ministério das letras

Visionário às ocultas

Profeta do Arauto

Apocalipticamente, apostando todas as fichas nas tragédias naturais e dando voz ao caos apocalíptico humano; pois, o Homem é triturador do próprio homem

  • lula.jpeg
    O Álibi dos 10 =

    Canta, mete a boca no microfone, Cazuza:

    "Transforma o país num puteiro,
    pois assim se ganha mais dinheiro".

  • images.jpeg.jpg
    As Nuvens de Algodão, Azulay, não Estão!

    Se as Estrelas, o Sol, a Lua, o Oxigênio, os Ruidoságuas, o farfalhar das folhas e os pássaros lhe oferecer carona na cauda dos Ventos, não hesite e nem se sinta oportunista em aceitar. Afinal, a leveza de viver as coisas grandes, reside nas cores, nos traços e na magia de ser, eternamente criança.

  • Imagen Thumbnail para images.jpeg.jpg
    Zé: Ramalho e do Caixão; amigos para sempre!

    A morte terrorista levou mais um. Sordidamente, a madrasta de todos os viventes do Planeta, levou para seu aprisco soturno àquele que mais investiu, reverenciou, louvou, aplaudiu-a em pé. Morte, morte, morte! Por que és tão forte; e matas o gato, o leão, a formiga, o rato? Morte, insaciável morte que consome o lobisomem, a girafa, o pato, o galo, o Homem!

  • zé de abreu.jpg
    Welcome to Hell

    "Frases lidas, mas não vistas". Deve ter sido com esse pensar que José Saramago escreveu o livro: "Ensaio à Cegueira"; sobretudo, porque a história do Planeta, dos Países, das Sociedades, das Famílias, das Religiões, do Futebol, das Guerras e outras tantas, é contada em frases lidas, porém, diante da cegueira global atual, não vistas. É tanto título de nobreza e informação, que o (in)formado esquece o que leu na hora anterior.

  • gaivota.jpg
    Sounds of the Sea!

    Meeengo, oh meu Meeengo, clube de Regatas que nasceu nas águas!!

    Tuas glórias e passado vitorioso escrito em páginas em branco de livros lacrados, podem ser lidas e esquecidas por todos, mas jamais, por mim.

  • Imagen Thumbnail para 20190311_185109.jpg
    Vento, Brasil adentro!

    Os ventos levantam a poeira e o lixo;
    arribam as saias;
    ouriçam os cabelos das árvores;
    e cantam réquiens e adágios fúnebres nos ouvidos dos prédios e palácios. Por fim...

  • Imagen Thumbnail para 20190311_185109.jpg
    A Indecente Bondade dos Justos!

    Escrito de maneira sucinta, direta e breve, que o Diabo com seus olhos flamejantes, atos ilibados, infinita bondade e acompanhado de seus asseclas, não leiam este texto. E por favor Senhor todo Poderoso das Trevas, suma para outros cantos e não se meta onde não está sendo chamado. Considerando que o Profeta do Arauto é inepto nesse quesito, os justos, injustos, bondosos e desajustados, agradecem imensamente!

  • bici1.jpg
    Bicicleta: pedale essa emoção!

    Se o leitor está patinando, patinando, patinando e não consegui superar as montanhas geladas, transpôr os obstáculos, ultrapassar o volume de lama das trilhas do cotidiano, definitivamente, o ilustre amigo precisa pedalar.

  • Imagen Thumbnail para Imagen Thumbnail para 20180928_091016.jpg
    Como minha bisavó dizia!

    "Quem não tem colírio, usa óculos escuros...; quem não tem filé, come pão e osso duro, quem não teve sorte, bate a cara contra o muuuro. Oxente!"

    Raul Rock Filosófico Visionário Badera Seixas.

  • 20190311_185109.jpg
    Contrário de pintar estrelas, terrorismo adora Dor!

    O convívio relacional entre os povos resumido em apenas uma palavra, composta por 3 letras: paz. Mas também pode ser cor, vão, mel, sim, bom, lua, são, não, sal, fel, mau, vil, céu, sol, dor, ter...

  • gettyimages-1137427764-594x594.jpg
    Catedral de Notre Dame (só para constar nos arquivos)

    O leitor está acostumado a ler excelentes e festivos artigos, crônicas, textos e contos que incitam a reflexão, exemplos à serem seguidos e põem em debate
    a mudança de comportamento e hábitos? Desculpe-me, mas este é apenas um singelo bilhete encontrado em um dos livros "O Corcunda de Notre Dame", existentes no nosso roto alfarrábio, o qual está com as prateleiras carregadas de mofo e enamoradas pelas teias de aranhas, escrito por Victor Hugo em 1831. Talvez, não seja de vosso interesse, lê-lo.

  • siba.jpg
    Toda vez que eu dou um passo o mundo sai do lugar!

    Humanismo não necessita de teorias humanas, ao contrário, basta ser gente, empatizando e simpatizando-se por gente. Pouco praticado, até mesmo pelos que se dizem humanos e humanistas, eis o ensinamento passado pelos singelos senhores da banda Fuloresta e por Siba, propagado! Liderados pelo músico Recifense, com eles tudo é ludismo; e ao dar um passo, milimetricamente rimado, rima o passo dado, no compasso.

  • cassia3.jpg
    O rugido visceral dos felinos: Edson Cordeiro e Cássia Eller

    É indiscutível que os tempos eram outros, a qualidade geracional era outra, o nível da safra era outro; por tudo isto e mais um tanto, os dois faziam música para um público específico, seleto e extremamente exigente, que não engolia qualquer porcaria, motivo deles serem conhecidos e aclamados mundialmente; mas o desvario de Cássia Eller está para a bluzeira Janis Joplin, assim como a garganta antissocial de Edson Cordeiro está para a voz indecente de Freddie Mercury. E sem precisar de tecnologia para regular, equalizar, aumentar, diminuir, subir ou abaixar a entonação grave e aguda das quatro vozes, tanto no palco ao vivo, quanto no estúdio, elas rugiam alto. Eram ensurdecedoras!

  • carta.jpg
    Uma carta escrita por ela mesma!

    A escrita pode dispersar o ódio. Declarar a paz. Incitar os revoltosos; cravejar de verdades os acomodados. Sensibilizar corações; promover alegres e festivos sorrisos; cerrar cenhos; enrubescer faces; derramar lágrimas. Virar o Planeta de perna para o ar; revolucionar o mundo. Assim como a carta crê e carrega dentro de si o potencial evolutivo humano e não abre; a arte de escrever é união estável com a introspecção. Invencível, sensível, inspiradora, sociável, insensível, indescritível!

  • zé de abreu.jpg
    Alvissareiros: um texto de mais Amor que Ódio

    A Legião Urbana em "Que país (de nacionalidade brasileira) é esse", inicia fulminando as estruturas, rompendo dogmas, insultando ideólogos, metralhando a sociedade, com a estrofe: "Nas favelas / no Senado / Sujeira pra todo lado.
    Ninguém respeita a Constituição

    / Mas todos acreditam no futuro da nação".