mapas do acaso

Infinitas maneiras de como o possível pode vir a ser.

Tiago Júlio Martins

Um desbravador de paisagens interiores que já viu de tudo um pouco. Sonha em ser um grande escritor e em transformar caminhos através de palavras. Tem fé no acaso e acredita somente na dúvida.

O amor, sobretudo, o amor

O amor é um cordeiro oferecido ao sacrifício em troca de perdão. O amor é a prova irrefutável de que existe mágica e de que há mistérios que devem ser apenas contemplados. O amor é uma vertigem que dá quando estamos muito felizes. O amor não cabe aqui, nem nele ou em mim. O amor transcende palavras, gestos e fatos. Eu sou só um sujeito ateu que não consegue deixar de reconhecer que o amor é um milagre.


poste.jpg Foto por: Tiago Júlio Martins. Licenciado sobre Creative Commons: Attribution 2.0 Generic (CC BY 2.0)

Estou intoxicado de amor. Estou com os poros abertos e eles pulsam e transpiram amor. Há amor entranhado na minha carne e desregulando minhas sinapses. Há amor puindo irrigações e entornando fora meu fluxo sanguíneo. Há amor afrouxando meu sorriso e escancarando dentes fartos de se exibir. O amor é cavaleiro que dispensa rédeas e me guia cego. O amor expandiu meus sentidos e agora tudo me atinge como raio, como fogo. O amor imprudentemente me tomou pela mão e me vestiu de esperança e de sonho. O amor é um viés inevitável e megalomaníaco que quer abraçar o mundo. O amor está transtornado e quer que dancemos com ele pelo céu. O amor é coragem plena e subjuga todos os medos.

O amor está no espaço entre nós e eu posso senti-lo nos interligando com seu fluxo. O amor vitalizará todos os doentes e erradicará todas as pobrezas de espírito. O amor está na saliva e nos cheiros secretos. O amor vaga pelas noites soturnas urrando para ser encontrado. O amor está sempre distraído e é sempre surpreendente e é sempre pela primeira vez e é sempre como um filme que sempre parece inédito. O amor versa sobre coisas inúteis em versos pobres e chulos que falam de sexo e namoros gentis. O amor explode como um big bang que parece que quer fundir tudo e nos resumir a ele. O amor é um semeador que cultiva fraternidade e faz frente à devastação moral. O amor cura cegueiras com sua luz.

O amor é uma ideia que se renova a cada segundo porque ela se alimenta de pureza e humildade e tudo é bom e bonito. O amor é o palhaço mais engraçado de uma trupe mambembe famosa que, um dia, vai substituir políticos e chefes de Estado. O amor é um mendigo libertino que troca qualquer carinho por restos de prazer simples. O amor é origem, meio e fim, tudo gira ao redor dele de forma descontrolada e lasciva. O amor é um carnaval eterno com blocos de todas as cores desfilando misturados e cultuando deuses pagãos. O amor é a oração mais eficaz já inventada pelo homem e corroborada pela natureza. O amor vai dominar o mundo e reivindicar para si o papel de ser Lei universal.

O amor é vontade de criança ansiosa por subverter ordens caducas e retrógradas. O amor é uma obsessão cheia de boas intenções e maneirismos maledicentes. O amor encontra sossego em abraços demorados, poeminhas de gaveta, olhares ternos e provas de humildade. O amor é um bicho feroz que te afaga como se não teimasse em te devorar. O amor estendeu um tapete de flores pela avenida para abrigar seu desfile de pecados honestos. O amor escraviza corações indefesos que não têm escolha se não amar resignados, displicentes. O amor é um refrão bobo, clichê e piegas que cativa pela sua capacidade inigualável de grudar e tocar mil vezes na cabeça. O amor está travestido de revolução íntima e promessa de redenção.

O amor é um desvio mental que ainda não foi cientificamente classificado porque está além de convenções e metodologias. O amor é a verdade fundamental que responde os dilemas mais problemáticos. O amor é o produto lapidado do acaso e justifica todos os encontros aparentemente aleatórios. O amor fertilizará campos esterilizados pela arrogância e pelo egoísmo. O amor é um mensageiro das estrelas que anuncia as boas novas e nos convida a comungar de sua fome. O amor viola a lógica do tempo e encurta distâncias intransponíveis. O amor tem som de azul e ferve com ânsia de sublimação para se dissipar e contaminar os ventos. O amor está acima da fé e das crenças. O amor será conjugado para sempre.


Tiago Júlio Martins

Um desbravador de paisagens interiores que já viu de tudo um pouco. Sonha em ser um grande escritor e em transformar caminhos através de palavras. Tem fé no acaso e acredita somente na dúvida. .
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/literatura// @obvious //Tiago Júlio Martins