minha mente

Minha mente é uma árvore e minha arte são seus frutos.

Gustavo Galli

Nada além de um pensador

Desconecte-se um pouco do mundo

Cada vez mais há uma sensação crescente de que precisamos estar conectados às pessoas e ao mundo ao nosso redor. Ansiosos por essa intercomunicação, esquecemo-nos de nos conectar com quem mais importa: nós mesmos.


Connection20.jpg

Caso seu celular não seja o mais atual, seu plano de dados de internet o mais rápido ou sua timeline a mais agitada possível, é provável que você se sinta deslocado desse fluxo de pessoas cujo comportamento é comparável ao de bovinos correndo.

Nos últimos tempos, com o crescimento exponencial da velocidade de informação e dos meios virtuais de comunicação, são considerados pior do que pecadores aqueles que não aderiram às mais frescas novidades que aparecem com cada vez mais frequência para a manada. Quase cegos para a vida que acontece enquanto estão conectados (e é quase um crime não estar), eles aparentam estar indiferentes para tudo que não se passa nessa bolha ilusória que criam quando isolam-se nesse mundo perfeito criado em suas mentes, gerando nada mais do que um falso alimento para suprir vossos vazios interiores. E, obviamente, um falso alimento não nutre e não faz nada crescer e evoluir.

No fundo, olhar as sombras na parede desta caverna pode funcionar porque, de alguma forma, é confortável ou conveniente. Pior do que isso, essa vontade de estar conectado às pessoas e ao mundo como um todo pode significar o medo da solidão. No fim, esse medo é compreensível. Mais do que o medo de não pertencer a algum grupo, o medo da solidão pode se fazer presente a qualquer um, mas o que devemos lembrar é que, afinal de contas, nossa melhor companhia deve ser nós mesmos. Ou deveria, pelo menos.

Assim sendo, devíamos realmente nos desconectar um pouco dessa rede intangível para, então, passarmos a nos conectar com a nossa Unidade. Parar de ouvir o que as pessoas estão dizendo e começar a ouvir o que nós mesmos estamos tentando nos dizer. Explorar o próprio eu, analisando nossos sonhos, estabelecendo nossas novas metas, corrigindo nossos velhos defeitos, etc. Tirar um tempo para conhecer a si mesmo para praticar nossas virtudes e eliminar nossos vícios deveria ser mais importante para todos. Mais importante do que ter uma vida vazia, preenchida pelas migalhas que nos possam ser oferecidas num contato supérfluo e irreal através de um mundo online. Preenchamos nosso vazio interior com nós mesmos nossa única verdade, nosso único alimento verdadeiro.

Connection - Cópia.jpg

É importante apenas enfatizar que as relações interpessoais – ou seja, as relações verdadeiras – não se encaixam nessa categoria falaciosa.


Gustavo Galli

Nada além de um pensador.
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/recortes// @obvious, @obvioushp //Gustavo Galli