VICTÓRIA AMPESSAN DAMAS

Que a intenção deste texto seja alcançada: o contato com um novo olhar, o entendimento de outras perspectivas e a vontade inexorável de prosseguir questionando, buscando a sua versão da história

Um tipo peculiar de felicidade

Há um vasto mundo em que a felicidade pode nascer por diferentes meios. E entender que não existe fórmula mágica pode ser uma experiência simultaneamente assustadora e libertadora.


Em um mundo compartimentado, a tão almejada felicidade não é alcançada após repetir uma receita absoluta. A felicidade é um presente inesperado. E, como toda surpresa, de onde menos se imagina ela pode surgir. Dos momentos não planejados, das histórias que saíram de seu lindo roteiro, daquele instante de pura espontaneidade em que o sim vira não, o não vira sim ou em que portas se abrem com o talvez.

Se pode ser originada de diversas situações, também pode ser compartimentada dentro de realidades... E sonhos. Sonhos podem ser vistos como geradores de realidades, dependendo do que fazemos com eles. Mas nem todo sonho precisa sair do papel. O sonho surge primeiramente para te colocar em outro mundo, o da valorização.

Diariamente, percebendo ou não, há muita autodepreciação, fazendo com que nos esqueçamos de nos amar. Nós encontramos algo para criticar em nós mesmos antes de encontrar algo bom. Conseguimos listar 10 defeitos e erros antes de listar 5 qualidades ou feitos.

Com ou sem rede social, nós nos comparamos uns aos outros. Todos têm algo melhor, mesmo que só de forma aparente (e mesmo nós suspeitando disso). Mesmo achando que possa se tratar de uma ilusão, almejamos iludir ao próximo e, por consequência, a nós mesmos, comprando uma linda obra que decore nossa vida.

É um vício, um costume. Seria também uma maneira de nossa mente tentar nos impulsionar a mudar, a buscar o que se quer? Com pontos bons e ruins, vivemos com essa impressão de que os outros fazem mais, fazem melhor, fazem certo...

Então, seriam os sonhos uma forma peculiar de contrabalancear a interpretação (muitas vezes cruel conosco) da realidade?

Há 2 sonhos. Os bons sonhos que ganhamos de presente ao dormir. E o que sonhamos ainda acordados, nossa autoria consciente em uma realidade que não existe. Uma realidade em que nos divertimos, amamos quem somos e - a cereja do bolo - somos ovacionados pelo público.

Ricos, famosos, amados, todas as vontades respeitadas, poderosos, somos celebridades, atores premiados, os melhores cantores, as pessoas mais hábeis e bonitas que o mundo já viu. E nós somos plateia para nossos próprios incríveis feitos. Somos e temos tudo o que queremos e todos estão aos nossos pés. Não importa qual seja a comparação, nós sempre ganhamos! Eis a fórmula do sucesso. E nos sentimos felizes naqueles minutos ou horas de interação com "outra dimensão".

Mas já percebeu que quem tem fama, dinheiro, quem ganha o Oscar, o Grammy, quem realiza todos os sonhos não necessariamente é feliz como imaginamos? Não desvalorizando a importância de quaisquer feitos, talentos ou comodidades. Eles são felizes. Porém não como a felicidade dos nossos sonhos possa parecer: algo etéreo, indissolúvel, inquebrável. Não importa o quão longe vá, sempre irá sonhar. Não se engane, a pessoa que tem a vida que você (acha que) quer também tem seus momentos tristes e frustrantes, essa pessoa também imagina outra vida que seja perfeita e diferente.

Eles são felizes, mas ainda têm momentos de frustração, decepções e insatisfações como qualquer outro. Faz parte da vida e não é passível de exceções. A vida tem altos e baixos, planejamento e espontaneidade, felicidade nas coisas mais majestosas, refinadas e organizadas assim como nos instantes mais simples e acidentais. Não há fórmula mágica. "Siga tal profissão" e será feliz. "Ganhe tanto", "Case", "Tenha filhos", "Não case"... E será feliz? As tentativas de receitas são inúmeras.

De forma alguma isso deve desestimular. Trata-se de ter opções e todas podem levar à felicidade, dependendo do que puder e preferir escolher. Por mais difícil que possa parecer às vezes, a felicidade não é um artigo de luxo acessível a poucos que tomam caminhos específicos na vida. E, mesmo contentes com o rumo de nossas vidas, a felicidade não se transforma em algo imune a tudo ou constante, ela vai e vem, pode perdurar, mas não significa a ausência de tempestades ou desapontamentos. Isso é um fato que não seleciona um grupo de pessoas, funciona igual no mundo inteiro, para todos.

A felicidade pode parecer um sentimento escondido nos nossos olhos e no que os outros enxergam. Porém a verdadeira felicidade é algo mais puro e profundo, está no coração de cada um ao lado do poder da escolha do formato em que virá. Portanto, corra atrás das suas escolhas. Só não se chateie se nem tudo o que você sonha ou supostamente deseja se torne realidade concreta.

O sonho, antes de tudo, serve para te tirar por um momento da realidade e te resgatar do pior dos carrascos: você mesmo. Sonhar é ir a outro mundo, em que você é tudo o que quiser ser, é um infinito. É um direito dado a você para se amar e escapar um pouco dos juízes hoje e agora.

É um ato inevitável a qualquer um, com objetivo de te manter se amando e sabendo que é capaz e que merece ser feliz. Faça suas escolhas, mas lembre-se: você nunca vai deixar de sonhar e nem perder seu direito a essa peculiar felicidade que vem da imaginação.

sonhos2.jpg


VICTÓRIA AMPESSAN DAMAS

Que a intenção deste texto seja alcançada: o contato com um novo olhar, o entendimento de outras perspectivas e a vontade inexorável de prosseguir questionando, buscando a sua versão da história.
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/recortes// //VICTÓRIA AMPESSAN DAMAS