imagens e palavras

REFLEXÕES SOBRE LITERATURA E CINEMA

Fernanda Villas Boas

DE ONDE EU TE VEJO, TE QUERO

Ana Lúcia (Denise Fraga) e Fábio (Domingos Montagner) decidem se separar após vinte anos de casamento e ele se muda para um apartamento do outro lado da rua. Além da separação, eles passam por uma crise no trabalho e precisam enfrentar a iminente mudança de cidade da filha. Com todas essas mudanças, eles precisam aprender a viver essa nova realidade e reinventar o amor.


de onde jpg.jpg

De onde eu te vejo, (2014) dirigido por Luiz Villaça é uma comédia romântica cuja trama é centrada no casal Ana( Denise Fraga) e Fábio (Domingos Montagner), que decide se separar depois de 20 anos de relacionamento, e passam a morar em prédios separados, porém um de frente para o outro, janela como janela, separados pela mesma rua. Ao mesmo tempo, a filha Manu (Manoela Aliperti), em idade de prestar vestibular, está prestes a sair de casa.

A questão abordada pelo casal remete às cidades grandes, no caso São Paulo, e a ligação que eles passam a ter se olhando de suas janelas que dão de frente uma para a outra. A ideia é muito sutil e atual pois é exatamente através dos impasses que as janelas representam, ao mesmo tempo, a separação de espaço e a possibilidade de outra forma de comunicação.

de onde eu te vejo.jpg

Assim, numa sequência de cortinas, papel de jornal para esconder-se um do outro, eles vão construindo outro tipo de comunicação. Isto porque, Fábio e Ana se re-inventam. Ele apaga as luzes para fingir que foi trabalhar, pois está desempregado e ela, mudando os móveis de lugar e causando ciúmes ao vestir-se muito bem para ir vender casas antigas de São Paulo para uma imobiliária. A cidade também está em movimento entre o agora e o passado.

de-onde-eu-te-vejo-1459801944900_956x500.jpg

Neste movimento há uma homenagem à cidade de São Paulo com uma ampla vista dos edifícios, praças famosas e pessoas mais velhas que relatam uma cidade mais sossegada em que viviam ouvindo o canto dos pássaros. O filme trata com ternura e encantamento a possibilidade de renascimento de uma relação que não havia acabado, apenas passava por uma crise, pelo desgaste, pela falta de criatividade e paciência de olhar cara a cara para o outro e através deste olhar, o casal se redescobre. Ali, através do espaço entre cimentos, não escondem mais suas fraquezas e anseios, nos brindando com risos e descontrações que derrubam facilmente as brigas e segredos, anteriormente mal resolvidos. É “ De onde eu te vejo”, um título especial, que significa, eu te vejo não importa de onde, eu te vejo de onde eu te desejo, eu te vejo de onde meu olhar te chama para um recomeço.


version 3/s/cinema// @obvious, @obvioushp //Fernanda Villas Boas