inconvencional

Tudo depende do ângulo

Michelle Cruz

Em formação na escola da vida, uma artista-arteira, e também, comunicóloga. Fazendo da sua vida uma obra-prima, falando da vida e do mundo que a influencia

Bondade não é caridade

Aceitar que somos falhos e que nem todas as nossas vontades são boas, entendendo que favorecer ou bajular alguém é injusto. Será um bom passo para conseguirmos desenvolver um ambiente mais saudável e digno para todos. Bondade não é caridade!


Bondade não é caridade.jpg

Essa semana me veio a mente a frase "eu não sou boazinha, mas faço caridade". Quando você é um profissional prestador de serviço, você nem sempre entrega ao cliente um produto palpável, mas sim, vende a solução de um necessidade dele. E isso nem sempre é valorizado. E como não gera um produto o profissional, as vezes, acaba sendo desvalorizado. E diante de uma negociação foi isso que aconteceu. Uma pessoa queria que o valor do serviço fosse mais baixo porque ela achava que eu deveria ser bondosa.

A questão é que bondade não é fazer o que as pessoas querem. Bondade é fazer o que é justo e correto. Dar algo a alguém, sem interesse, é caridade. E no meio profissional não existe caridade.

É interessante como algumas pessoas se consideram bondosas e poucas enxergam as suas próprias maldades. O entendimento de bondade para a maioria das pessoas é uma ação de fazer o que agrada o outro. Acreditam que bajular, o que não tem nenhuma relação com bondade, possa propagar o bem.

Como por exemplo a mãe que dá ao seu filho tudo o que ele quer. Ela é uma boa mãe na visão do garoto que recebe e, talvez, seja na visão de outras pessoas que tem a mesma atitude. Só tem um detalhe, a mãe esquece que um dia o garoto não vai mais tê-la. E ele vai precisar se virar sozinho. Não terá mais ninguém para apoia-lo e dar tudo o que ele quer.

Como será que vai ser esse garoto quando adulto? Quais das opções abaixo serão mais viáveis?

1) Ele vai lembrar que a mãe dele dava tudo pra ele e vai procurar uma mulher que faça a mesma coisa.

2) Ele vai culpar o governo do país que não o ajuda a ter uma vida mais digna.

3) De forma milagrosa, ele vai entender que só trabalhando se consegue o que quer.

É quase impossível essa pessoa tomar a atitude da terceira opção. Afinal, as outras duas atitudes são bem reais nos nossos dias. O número de "mulheres-chefes" de família só aumenta. O que pra alguns é considerado o empoderamento da mulher, e que na realidade é o extremismo femininista. É como se a mulher tomasse o lugar do homem. O que não deveria acontecer, o correto seria que houvesse igualdade. Homem e mulher na mesma linha.

O mundo parece de ponta cabeça. Os valores estão distorcidos. As opiniões rasas. E o ser humano cada vez mais ignorante da sua própria realidade.

E diante desse cenário, aceitar que somos falhos e que nem todas as nossas vontades são boas, entendendo que favorecer ou bajular alguém é injusto, será um bom passo para conseguirmos desenvolver um ambiente mais saudável e digno para todos.

Bondade e caridade são qualidades positivas, mas existem ambientes adequados para exercer cada um deles. A atitude certa no lugar certo define nosso futuro e das outras pessoas a nossa volta. Seja esperto sem querer tirar proveito!


Michelle Cruz

Em formação na escola da vida, uma artista-arteira, e também, comunicóloga. Fazendo da sua vida uma obra-prima, falando da vida e do mundo que a influencia.
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/recortes// @obvious, @obvioushp //Michelle Cruz
Site Meter