janenitro esporádica invisibilidade

Histórias, memórias e insanidades que brincam de sumir e aparecer.

Geovana Martelo

Pessoa orientada pelo vento e pela maré. Sonha em pescar bacalhau na Noruega. Escreve como passatempo até chegar o grande dia.

  • imagem.png
    Baco Exu do Blues: a trilha sonora de um herói percorrendo o caminho do meio

    Baco Exu do Blues já apresenta no nome o legado de duas divindades distintas, mas igualmente basilares para a cultural brasileira. Esse nome antecipa rimas de fôlego que são como sopradas pelas musas gregas e pelos Orixás africanos. O sincretismo do raper baiano Diogo Moncorvo que se denomina Baco Exu do Blues é um elemento marcante em cada faixa do seu álbum “Esú”, de 2017.

  • mulher com fera.jpg
    O calor sobe pelas pernas

    Poesia erótica e errática.

  • flaneurio.jpg
    A arte de viajar deslizando pelas ruas de Rubem Fonseca

    Às vezes é possível viajar sem passagem, sem bagagem, sem passaporte,
    sem visto. O exótico pode estar nos muitos ritmos da urbanidade.
    Conhecer novas paisagens é uma questão de refinamento do olhar. As
    narrativas de Rubem Fonseca com frequência mostram como ser um
    viajante em seu próprio mundo desde sempre.

  • pular do corcovado.jpg
    Exagerar é mentir. Do discernimento em A Luneta Mágica, de Joaquim Manuel de Macedo

    Imagine uma pessoa que imersa na era da informação não enxergasse um palmo à sua frente no sentido crítico do termo enxergar? Não conseguisse chegar às suas próprias conclusões, emitir opiniões sem que alguma outra pessoa a conduzisse? Este é o caso de Simplício, personagem da história que iremos analisar. Apesar de não ter vivido num mundo como o nosso, onde informações nos bombardeiam por todos os lados, ele se sentia perdido diante do panorama social e político do Século XIX, durante o Brasil imperial. Ainda que portador de uma ampla cegueira, Simplício não se enganava e reconhecia os limites dos seus julgamentos, ele era um inseguro. Vejamos a interessante solução narrativa oferecida por Joaquim Manuel de Macedo a fim de realizar uma curiosa reflexão acerca dos nossos julgamentos morais influenciados tendenciosamente pelos sentidos.