ministério das letras

Visionário às ocultas

Profeta do Arauto

A inspiração para escrever me vêm sempre que vejo pela claridade de minha razão um querubim corrupto de uma perna, pulando com duas; e invariavelmente desaparece, quando o querubim se transforma num saci com duas, pulando com uma perna. Durante o transe da minha imagem translúcida no espelho, sou um néscio metamórfico e não faço o menor esforço para voltar à realidade dimensional e objetiva nossa, de cada dissabor diário

Fotografias entrecortadas pelo silêncio das Palavras da Natureza

Uma Foto equivale por 1000 palavras; por sua vez, Palavras possuem força motriz. Todavia tenha olhos para apreciá-la e argumentos para usá-las! Inteligente e sábio é aquele que, na dúvida, aguça os olhos com assídua atenção e arregala os ouvidos com fortuita curiosidade.


Se em algum momento de displicência, sensibilidade e desprendimento interior, alguém parar um segundo, somente um segundo, para ouvir o correr das águas, o trinado dos pássaros, o farfalhar das folhas e sentir a brisa fresca refrigerando o seu rosto e esvoaçando os seus cabelos; pois saibam todos, que sou eu expressando as épicas poesias não escritas pelos poetas da natureza!

  • flor.jpg Flor de lótus: a sensível e exuberante pétala/flor dos Botânicos.

As matas, as florestas e as árvores representavam a imensa vastidão da cor verde que os humanos diziam ser a cor da esperança; entretanto, os desumanos as destruíram para transformá-las em papéis e neles escrever os seus vazios pensamentos e as suas desesperanças existenciais. Como consequência, humanos e desumanos desconhecem piamente uns aos outros, embora habitem e usufruam do mesmo território que por enquanto está amarelado pelo tempo; porém, com fortes prenúncios de ser tomado pelo manto cinzento-enegrecido.

IMG_0452.JPG Pentearam o anelado da cabeleira das raízes das árvores nativas com o pente fino das motosserras. E onde plantam eucalipto, não nasce nem gente; [...] em compensação, brotam, nascem, jorram fortunas.

IMG_2656.JPG Ventania: transforme o morro dos ventos uivantes, em limpa energia. Peço não por mim, mas pela necessidade premente, a qual passa o Planeta. Retarde, garanta mais alguns segundos de vida para as espécies e viventes pertencentes à Terra!

IMG_0688.JPG Tenho sede. Dai-me um gole d`água límpida e cristalina e livre-me da secura dos dejetos que descem em cascatas à décadas e mais décadas das chaminés e esgotos urbanos; pois somente a minha autodepuração não é suficiente para o meu reestabelecimento, o que leva séculos para acontecer. Terei mesmo que nadar em rasas nascentes e vazios mananciais?

IMG_0486.JPG
Bem aventurados os artistas que trabalham a terra; pois, com seus pincéis profícuos, calosos e humildes, alimentam famílias, nutrem o mundo, gerando energia, dando vida às espécies.
IMG_0497.JPG

A arte genuína, benevolente e enaltecedora à natureza, não tem residência que lhe sirva de abrigo. Faz morada nas mãos e por onde viaja a ingênua e despretensiosa criatividade do artista.

IMG_0548.JPG Para as espécies polinizadoras, todo segundo exala perfume e labor. Beleza primaveril: melífero sabor em flor!

Apreciar a Natureza com toda sua exatidão milimétrica e interatividade entre os seus componentes é desprender de si e conectar-se com o Criador. A máxima e exata Criação, excluindo a humana, é a mais sublime, o etéreo de toda a Criação divina!

IMG_0689.JPG Imagine os ciclos biológicos das borboletas. Perfeito e belo, não?
Os ciclos não trarão satisfação pessoal e sinal de dever cumprido, se não passarem por demorados e extensos rascunhos. A vida é um desses ciclos que se não for bem elaborado, a probabilidade dos ventos soprarem as estruturas, levando-as à ruína, é grande. Peço licença à elas para dizer-lhes que a vida é uma borboleta e os ciclos as metamorfoses. Suspire fundo, tome fôlego e saiba planeja-los com tempo demorado. Automatismos efêmeros poderão ser o pesadelo do suicida.

IMG_0188.JPG Autorevelação: Palavras e poesia em uma fotografia!

IMG_4239.JPG Nada seria possível se o multicolorido arrebol crepuscular não aparecesse no final de tarde, fechando o dia e desejando uma boa noite para quem irá dormir respirando solícitos sonhos!

IMG_0694.JPG Permita a pergunta: como estas Fotografias entrecortadas pelo Silêncio das Palavras da Natureza, as quais tenho o privilégio de fazer parte, foram parar no Obvious, oferecendo leitura e reflexão ao ilustre apreciador das letras?

Resposta: Agindo à imagem e semelhança; pois, nenhuma mudança acontecerá se não for através da ação individual e coletiva. Para que estejam no Obvious, alguém teve que sair da zona de conforto e sem destino, enveredar-se pelos labirintos e confluências das longas estradas, em busca do que não lhe pertence; mas que neste instante, divide cada detalhe com quem as observa. Espero que tenhas realizado boa viagem, assim como foi a viagem de quem as trouxe na bagagem! E isto basta, é mais que suficiente na inglória divisão de um mundo!

  • Notas: fotos de propriedade exclusiva do autor do artigo.

Não posso deixar de agradecer os artistas e protagonistas das fotos; pois, assim que viam o disparo e ouviam o "click" da máquina, abaixavam-se para não ser manchete no Obvious. Agradeço pela oportunidade e embora sabendo que não os atingirão, dedico esse artigo aos heróis da Terra e do solo; sobretudo, pessoas simples e humildes devem ser valorizadas e respeitadas, sempre!

  • Em cada pedaço miúdo de orgãos, tecidos, pulsar do coração, sangue na face e veias saltadas de cada um dos senhores, via a anatomia dos meus antepassados. Sem vocês, a fome se alastraria ainda mais pelo mundo; afinal, ela está se tornando um bem material! Bravas fisionomias enrugadas, mãos calejadas e peles queimadas pelo sol; vincos e marcas físicas que poucos homens modernos querem ter em seus corpos, mas que usufruem desmedidamente o que por eles são produzidos!!


Profeta do Arauto

A inspiração para escrever me vêm sempre que vejo pela claridade de minha razão um querubim corrupto de uma perna, pulando com duas; e invariavelmente desaparece, quando o querubim se transforma num saci com duas, pulando com uma perna. Durante o transe da minha imagem translúcida no espelho, sou um néscio metamórfico e não faço o menor esforço para voltar à realidade dimensional e objetiva nossa, de cada dissabor diário .
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/recortes// //Profeta do Arauto