ministério das letras

Visionário às ocultas

Profeta do Arauto

O perfil de uma lesma manca, canalha, anacrônica e gosmenta sem perfil, resume-se ao: "Ei, esperem por mim! Não entendo o porquê dessa correria atabalhoada, o porquê de tanta competição, se iremos para o mesmo lugar! Embora não aparentem, sapatos camufladores e tênis mimetistas são egoístas e não suportam retardatários na pista. Faz-se saber, portanto, que se for pelo atletismo cotidiano, não compito e nem sou exemplo de atleta"

Ideologia, eu quero uma para viver

Golpista que golpeia golpista no coração, tem cem anos de perdão!

Um forte rei, faz forte, os fracos súditos. Assim posto, não há nada o que temer, pois, ao contrário, onde há temeridade, súditos medrosos terão.


beijo1.png

De ultimamente tenho sonhado, curtido, amado coisas ultrapassadas, sem nenhum valor, inócuas, malquistas por parte da sociedade. Posto isso, deleito-me, contraio pingos de orgasmo com carros velhos; comida de bandejões populares; mulheres a preço e custo baixo; fazer passeatas em prol de movimentos machistas; estudar à fundo moscas varejeiras, caramujos e lesmas; apoiar as reformas no Senado; participar de bailes funk com a mulherada dançando na boca do garrafão em cima dos capôs dos carros; e óbvio, o nosso Presidente. E convenhamos, como não morrer de amores por um homem, como ele. Sim, declaradamente, eu amo o meu homem e Presidente de todos os brasileiros!

Às vezes sinto inveja (uma profícua inveja, óbvio!) da nossa Primeira Dama. E como não tê-la, afinal, subir a rampa do Palácio do Governo como acompanhante de um homem como o nosso Presidente, é motivo de orgulho e profunda honradez. Ora, querer um homem daqueles nos aposentos, dentro de quatro paredes, é questão de olhos, sensibilidade, deslizar de mãos bobas por lugares secretos, poder e claro, não ter nada o que temer. Segurança total e irrestrita.

Virando a página do amor platônico e abrindo novo capítulo, não consigo entender porque metralham uma pessoa tão amável; responsável e cumpridora de seus deveres; patriota e operoso político, (tal qual, todos que lá estão) como ele. Em apenas um ano provou ser o Presidente que o Brasil não teve em 500 anos e mais um monte de dias. Gritam, esgoleam aos quatros cantos do planeta, chamando-o de golpista. Ora, como golpista? Golpe de estado é quando derrubam um governo eleito pelo voto popular. Os "democratas" chamam essa "ilegalidade" de rompimento, golpe contra os direitos adquiridos pelo governo, ou pelo líder que o representa. Assim como generosidade gera generosidade e como generosidade não é cabível na política, traição e esperteza se paga com traição e esperteza. É o jogo de xadrez imposto pelos politiqueiros à política brasileira.

Deveras, tal teoria seria de correto entendimento, se estivéssemos em um país sério; em que o poder público priorizasse o desenvolvimento e implantação de projetos que beneficiassem a população; que pensasse exclusivamente em amparar e trabalhar para o seu povo; que devolvesse para a coletividade os altíssimos impostos arrecadados em saúde, educação, habitação, cultura, transporte e lazer. Que fosse exemplo, em vez de fazer manobras para conseguir favores e aprovação de leis e projetos de interesses escusos. Esse pequeno e relevante detalhe não foi declarado, não é lei estabelecida na Constituição Federal; porque se assim fosse, nada mais lógico que a complementasse com leis de exoneração do cargo aquele que não cumprisse rigorosamente com o princípio estabelecido.

Afinal, quantos pratos compõem as leis da balança social? Aliás, é exatamente esse o ponto obtuso, a falha constitucional grotesca, que dá condições aos nossos egrégios governantes de fazerem o fazem. Também puderas, pois, qual o político brasileiro de índole alva que possui culhões roxos (alguém se lembra dessa expressão e quem foi o mentor que a cunhou em seu governo?) imparcial; de caráter o suficiente para criar leis que demandem contra si? Nenhum. Para essa questão, vale os pactos ideológicos e trair as ideologias, é trair os princípios dos adeptos e correligionários de partido. Mas nem tanto, quando se tem um povo despolitizado, que também está preocupado somente com o que se pode beneficiar de uma situação; não se interessando pela leitura dos fatos históricos e a correlação entre eles. Com as oportunidades dadas, aí entram os oportunistas traindo o povo; traindo a pátria; traindo os seus princípios ideológicos. Política é a arte de governar, tese que ficou perdida na Grécia antiga, porque em terra Brasilis, o que vale é o sentimento de "tem que prevalecer os meus interesses e de mais meia dúzia de camaradas nessa empreitada" promovida por politiqueiros e traidores.

