luciana landim

Devaneiador

LUCIANA LANDIM

Timing it's a bitch

Dessas coisas que podiam ser e não são, só porque você não quis.


A vida é a arte do encontro, embora haja tanto desencontro pela vida. Começo aqui, parafraseando o poeta pra tentar dizer que estamos sempre em busca de uma conexão com outro alguém, que nem sempre está lá pra nós. Já falei um pouco disso aqui. Pode ser um amigo, um crush, um amor, um familiar. É tudo uma questão de timing.

timing.jpg

O que podia ser dito, o que podia ser feito? E fica lá a espera.. As vezes é uma querência, uma carência, uma vontade de sei lá o que. Caçar um assunto, dividir um silêncio, sair pra dançar. Mas esse tal de timing é mesmo um sacana. Quando a gente tá afim, ele nem liga, deixa a gente lá na zona do vácuo, esperando, ansiando, querendo. Quando é a gente que não pode, que não dá. Ele sempre aparece ofertando uma possibilidade.

As vezes é que a gente conhece as pessoas na hora errada, que não estão lá, que não estão nem aí. Uma pessoa que podia ser uma baita amizade, mas que tá em outro tempo, vivendo em outro momento, outra vida. Aquele papo com a família, que teve que ficar pra outra hora, porque faltou grana, assunto, vontade, tempo. Um amigo que tá vivendo um outro momento e não deu tempo de chamar pra dividir, porque enfim, certas coisas são sem explicação mesmo. E ele, o danado, continua a nos sacanear, nos afastar de gente querida, nos aproximar de quem não liga.

Esse cara, realmente.

hands-apart.jpg

Mas ainda existe essa ligação, que nos une, que nos conecta. Aquele passo a mais que se dá em direção as pessoas que nos são caras. Pode ser uma ligação, um whats, colar num rolê, chamar no skype, dar um oi. A oportunidade aparece e de repente a gente já se viu emaranhado naquela sensação boa de se sentir pertencendo. De se sentir querido.

Uma amizade que podia ter ficado ali, num encontro banal, vira um encontro, e dois, e três. E de repente aquela pessoa sabe mais de você que grande parte dos seus amigos. Um crush que se chamou de canto, uma conversa, dois papos e pronto. Eu tô na sua, você tá minha. Vamos se beijá? Sabe isso? Aquele esforço pequeno mais necessário, diante das coisas que queremos, das pessoas que queremos na nossa vida.

Pode ser que tenhamos criado uma falsa ilusão de que as coisas tem que vir fácil ou como num passe de mágica em relação a relacionamentos com pessoas, mas conforme o tempo passa, parece que tem de existir mais esforço pra conhecer gente nova e manter aquelas especiais na nossa vida. E tem mesmo!

Não ligue se o que vão pensar é que você tá dando mole, correndo atrás. Nem encane, se soar estranho ou parecer que você quer isso ou aquilo. Vá atrás mesmo. Não fique bancando o indiferente, o sentido, o tímido. Já que o timing tá de brincadeira, escolha você a hora, o lugar.

Chama os amigos pra dançar, vai falar com a família pelo skype, manda aquela mensagem pro crush. Vai que dá? Já pensou? Vai que eles vão? Vai que rola um papo? Vai que acontece! Deixa pra lá essa história de carão, de fingir, de ignorar, de olhar e fingir que não viu.

Na moral, se o timing é uma bitch, seja você o cafetão!

tumblr_mapgcx40tX1r5mnvxo3_r1_500.gif


version 1/s/recortes// @obvious //LUCIANA LANDIM