minha mente

Minha mente é uma árvore e minha arte são seus frutos.

Gustavo Galli

Nada além de um pensador

Como escrever bem?

Muitos querem, poucos sabem e muitos acham que sabem. Sem mais delongas: o que é necessário para se escrever bem, afinal?


Adolf_Schmidt_Der_Brief_an_den_Liebsten_1869.jpg Adolf Schmidt - Der Brief an den Liebsten (1869)

Práticas que estão em ascensão ultimamente, a escrita e a leitura representam papéis importantíssimos na formação cultural de qualquer indivíduo. Tenho analisado, porém, que, apesar de muitos terem vontade de escrever e se expressar, poucos têm a capacidade de realizar um bom trabalho. Na verdade, não existe uma fórmula para que determinada escrita seja boa ou não, mas há pontos importantes que previnem uma má escrita. Abaixo, explicitarei os principais pontos que devem ser considerados na hora de passar alguma coisa da mente para o papel de forma literata.

Primeiramente, tenha claro em sua mente que a escrita deve compreender três fases básicas: pensar, escrever e revisar.

Pensar: saiba antes sobre exatamente o que você quer escrever. Há pessoas que simplesmente cospem as palavras no papel sem antes fazerem ideia do que estão discorrendo. Isso é ridículo. Pense em tudo que você quer falar a respeito e relacione, para só então escrever. Lembre-se que você está disposto a fazer uma atividade literária estruturada, e não uma improvisação de rap.

Escrever: é a hora de tornar tangível o que era pensamento. Relaxe e deixe as palavras fluírem. Esteja atento e certifique-se que continua inspirado. A linha de raciocínio é simples: comece o texto expondo a ideia geral, para o leitor se situar. Em seguida, disserte sobre o tema proposto, apresentando ideias e explicações que condizem com sua opinião e pensamento. No final do texto, seja conclusivo. Muitos autores têm terminado seus textos abruptamente, de forma que o leitor fica confuso e, muitas vezes, sem entender a ideia a ser passada. A conclusão deve ser clara e completa. Ela é tão importante quanto o resto do texto. Faça o seu melhor.

Revisar: depois que terminar de escrever, deixe o texto descansar por algumas horas. Desconecte-se do que acabou de produzir para, só então, reler e fazer alterações. Seja coerente e preste atenção se conseguiu manter a ideia original que tentou passar. Se necessário, reescreva grandes partes do seu texto. O que importa é o resultado final, e não o jeito que você o atingiu.

Albert_Anker_Der_Herr_Gemeindeschreiber_Heliogravure.jpg Albert Anker - Der Herr Gemeindeschreiber

Tendo esses três fatores em mente, hora de saber os pontos importantes para uma escrita mais estruturada e profunda:

1 – Leia bastante

Essa é mais do que fundamental, se você almeja escrever bem. Conhecer estilos diferentes do seu, através da leitura do máximo de autores possível é, com certeza, um aprendizado quase obrigatório. Além de perceber novos estilos, é inevitável que ocorra uma expansão de vocabulário e um desenvolvimento de diferentes pontos de vista para as abordagens que você pretenda realizar enquanto escritor. Leia de tudo. Leia muito.

2 – Conheça seu idioma

Se você tem a intenção de escrever extremamente bem, é vital que conheça bem o idioma em que escolheu para passar a mensagem. A maioria dos escritores de internet de hoje em dia não sabem sequer posicionar uma vírgula adequadamente. Grafia correta de palavras e uso apropriado de pontuação deixam seu texto mais fácil de ser compreendido, além de ser respeitoso para com quem está lendo. Se você se julga escritor e precisa de alguém para corrigir seus textos, tenho uma boa notícia: você é um miserável.

3 – Seja objetivo

Se você gosta de ser hipócrita e fingir que tem algo a dizer, quando na verdade não tem, você pode usar uma técnica bem difundida: se esconder atrás de palavras complexas e fora de contexto, construindo frases confusas e redundantes. Assim ninguém vai entender o que você está escrevendo, e você será respeitado por jumentos letrados. Mas se você tem algo firme a dizer, pretendendo ser bem entendido e ter bem estabelecida sua posição, seja o mais claro possível. Isso demonstra seriedade e propriedade, e é isso que os leitores mais críticos esperam em um texto exemplar.

4 – Conheça seus leitores

Não há palhaço sem plateia. Quando for escrever, lembre-se que, além de escrever para si mesmo, você está escrevendo para outros. Saiba como tratá-los e como os atrair. Certifique-se de ter um título que chame a atenção e que seja preciso, além de descrever bem sobre o que o texto trata. Um título desinteressante pode gerar um leitor desinteressado. Saiba também balancear seus escritos para que o leitor não se sinta entediado e pare de ler pela metade. Lembre-se que você deve chamar a atenção do leitor para algo que ele talvez nunca tenha pensado. Faça-o refletir sobre o que leu. Um leitor satisfeito é um leitor constante.

5 – Cuidado com as palavras

A importância das palavras é imensurável em qualquer texto, pois é a partir do encaixe entre elas que você vai conseguir transmitir a mensagem que desejou. Assim como um vocabulário vasto enriquece seu texto, palavras em outras línguas (quando não acompanhadas de seu significado) podem dificultar a compreensão do leitor. Somente as utilize em contextos específicos, e lembre-se que você não escreve somente para poliglotas. Respeite as limitações glóticas do leitor.

6 – Escreva por prazer

Escrever deve ser uma atividade prazerosa e agradável. Se tiver um bloqueio criativo ou não estiver conseguindo passar exatamente o que está em sua mente, pare por um tempo. Se distraia com outra coisa e aguarde a inspiração voltar. Reler seu texto até onde parou pode ajudar a se inspirar novamente. Não esprema as palavras da sua cabeça, pois isso só vai diminuir a qualidade do seu texto. Escreva naturalmente.

7 – Pratique

Como tudo na vida em que ambicionamos nos desenvolver, a escrita também exige prática. A perfeição pode não existir, mas treinar é o caminho para quase atingi-la. Escrever o máximo que puder ajuda, assim como reler textos antigos buscando identificar pontos a serem melhorados. Sempre que puder, peça a opinião de amigos (escritores ou leitores, de preferência), e anote as críticas que achar condizentes.

Georg_Meyer_von_Bremen_Der_Brief_1851.jpg Georg Meyer von Bremen - Der Brief (1851)

Seguindo essas dicas simples, com certeza seus textos serão mais coerentes e mais fáceis de serem lidos. Não se esqueça de praticar, pois é a chave para a ascensão literária. Boa escrita!

(Dedicado a Cintia Fernanda por toda sua atenção...)


Gustavo Galli

Nada além de um pensador.
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/recortes// @destaque, @hplounge, @obvious, @obvioushp //Gustavo Galli