ministério das letras

Visionário às ocultas

Profeta do Arauto

O perfil de uma lesma canalha, anacrônica e gosmenta sem perfil, resume-se ao: "Ei, esperem por mim! Não entendo o porquê dessa correria atabalhoada, o porquê de tanta competição, se iremos para o mesmo lugar! Embora não aparentem, sapatos camufladores e tênis mimetistas são egoístas e não suportam retardatários na pista. Faz-se saber, portanto, que se for pelo atletismo cotidiano, não compito e nem sou exemplo de atleta"

Parque Estadual de Vila Velha

Uma Unidade de Conservação (parque) possui múltiplas funções sociais e humanas, dentre elas, destacam-se cultura, lazer e pesquisa.

O Paraná, localizado no Sudeste do Brasil, é um estado que apresenta em sua formação territorial poucas peculiaridades. Razão pela qual, enquanto as suas belezas naturais não conheciam as mãos do homem, era um estado naturalmente sui generis.


pedras.jpg

Geologicamente, o solo paranaense é pouco variável, com predominância para o rochoso. E em razão desta predominação, o Parque Estadual de Vila Velha é um dos atrativos turísticos paranaenses que obriga os olhos do visitante a retroceder no tempo e imaginar as eras que remontam as eras.

Convém citar que o desmonte e a reconstrução se dá pelo intemperismo, palavra proveniente de intempérie; e após as mudanças e alterações das rochas, formam-se outras sedimentares. A Natureza é movimento constante, e para se chegar ao estágio reformatório, o fenômeno ocorre por causa da chuva, do vento, das água dos rios e mares que fragmentam e transportam os minerais rochosos; depositando-os onde bem entender.

E tudo aconteceu quando o homem procurava o real sentido e significado das coisas e enquanto se debatia buscando em qual guichê ia fazer o check-in, para qual território iria despachar a bagagem, em que mundo iria plantar a sua monotonia de vida, a sábia Natureza não só sabia o que queria como fazia a sua mutação, tanto física quanto geológica. E parte desse espetáculo natural, o qual as intempéries, calmamente, compassadamente, dando ao homem uma aula de paciência, perseverança e transformação, foram desmontando as rochas e transportando-as através dos sopros dos ventos e processos aluvionares daqui para lá, de lá para cá, criando oníricos cenários e obras de arte espetaculares, ofertaram gratuitamente à Vila Velha, município de Ponta Grossa, cidade a qual está encravado o parque.

Taça_Vila_Velha.jpg

Como o relevo é bastante uniforme, o parque está encravado na parte que pode ser considerada alta do estado. Internamente, acima da superfície, as intempéries esculpiu uma pomposa taça arenítica para os enamorados, aquecendo as núpcias ao lado de uma lareira, brindarem o bom vinho. Moldou também um possante e mimoso camelo; que ao lado dele, as crianças se sentem grandes, e os grandes se sentem crianças; pois numa foto, tudo é possível e cabe qualquer imaginação.

pedras1.jpg

Já na parte “subterrânea”, além dos mistérios que imperam no centro da Terra e cientista nenhum explica, monumentos de cratera prenunciam o fim e o início do mundo. Como refrigério, um sonoro chuá de águas mareiam as vistas e salpicam gotas, refrigerando o corpo. Sobre esse indescritível espetáculo que embebeda qualquer pena de poeta, as palavras tomam outros rumos, levando o devaneador à Lagoa Dourada; nome recebido em razão de quando tocada pelos sensíveis e rareados raios do pôr do sol, suas águas ficam lindamente douradas. Verdadeiro ouro puro para os amantes, não da riqueza alheia; mas do que é singelo e naturalmente belo.

Como o homem é predador de si, esmiuçando o verbo para os céticos, crédulos, niilistas e plebeus lerem, as árvores do mal com seus grunhidos esquisitos declaram que "raspai a casca das árvores, civilizadamente do bem e aparecerão os frutos selvagens", boa parte do estado foi desmatado, (tema que será objeto de outro artigo, porque, antes do avanço do homem sobre as matas do Centro-oeste e Amazônia, o Paraná era considerado o estado mais desmatado do país) e a área que hoje é parque, sofreu com a ação predatória humana. Entretanto, no início do século passado os governos se uniram e numa força tarefa, fizeram a manutenção, reconstruíram, revitalizaram e recuperaram as áreas degradadas. Agora os visitantes caminham por trilhas pavimentadas, invariavelmente, circundadas por longas fileiras de árvores que lembram túneis verdes, inalando o perfume proporcionado pela botânica local.

cobra.jpg

Onde reina o sossego, o silêncio, o controle de luminosidade, alimentos e temperatura equilibrada, sobretudo, por desconhecerem o condicionamento do ar, os bichos gostam mesmo é de sombra e água fresca, é de se esperar que o espaço seja habitado por toda espécie de animais silvestres. Fora a pretensão do autor deste e as teorias ambientais que não representam a realidade, a fauna local conta lobos-guará, jaguatiricas, quatis, gatos-do-mato, cachorros-do-mato, iraras, furão, catetos, veados, tatus, pica-paus, pombas, perdizes, tamanduás-bandeira e variadas espécies de aves e pássaros.

Em discordância com o nome do parque, as belezas naturais da Vila eram velhas; mas a cada revisita, o ambiente é totalmente renovado por um olhar demorado. Todavia, não obstante, semelhante a uma foto, o inusitado e o paradisíaco ratificam que a Vila transformada em parque, era Velha; porém, além de renovada é bela. Belíssima Vila Nova.

Associando o belo ao desprezível, Brasil, para elogiá-lo ou criticá-lo, deve-se obrigatoriamente, conhecê-lo! E o principal motivo é que as controvérsias rondam os livros! Separando racionalmente o território, do povo que o habita, são poucos, quase zero, os brasileiros que merecem a nacionalidade brasileira em suas certidões e identidades. Povo sem critérios, fundamentos, convicções, conhecimento e raízes, se manterá por tempo indeterminado na superficialidade artificial de ser povo, e jamais uma nação consistente! Sempre com a justificativa que a Europa é o que é, porque tem mais de 2000 anos, os 500 e mais alguns rolos de fumaça de anos do Brasil comprovam o atraso cultural e humano.

O aprendizado e as mudanças transcorrem das analogias do que se ouve, vê e lê sobre os fatos, ainda cotidianos, ou através das guerras; ou são as duas coisas que fazem o homem pensar e repensar os conceitos de cidadania, meio ambiente, conhecimento e democracia? Se o brasileiro é incapaz de formular uma resposta plausivamente fundamentada, a mudez da fauna, da flora e da biodiversidade do país respondem pelos brasileiros. Contudo, mais uma pergunta é necessária: por quanto tempo?

Desculpe-me a petulância e para encerrar de vez, permita-me as perguntas derradeiras: qual foi a última vez que o leitor, acompanhado da família ou não, visitou um parque? Quais foram as impressões e os aprendizados levados para casa, servindo-lhe de inspiração para a resenha no momento da ceia familiar, ou no happy hour com os amigos no fim de tarde?

Fotos de domínio público.


Profeta do Arauto

O perfil de uma lesma canalha, anacrônica e gosmenta sem perfil, resume-se ao: "Ei, esperem por mim! Não entendo o porquê dessa correria atabalhoada, o porquê de tanta competição, se iremos para o mesmo lugar! Embora não aparentem, sapatos camufladores e tênis mimetistas são egoístas e não suportam retardatários na pista. Faz-se saber, portanto, que se for pelo atletismo cotidiano, não compito e nem sou exemplo de atleta".
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/recortes// //Profeta do Arauto
Site Meter