temer.jpgEm 2013, a cúpula do PT traiu o movimento e golpeou o povo, chamando o PMDB, seu maior inimigo político de outrora para juntar-se aos seus ideais partidários. A aliança previa até a divisão de poder. Embora atrasado, 13 após a fusão indecorosa, recebeu o troco com juros de mora e correção monetária, pagos com a mesma moeda política e golpe ideológico. Foto de JOSÉ CRUZ/AGÊNCIA BRASIL

O transatlântico cruzava o mar em calmaria e ainda que houvesse algum nevoeiro rondando os mares no lado oposto de seu continente, o notório comandante dizia que nada poderia adernar o seu poderoso navio. Obviamente, o leitor sabe de quem estou falando. Fora essa falácia, outras várias saíam de sua boca de forma amena e acalentadora, como a fluidez das águas; e uma outra que passou despercebida pelos súditos, disse que iria desfavelizar o país nos seus quatro anos restantes de mandato. Indubitavelmente, esse canastrão cidadão brasileiro, mais trabalhou como comissário de bordo para as empresas aéreas, do que exerceu com severidade seu papel de Presidente. E em seus oito anos de voo, conheceu praticamente todos os países do planeta, fez festa na África, EUA, Inglaterra, Gabão, Japão, sem dispender de seu bolso um tostão.

Naquele mesmo ano, descontente com o muito que já possuía de poder, fora o monte de larápios que o acompanhava desde a implantação do partido nos idos de 1980, dissidência de Partidos Socialistas/comunistas, inescrupulosamente juntou-se ao PMDB; assim ganharia como ganhou, mais bancadas no Senado e por consequência, aprovaria os projetos que bem entendesse. Ali começou a derrocada, falência e traição ideológica, pois até então, o partido fizera oposição ferrenha contra o partido, doravante aliado e outros que não se deixaram levar pelas falácias, falsas promessas e contos do vigário do senhor mandatário dos pobres; que em verdade, comandava para os ricos e milionários, pois enquanto esteve à frente do governo quem mais ganhou dinheiro e acumulou bens e riquezas foram as montadoras de carros e banqueiros. Durante o seu mandato, foram recordes superando recordes de vendas e capitalização para uma meia dúzia de empresários. Nadaram no dinheiro.

Cumprindo as promessas feitas na calada da noite, nomeou ... Lobão (pesquem pelo nome: Lobão) para Ministério das Minas e Energia (se estiver errado a pasta, certo que foi Ministro de alguma coisa por puramente politicagem) nomeou o economista Mercadante, senhor que não economiza nem a chama do fogão de sua casa, porque nunca exerceu economia e sempre usufruiu dos cofres públicos para pagar suas benesses familiares, para a Ciência e Tecnologia. Ora, C.T é riqueza do país, tem ser entregue à alguém que seja acima da média, que seja técnico e saiba depurar o ouro em riquezas para o país; e diga-se de passagem, não são poucas. Contudo, colocando as pessoas erradas nos cargos errados, meramente por politicagem, camaradagem e companheirismo, é o mesmo que lançar pétalas de rosas perfumadas aos porcos imundos.

Com o poder político em mãos e com muitas horas de voo, desceu em terras brasileiras para armar com os governadores dos Estados, empresas de Engenharia, mega-empresários e trocar Ministros (o último Dos Esportes foi nomeado somente para essa finalidade) silêncio da madrugada para trazer os mega-eventos, cito: Papa no Rio de Janeiro; Jogos Pan-Americanos para o mesmo estado; Copa do Mundo, Olimpíadas e Para-Olimpíadas; obviamente, para o Rio de Janeiro. Estado que, exceto a região de Campos que é farta em petróleo e por isto, próspera e progressista; o resto não produz nada a não ser turismo, futebol e as suas manias prostituidoras, tráfico e tiroteios nos morros. E não está pior, numa gerra civil ainda mais acirrada, porque os mega-eventos foram criados, unicamente, para lesar o resto do país, em apoio financeiro ao Estado. Porém, o dinheiro acabou, os larápios escafederam-se e como fica a situação da cidade que já foi maravilhosa, ... Pezão e cia? Novamente: pesquem pelo sobrenome: Pezão!

