Mariah Costa

Escreve crônicas (e outras coisas) no blog Tempo Verbal (link no perfil). Estudante de Jornalismo, mais romântica do que gostaria, a mais velha de três filhas. E sim, é Mariah: lê-se Mariá.

Bom ou mau, tudo que você faz, volta

Se um dia alguém te fizer chorar, lembre-se que cada lágrima será transformada em sorrisos largos, fáceis.


2890920c702c6982b5621a979917da75.jpg

As pessoas entram nas nossas vidas com um propósito e nada -NADA- acontece sem um motivo. Exatamente, aquela amiga que traiu sua confiança espalhando pro colégio que você gostava de tal pessoa, assim como aquela promoção de pacote de viagens incrível que você achou acontece por um motivo. Muitas pessoas gostam das ideias de vingança e trabalham nisso com afinco, entretanto, eu particularmente gosto de pensar que tudo que você faz, volta.

Provavelmente, é tão melhor deixar nas mãos de forças maiores o "acertar de contas" do que ficar tramando exaustivamente em vez de viver sua própria vida. Imagine quantos filmes, livros e pessoas poderiam estar ocupando sua mente em vez de planos malucos. Talvez dar a outra face não seja algo tão ruim. Vivendo as desventuras e aventuras da vida, a gente percebe que tudo conspira para uma finalidade muito maior que nós. Se um dia você chorou por incontáveis dias por alguém que não se importou com seus sentimentos, pense que talvez será a vez dele ou dela (se é que já não foi). Aliás, pense que um dia cada milímetro será convertido em centímetros de sorriso. Se aquela pessoa puxou seu tapete e te colocou em uma situação ruim, sorria, mostre seu melhor e lute para superar. Cada um dá o que tem e acredite, as lutas nunca serão em vão. As incontáveis vezes que sua amiga chorou no seu ombro se transformarão de tal forma que cada vez que você precisar de um abraço, ela estará lá. Em meio a tantos conselhos que você vive dando, um dia será você a precisar.

Quando alguém te dá as costas e finge que não te conhece, talvez seja bom que ela seja esquecida por você. São incontáveis os famosos "males que vem para o bem". Em vez de ficarmos nos lamentando por aí, por que não imaginar o bem que virá depois da tempestade? Sempre há um arco íris, um sol forte, uma brisa tão acalentadora. Não precisamos nos certificar de que as pessoas nos paguem o que fazem, mas podemos deixar na mão de Deus, destino, karma, seja lá em que você acredite. Mesmo quando a situação parece insuportável, ela pode ser mudada, e isso depende de como você a enxergará e lidará com ela. Dar a outra face não consiste em ser fraco e permitir que as pessoas pisem, entretanto, é sobre entender que existe um motivo para tal ato, acreditar que no fim das contas, os sorrisos que provocamos serão recompensados, assim como as lágrimas.

Talvez não seja tão difícil pensar no outro, se preocupar com ele, não por medo do que pode vir a te acontecer, porém, por solidariedade. Ainda há tempo para fazer o bem, para pedir perdão para amar intensamente, se entregar. Ainda há tempo para voltar atrás em algumas decisões, e fazer valer a pena. Ainda é tempo de sorrir e responder aos "Bom dia"s, de conversar no ônibus, de dar ajuda a quem precisa. Ainda há tempo de ser alguém que cause orgulho em si mesmo. Ainda há tempo de deixar a vida tomar conta e te guiar por seus caminhos. Sempre haverá momentos de fartura ou desalento, e provavelmente Pollyanna tenha ensinado uma das maiores lições à humanidade: o jogo do contente. Por que não fazê-lo? Por que não ver o bem onde superficialmente só há escuridão?Tudo que você faz lhe é retribuído um dia, e o universo conspira a favor daqueles que tem fé, que acreditam na felicidade, que deixam uma palavra tomar contra de seus dias: Esperança.  Enquanto portas se fecham, janelas se abrem. Escolha por qual passará e lá fora haverá um novo mundo à sua espera. 


Mariah Costa

Escreve crônicas (e outras coisas) no blog Tempo Verbal (link no perfil). Estudante de Jornalismo, mais romântica do que gostaria, a mais velha de três filhas. E sim, é Mariah: lê-se Mariá..
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/recortes// @obvious //Mariah Costa