Larissa Bispo

Apaixonada pelas entrelinhas da vida, pelos mistérios no óbvio e pelas complexidades que abrigam as coisas mais simples

(ver)dade

Conhece-la destruiria-me e acabaria por destruí-la também.


image.jpeg

Vi a verdade andando na rua.

Passeava, distraída, como se não devesse - e talvez não deva mesmo - nada a ninguém. Olhou para o céu, cheirou uma flor no meio do caminho e tropeçou em uma pedra logo à frente, que fingiu não ter visto.

Recompôs-se. Continuou a andar.

Seguia-a sem saber exatamente o porquê, escondendo-me do seu olhar. Ela não percebeu; ela nunca percebe quem não quer ser visto. Atrás da árvore pude ver, quase em câmera lenta, sua testa franzir. Ela sabia.

Muito diferente de como eu pensava que seria, sua forma, seu jeito, seu caminhar, eram de uma leveza e desprendimento inimagináveis. Após um tempo, me peguei obcecado por descobrir onde ia; se ia ou voltava; se sabia o caminho. Dei-me conta de que mais ninguém ao meu redor havia notado sua presença. Como não reparar na verdade bem ali, parada tão perto? Como não perceber, mesmo que de longe, seus passos longos marcando a calçada?

Era ela e eu sabia disso. Depois de tanto tempo à sua procura, escondia-me. Mais que medo, ela me passava uma sensação de angústia que não sabia explicar. A chave para a minha vida estava a alguns passos de mim, observando uma fila de formigas que sabiam para onde iam; se iam ou voltavam; sabiam o caminho.

Eu não podia.

Conhecer a verdade tornaria-me, enfim, livre, ou acabaria com a vontade? Vontade de vida, vontade de medo, vontade de ser. E errar. E descobrir. Conhece-la destruiria-me e acabaria por destruí-la também.

Trocamos olhares.

Eu já queria ser visto; encarei-a de frente. Continuei a andar, passei por ela, coloquei a pedra de novo a sua frente e fui viver.


Larissa Bispo

Apaixonada pelas entrelinhas da vida, pelos mistérios no óbvio e pelas complexidades que abrigam as coisas mais simples.
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/recortes// //Larissa Bispo