ministério das letras

Visionário às ocultas

Profeta do Arauto

Mendigo, andarilho, irresponsável com pedigree de vacante, cínico com passaporte de intelectual que se encontrou, quando não, caminha dentro de sua essência... e adeus hipocrisia, religião, materialismo, futebol, melindres, carnaval, drogas, álcool etílico, taças de vinho, papo furado em botecos, praia, netos, animais domésticos, montanhas, arrebol, política, trabalho, vaidade, beijo insípido, catecismo, alter ego, adultério, viagens, sexo obrigatório e mecânico, filhos bastardos, medicamentos tarja preta, esquizofrenia, silhueta, filhos oficializados, depressão, aposentadoria, terapia, solidão... Chega: morri para os hedonismos dos normais!

O poder regenerador de emoções do efeito elástico

Tenha em mãos um pedaço de elástico roto e nada mais. Alongue-o o quanto possível for e em seguida, deixe-o livre sobre algo. Mire-o detidamente. Sua vida deveria assemelhar-se, espelhar-se, exatamente neste simples e famigerado utensílio doméstico.


Agindo semelhante a um pedaço de elástico, conseguirá superar os traumas, reabilitar-se do desgaste emocional cotidiano e por cima, aniquilará os seus medos.

elastico2.jpgAs imagens mostram os músculos bem definidos, aliados à perfeição do corpo de uma bela e atraente mulher; entretanto, o que importa de fato é a beleza interior e o bem estar emocional. Aliás, além de inseparáveis, tais atributos definem o caráter psíquico, as virtudes e atitudes da pessoa. Equilíbrio emocional é tão necessário, quanto o alimento diário e ambos fazem bem para os sedentos de paz.

bulling.jpg

Sobre o medo, a ansiedade e os "elogios" inoportunos e comprometedores, (e não é preciso ser Psicólogo para saber) são sentimentos que impõem barreiras, impedem realizações, embaralham as vistas e anuviam os sonhos. São fantasmas encapuzados atormentando o medroso/ansioso. Quando não, são os rugidos de um leão faminto, anunciando à presa, que se ela quiser manter-se viva, que mantenha distância. E a presa, ao distanciar dos rugidos do leão, distancia-se de todos os planos elaborados. O firmamento do céu cai por terra. Mas, em contrapartida, o pensador Ralph Waldo disse que “o medo/ansioso é um instrutor de grande sagacidade”. Talvez seja por isso que em praticamente tudo, temos a frente e o verso. A ação e a reação. A causa e o efeito. A cara e a coroa. O sim e o não. A planície e o espigão. O doente e o são. Portanto, faça do medo e da ansiedade, reféns; e use-os como escudo em sua defesa. Sinta-se protegido e sem olhar para trás, avance o sinal do obscurantismo humano.
Sabe-se através de pesquisas e teorias que existem nove tipos de depressões, e o maior número delas, é originado pelo fato da pessoa não conseguir romper com o laço, com a forca a qual envolveu-se. Muitas destas armadilhas estão ligadas às emoções, pressão social e até mesmo familiar. Óbvio que abdicar-se do mundo, indo morar nos alpes e pináculos, tornando-se eremita em potencial e crença, não é a solução para os problemas; que por vezes, foram criados pelo próprio problemático, mas encarando-os de perto e sem medo, pode ser o prenúncio de alívio emocional e o fim das patologias físicas originadas pelos mesmos.

Retirado dos conceitos da Física, um termo bastante usual nos consultórios de Psicologia é a chamada resiliência e no caso, é a capacidade do individuo conviver com os problemas, resistir bravamente à pressão social e na medida do possível, superar obstáculos, sem no entanto, deixar-se abater emocionalmente. Pensando e exercitando a resiliência, o individuo é capaz de redimir dos erros e adversidades, procurando estratégias que o leve ao rompimento das experiências frustrantes e mal sucedidas. Portanto, libertar-se do marasmo e dos visgos que o prende, fará de você uma pessoa renovada de pensamentos e ações. Levará à luz da razão, conhecimento interior e o livrará do aprisionamento íntimo. Afinal, a pior forma de prisão é aquela em que prisioneiro não tem conhecimento do diâmetro do ferro do gradil postos nas portas e janelas da imaginação. A prisão domiciliar é fera temível!

