luciana landim

Devaneiador

LUCIANA LANDIM

Sobre animais de estimação e suas lições

A grana curta e o coração gigante pra caber tanto amor e fofura!


A primeira coisa que eu preciso dizer sobre ter animais de estimação, como cachorros e gatos é que eles dão trabalho e gastos. Sim, é uma realidade. Mas você deve saber disso, afinal, não faltam vídeos e fotos de bichos destruindo as coisas aí pela internet. Mas aqui estão mais algumas lições sobre amar e cuidar desses animaizinhos, que tenho aprendido desde que adotamos uma gata, uma cadela e uma papagaia "trans".

pexels-photo-115064.jpeg

Antes de ter animais de estimação, você provavelmente passava imune a um pet shop, certo? Não dava trela pra coisas de bichanos, porque afinal, essa não era sua praia. Mas bastou você virar tutora de um bichinho que esses estabelecimentos viram verdadeiros shopping centers onde a imaginação da gente corre solta. Muito embora nossos animais não estejam nem aí pra maioria das coisas lá. E aí, você que achava que ração era tudo a mesma coisa e nem sabia que existia tantos tipos de agradinhos e beliscos para cães e gatos, de repente se tornou uma especialista.

Você achava lindinho um cachorro passeando na rua, e pirava em vídeos de gatos, mas agora você é quem passeia com eles e faz vídeos sem fim das suas gracinhas. Juro, tem mais foto do meu cachorro no meu celular do que da minha sobrinha. Pasmem!

A gente reluta em ser diferente, em adestrar, a tentar não humanizar demais os danados, mas em questão de tempo, tá chamando a gata de filha e brigando com a cachorra porque ela comeu a ração da "irmã". Sim, olha lá você humanizando o bicho, que apesar de sentir o carinho, não faz ideia do que aqueles sons emitidos significam.

Ter um animal de estimação é caro, é custoso e não é pra qualquer um. Admito que em alguns momentos de destruição de coisas pelas quais se tem carinho, você tem vontade de voltar atrás e continuar gostando deles lá nos canais de animais da tv. Mas basta uma lambida, um charme, a barriguinha peluda pra cima e aquele olhar pidão, que você já nem lembra mais o que tinha acontecido.

pexels-photo-113766.jpeg

Pesquisas diversas apontam as vantagens para nossa saúde em ter um animalzinho. Seja porque eles nos fazem sair de casa, seja porque nos trazem alegria, nos tiram da rotina, nos matam a ansiedade e nos curam da depressão. Parece uma carga danada para criaturas que ficam em casa a nos esperar o dia todo. Torcendo por um punhado da nossa atenção e do nosso carinho, não?

Um animal não quer saber se você está mau humorado, ou se no trabalho as coisas não vão bem, ele não pede desculpas e nem cobra você por aquilo que você não pode dar. Ele quer seu carinho, seu cuidado, estar seguro e bem alimentado e o resto ele se vira - ou então mastiga e destrói, rsrs!

Já perdemos as contas dos danos causados, mas também da alegria de uma volta no parque, das voltas pelo telhado que a gata vai dar e volta feliz da vida, da cantoria da papagaia agitada quando vê seu dono chegar. E das vezes em que eles vem pedir carinho, ou dos insetos que trazem de presente, pro meu pavor.

A casa está cheia de pelos, e nunca mais ficou limpa por dois dias ou mais como antes. As roupas então, nem se fala. Receber os amigos ou uma entrega em casa nunca mais foi a mesma coisa, desde que eles chegaram. Mas de fato, eu talvez não saberia viver sem eles, sem suas traquinagens, sem suas manias e trejeitos. Acho que de tudo que eles fizeram por mim, a melhor coisa foi me tornar mais criança e mais humana, como há muito tempo eu não sabia mais.

Ah, e se você ficou curioso sobre a nossa papagaia trans, aqui está.O papagaio já tem 29 anos, e é macho, mas atende pelo nome de Lora. É apaixonado pelo dono e parece detestar mulheres. Logo, somos donos da primeira papagaia trans já vista (ou não)!


version 1/s/sociedade// @obvious, @obvioushp //LUCIANA LANDIM