luciana landim

Devaneiador

LUCIANA LANDIM

Mude-se para o caos

Mudar é ter o prazer da incerteza, do breve caos que constrói um nova ordem. Mudar é reendereçar a vida, mas também as posses, o coração, a alma.


Se você já mudou de casa alguma vez na vida, deve ter alguma história péssima pra contar sobre o processo. Um vaso que quebrou, um objeto que sumiu, algo que deixou de fazer sentido.

Fato é que, ninguém conta como foi prazeroso fazer uma mudança. Porque não é. Quando a gente se muda de casa, a gente se muda pra um novo ambiente, com novos ares, e tem que achar nosso espaços, novas rotinas.

O lugar onde você guarda a roupa de cama, não é mais lá. E a cozinha que antes fazia sentido, agora armazena as panelas de outro jeito. Resumo: você está perdido na quantidade imensa de coisas que acumulou. E então o caos se instala. Depois de ter feito algumas mudanças na minha vida, todas elas muito caóticas e engraçadas, vejo que uma casa nova só nasce depois da bagunça.

Parece que é um pacto imobiliário, que você faz com o imóvel. Algo como "Ninguém aqui morará até que caixas e pilhas de coisas se instalem primeiro em nosso chão". E sabe porque? Porque cada casa tem seu jeito. Tem sua janelinha que não fecha na primeira puxada, tem um armário que tem um truque pra abrir, uma parede que descasca, uma porta que range de uma maneira peculiar.

shutterstock_294234533.jpg

A casa vai nos contando a história dela, e a gente está ainda sem saber onde diabos meteu a chaleira pra fazer um café. Com a pressa de arrumar tudo e deixar tudo em ordem (como se houvesse ordem em viver numa cidade como São Paulo) vamos perdendo as grandes lições do caos.

A primeira delas: ir com o fluxo das coisas, e não se tornar uma grande represa de vontades. É natural que a gente queira tudo bonitinho, no lugar, arrumadinho. Mas as coisas vão se achegando depois que você mora. Não dá pra ter ordem onde não existe continuidade.

A segunda: observe quem você é através das coisas que guarda e leva consigo. Nos cantos, nas gavetas dos armários. Papeis de pizzarias que não existem mais, ou objetos que não servem pra absolutamente nada. A gente tem sempre algo que pode ser doado, re-significado ou simplesmente jogado fora. Afinal a maior parte de nós guarda lixo, isso é verdade!

A terceira e mais preciosa dica que eu posso te dar: do caos nasce a ordem. Acredite nisso. Com paciência e com tempo, você vai descobrir seu canto favorito. Vai lembrar de como organizou as coisas no inicio e ver que não fazia o menor sentido. Vai esbarrar pela terceira vez num vaso e vai querer mandá-lo embora, vai esquecer onde guardou as toalhas, não vai saber onde é que colocou os panos de prato.

O que eu posso dizer, é pra que você abrace a mudança de vida, de casa, de condomínio, de apê. A lição de que tudo passa, tudo se ajeita, aos poucos, sem milagres de programas de decoração, apenas com a vivência diária das nossas manias.


version 1/s/sociedade// @obvious, @obvioushp //LUCIANA LANDIM