Esqueça, rompa, ponha uma enorme rocha em cima da impressão negativa imposta por você a você mesmo, de que o medo, a ansiedade e a depressão rondam a madrugada. Perca o medo do escuro, caminhe por labirintos sombrios, fique frente a frente com o seu espelho, admita a existência da balança. Coragem, você é mais, muito mais do que imagina ser! Não morra por dentro; pelo contrário, mostre por fora, o sorriso que por longos anos foi reprimido. Aprove e aceite as coisas como elas são. Aprenda a exercitar a tolerância, entretanto, movimente-se em direção ao inusitado. Lamente-se! Lamente-se no sentido crítico e reflexivo. O lamento construtivo é uma excelente saída.
escalada.jpg

Imagine-se um escalador sem o menor conhecimento de como escalar. Inicialmente não se assuste com esse seu novo pensar; com seu novo estilo de vida, pois, críticas desanimadoras surgirão. Em segundo lugar, disponha de tempo suficiente para vasculhar e pesquisar assuntos relacionados ao esporte. Paralelamente, pratique esportes quaisquer, faça caminhadas curtas e gradativamente, quando se sentir à vontade e bem fisicamente, aumente as distâncias percorridas. A última etapa é desafiar os seus medos e ansiedades, realizando a tarefa proposta. No início das escaladas, o cansaço, a fadiga, o desgaste físico e emocional virá como meliante, roubando-lhe a paciência, o ânimo e as forças; porém mantenha-se irredutível, resignado, perseverante e obstinado. Se preciso for, adote o lema: “Eu quero, eu posso, eu consigo. Por tudo isto, devo graças àquele que me fortalece”!

Notório saber que através da contração e dilatação muscular, a elasticidade participa ativamente do seu corpo; e por mais inertes que sejam, estão em constantes movimentos. Entretanto, fisicamente, esse efeito elástico, caso ultrapasse os limites de movimentos suportados no estágio em que se encontra, poderá fadigar e romper. Neste caso, o mais razoável é conhecer os limites da constante elástica e assim, precaver-se dos inevitáveis transtornos que ocorrerão, causando traumas ainda maiores. Estrias poderão aparecer em pleno voo, porém, o antídoto para elas é cautela e precaução no bater de asas. Trocando em miúdos, é indispensável que tenhas conhecimento do estado elástico dos materiais, equipamentos disponíveis e acima destes, conhecimento de si e sua saturação.

esclador.jpgPor mais experiente e preparado que seja, dificilmente um escalador conseguirá atingir o topo do pináculo na primeira tentativa. Os motivos e as alterações de planejamento são várias; porém, pacientemente intensificará os treinos e a pesquisa, desde clima até a questão geográfica da região. Escalar é um esporte em que o atleta tem que ser previdente às adversidades e alterações bruscas repentinas; e como o perigo é iminente, o pré-requisito maior é frieza emocional.

Por fim, como um pedaço de elástico que fadiga num ponto e está apto ao uso em outros, o segredo é não se dar por vencido. Considere o problema como sendo o pináculo e estando lá em cima, tendo dominado toda a situação, grite, vocifere, brade para o mundo, que você pode mais e está acima do problema. Isto é ser resiliente de princípios, isto é saber fazer uso do efeito elástico. Regenere-se dos pesadelos, das forcas e grades que o prende. Liberte-se agora! Já! Sem exageros e moderadamente, valorize cada segundo de sua vida.

Assim que lido o texto, revolucione seus hábitos e costumes, afinal você pode mais! Crer piamente em seu potencial, é o que lhe resta. Boa sorte em sua nova empreitada; mas por favor, conheça-te, pratique o efeito elástico o mais cedo possível, para que cedo possas aventurar-se n´outros recônditos teus. Em outros você! Mostre, exponha, que a casca é a representação fiel do cerne bruto.
Durante o ciclo vital, as idas e vindas, as resiliências, os efeitos elásticos e as vidas operam em função da vida. Portanto, pode-se (e deve-se) respirar muitas vidas! Na contramão, para a morte, morre-se só e tão somente, uma vez! E o pior, a morte não permite barganhas, negociatas e propinas. Portanto meu caro, conclusivamente, viva o efeito elástico enquanto há vida, porque pela morte a de ser vencido!


Profeta do Arauto

Mendigo, andarilho, irresponsável com pedigree de vacante, cínico com passaporte de intelectual que se encontrou, quando não, caminha dentro de sua essência... e adeus hipocrisia, religião, materialismo, futebol, melindres, carnaval, drogas, álcool etílico, taças de vinho, papo furado em botecos, praia, netos, animais domésticos, montanhas, arrebol, política, trabalho, vaidade, beijo insípido, catecismo, alter ego, adultério, viagens, sexo obrigatório e mecânico, filhos bastardos, medicamentos tarja preta, esquizofrenia, silhueta, filhos oficializados, depressão, aposentadoria, terapia, solidão... Chega: morri para os hedonismos dos normais!.
Saiba como escrever na obvious.
version 3/s/// //Profeta do Arauto
Site Meter