogia que é feita com o buraco negro, que consome a energia de tudo o que entra nele, é como se o buraco negro tivesse consumido a energia do amor contida no peito de Tita, tal era o frio que ela sentia, que vinha de dentro e nada a aquecia. O frio corporal está relacionado com bloqueios energéticos. A proibição de sua mãe lhe causa um bloqueio no segmento torácico, que é o segmento do amor, da afetividade que irradia para o corpo. Ao diretor do filme foi feliz no uso destas simbologias - as toxinas nas lágrimas e o frio intenso. O arquétipo-complexo mãe ilustra a inter-relação entre complexo e arquétipo. O complexo mãe é baseado em experiências com mães ou mães substitutas - suas atitudes, personalidades e relacionamento com a pessoa. O arquétipo mãe é encontrado em sonhos ou fantasias frequentemente como uma mulher imensa ou um animal com muitos seios. O tema principal do animal com muitos seios encontrado em muitas culturas é o de nutridora ilimitada. Com a morte da mãe, Pedro e Tita pensam se casar, quando Rosaura afirma reservar para sua filha, Esperança, o mesmo destino que sua mãe reservara a Tita - cuidar da mãe até sua morte -, ela revolta-se em solidariedade à sobrinha e, a partir daí, Rosaura passa a sofrer de problemas digestivos, tornando-se obesa, flatulenta e com mau hálito e vindo a falecer por complicações gastro-intestinais. Rosaura morre de problemas digestivos, também um símbolo de que comia demais por ser frustrada no casamento. Livres, por fim, Tita e Pedro querem consumir seu amor, num gesto de despedida daquele desejo que durou o tempo de suas vidas. Lembrando-nos que: (...) todos nós temos em nosso interior os elementos necessários para produzir fósforo (...) muito cuidado em ir acendendo os fósforos um por um. Porque, se por uma emoção muito forte, chegam a se acender todos de uma só vez produzem um resplendor tão forte que ilumina mais além do que podemos ver normalmente, e então diante de nossos olhos aparece um túnel esplendoroso que nos mostra o caminho que esquecemos no momento de nascer e que nos chama a reencontrar nossa perdida origem divina.

agua chocolate-final.jpg


version 3/s/cinema// @obvious, @obvioushp //Fernanda Villas Boas