infinito saber

Em busca do conhecimento do ser nas trilhas da vida...

Daniela Castro

Interessada no conhecimento do ser, repleto de detalhes e suaves toques que nos cercam por aí..

Cadê os Morgan? Cadê você(s)?

Do barulho ao silêncio. Ao presenciarem um assassinato, eles são levados para uma cidade distante e pacata sendo vistoriados pela polícia. Ali, no silêncio, relembram histórias e redescobrem a vida. E se você fosse levado a um lugar assim, o que faria?


cade.jpg

Uma pausa.

Um filme divertido e intenso. Foi preciso uma pausa das atividades do dia-a-dia, da presença de um assassinato para torná-los testemunhas. Separação. Diálogo. Assassinato.

O que poderia acontecer na sua vida para te dar essa pausa? Nesse filme, Morgan e Paul após saírem de um jantar para tentarem uma conciliação em Nova York veem um dos maiores assassinos matarem um homem. Tentam esconder, mas da varanda, ele os veem e, desde então, tornaram-se testemunhas do caso.

Transferidos para uma cidade pacata no interior são escoltados pela polícia e vivem uma semana na casa de um casal atencioso e feliz. Ali não tem acesso ao telefone, nem internet. Aprendem tiro ao alvo, andam de cavalo e o silêncio os convida a se verem. Ver cada um e verem um ao outro.

Certa noite, ao céu de estrelas, Morgan o chama para ver aquela imensidão, inexistente no céu de Nova York. E ali recebem seus brilhos, trocam olhares e relembram histórias. Naquela conexão com o silêncio, percebem que ali devem aceitar aquela situação e, enquanto não sabiam o enredo - nenhuma ligação da polícia, nenhuma notícia sobre o assassino - deviam viver.

E se de repente, você também vivesse algo que transformasse a sua realidade? Sem rotina e sem contato? Indo para um lugar distante, sereno, no meio do 'nowhere', como eles falam. O que você faria ali?

Eles optaram pelo diálogo e tentaram resolver o que não estava esclarecido, ou o diálogo também se ofereceu para fazer parte e entrar naquela relação. Sendo uma escolha, um convite ou um presente foi uma conexão que por si só falou.

Por surpresa de todos, naquela noite, o assassino descobre onde eles estavam. Sozinhos na casa, eles se protegem e escapam, sendo auxiliados pelos vizinhos. Preso, no último dia que ali ficariam, antes de serem transferidos para um local oficial de proteção às testemunhas, poderiam retornar à cidade. Dali se despedem e deixam suas vozes, suas conversas. Mais uma memória.

E de outra memória, recebem a notícia, que o bebê para adoção - pedido a tempos - já estava os esperando. E deram à filha, o nome de Ray, mesmo nome dessa casa onde embarcaram no que realmente desejavam. Da pausa, veio uma nova história, que agora com a vista de prédios altos e suas luzes, ficam na janela à espera do olhar daquelas estrelas.


Daniela Castro

Interessada no conhecimento do ser, repleto de detalhes e suaves toques que nos cercam por aí...
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/// //Daniela Castro