Andressa Lara

Ariana (do bem), inventiva e o que mais der na telha.

Perdemos a mão? Uma breve reflexão sobre o retorno das técnicas manuais

Parte do “abandono” das técnicas manuais se dá porque a maioria das pessoas busca fazer algo que acha já ter uma receita. Se tratando da faculdade, por exemplo, são 4 anos, um diploma, uma carreira e ueba! Um profissional de sucesso feliz da vida. No entanto, não é bem assim. Nem mesmo a faculdade pode garantir um futuro promissor


Diariamente, reconhecemos o papel da visão, olfato, paladar, audição e tato, sendo que, no caso desse último, nossa relação foi totalmente modificada com o surgimento da internet. E, como dizia o sociólogo Mashall McLuhan: o meio é a mensagem. Isso significa que os dispositivos móveis constroem e desconstroem a comunicação todos os dias. Como consequência, muitas relações deixaram de ser físicas e passaram a ser virtuais.

Chamando atenção dentro desse processo, técnicas manuais como costurar, desenhar, moldar, esculpir ou tocar um instrumento, esquecidas em um passado distante, algumas delas até empoeiradas, ganharam ainda mais força por meio de um estímulo contraditório ao tato: a internet.

Não é necessário ser Coco Chanel para costurar. Tão pouco Jimi Hendrix para tocar guitarra. Parte do “abandono” das técnicas manuais se dá porque a maioria das pessoas busca fazer algo que acha já ter uma receita. Se tratando da faculdade, por exemplo, são 4 anos, um diploma, uma carreira e ueba! Um profissional de sucesso feliz da vida. No entanto, não é bem assim. Nem mesmo a faculdade pode garantir um futuro promissor.

As artes manuais pedem paciência, disciplina e determinação, alguns ingredientes que nossa geração imediatista parece ter esquecido. E o que você deve se perguntar é: Você faz para si ou por aprovação dos outros?

Bem, vamos voltar um pouco no tempo. Lembra-se da febre dos livros para colorir? Tratava-se de uma obra já pronta, que até colocava o praticante em contato com uma técnica manual – colorir – mas no final lhe proporcionava quase sempre um resultado similar, encorajador e satisfatório, daqueles que a gente corre para tirar foto e postar nas redes sociais.

Trabalhos manuais Foto: Pixabay

No entanto, na maioria das vezes, principalmente no início, o resultado não é satisfatório. Na costura, por exemplo, não é de primeira que você acerta o ponto e cria uma peça similar a que está em uma vitrine. Quanto a tocar um instrumento, pode levar anos e não há garantias de que você será um instrumentista de sucesso. E lembrando novamente não tem diploma no final, porque nem sequer tem final: a arte é um caso de amor eterno.

No entanto, todas essas práticas acrescentam, e muito: colocam você em contato consigo mesmo. Elas capturam sua atenção e levam seu pensamento a criação. Ao contrário do que muita gente acredita, nas artes não tem certo ou errado, como aprendemos na escola.

Além disso, a realização de trabalhos manuais permite maior autonomia sobre a nossa existência dentro da sociedade. Costurar, cozinhar, moldar ou tocar, ajuda a desenvolver a sensibilidade, permitindo enxergar por trás dos processos da indústria. Sim, essa mesma indústria que faz você refém de roupas produzidas às custas do sofrimento do outro (trabalho escravo).

Então, será que vale a pena abandonar as artes manuais só porque você não se sente bom o suficiente para ostentar uma foto sua realizando uma delas nas redes sociais?


Andressa Lara

Ariana (do bem), inventiva e o que mais der na telha. .
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/sociedade// @obvious, @obvioushp //Andressa Lara