Circo montado. A plateia de palhaços apostos. Tudo aconteceu em 10 anos passados, quando o Brasil estava aprumando as pernas pelo saneamento feito pelo FHC, por sinal foi mais Presidente que todas essas megeras; mas por sua vez também contribuiu para o Presidente fantasma que viria depois, alterando a LDB, (Leis de Diretrizes e Bases) criando cursos à distância, acabando literalmente com os cursos técnicos, liberando verbas para os oportunistas ligados á Educação transformarem escolas quaisquer em faculdade ( segundo matéria da UOL, Ministro do STF, Gilmar Mendes é sócio de faculdade que recebeu R$ 1,4 milhão do Fies...) sem laboratórios e professores capacitados; coisa que o seu sucessor soube explorar com maestria, sucateando e tornando pior, o ensino que já era ruim. Nos últimos 15 anos, qualquer cão sem dono possui diploma que chamam Superior. Superior em quê? Qual é a tecnologia produzida no país? O que é analfabetismo funcional? Como disse Arquimedes, "dai-me uma alavanca e um ponto de apoio que moverei o mundo." Por causa dessa lavagem de consciência educacional, vendedora de diplomas, estamos sem profissionais Superiores que pensem, planejem e projetem; e técnicos e mão-de-obra competente que saibam ler e implantar o proposto em projeto. Qual é a empresa que abre as portas para quem não sabe assinar o nome; foi-se a época que pagavam pelo canudo?!

Mais uma: no simpósio realizado na Dinamarca sobre Meio Ambiente, falando asneira que só, contando mentiras como de costume, (nunca presidiu, estava mais fora do que aqui) quando chegou ao Brasil, por ser final de ano, fez campanha deslavada para que os brasileiros comprassem um carro e só não sabe quem não dirige, é o agente terrestre mais poluidor dentre todos. Fato é que sobre Meio Ambiente, a ex-Ministra da pasta, Marina Silva saiu metralhando o notório comissário de bordo, dizendo para quem quisesse ouvir que, irresponsavelmente, não cumpriu nada do que havia prometido. Seguindo a derrocada ambiental, liberou a construção da hidrelétrica de Belo Monte no Pará para os canadenses.

Faz alguns anos o UOL publicou uma extensa matéria sobre o caso e dentre as várias entrevistas, o Bispo de lá disse cabalmente que se Deus existe, o crápula que aprovou o projeto irá para inferno de corpo e alma, por prometer tudo e não cumprir nada. Haja inferno para tanto mentiroso! Sem conter a emoção, o Bispo disse que seu povo esta(va) morrendo à míngua pela falta de saúde, comida e demais coisas de primeira necessidade. Se for enumerar, daria para escrever enciclopédias; portanto, que todos eles são serviçais que não vale meia pataca e não querem nada com a pátria amada, quanto mais com a procuração passada para eles através do voto popular, isso é FATO; mas detonar, crucificar o meu amor que está lá a um ano e como previsto, poria a faixa e nada mais, é no mínimo marcação cerrada, tipo do perna de pau do Dunga atrás do craque Maradona. Lembram? Por mais e mais, somos da mesma nacionalidade. Qual? Em meu RG está como brasileiro, uai! E se não esqueço de minhas raízes e origens, por que iria esquecer das canalhices e trapaças feitas por aqueles que não me representam, afinal, não recebi como legado a traição ideológica de princípios: ou rei, ou mendigo; e jamais súdito de rabo enroscado no rabo de poderosos?!

À luz da imperceptível decência, a oportunidade, o esquecimento dos ferrolhos destravados, a displicência política do povo, a inobservância de quem caminha ao lado e o cochilo do sentinela, faz o ladrão, aguça a percepção do traidor, estimulam os sentidos dos inimigos; e depois que aconteceu, babau... ore para Deus e confesse seus medos e pecados para o Papa. Estou com 221 anos e comemorarei aniversário ainda esse mês e ouvi isso de minha tataravó, que viveu em tempos muito remotos. Completava suas histórias ultrapassadas, dizendo que em seu tempo não haviam ideologias e sim, comprometimento, seriedade e atos praticados. Essa minha tataravó... coitada, de tão fora de seu tempo, morreu de desgosto e desprazer! Que saibam todos, venho de uma linhagem de longevos e minha tataravó, por exemplo, viveu mais de 500 anos.

A realidade é que em se tratando de política brasileira, por não ter um curinga na manga da camisa, bom jogador não é, ou nasceu morto. Afinal, as jogatinas com cartas marcadas não permitem inocentes, honestos plenos e presas difíceis de serem predadas.

Fim do rito; fim de papo; fim do texto; fim do escrito! Vou parar de escrever, pois estão me solicitando um beijo. E após a política do beijo, a batalha é na cama, local quente em que choro as lágrimas da dor, mas que também gozo o prazer do amor...; claro! Puxei as cortinas, com licença!

E por favor, nada de greve geral no próximo dia 28. "Deixe o Homem (meu amor) trabalhar"; não era esse o lema empregado pelos seus antecessores e plenamente aceito pelos senhores? Trabalharam tanto em mais de 10 anos, que deu no que deu... falência múltipla de órgãos do país! Em vez de destruir o que não vos pertence, atente-se aos fatos históricos, identifique-se com as suas origens e raízes e saberás o que, não somente significa, mas terás Uma ideologia para viver. Ela poderá ser seu vivaz alento político no futuro, ainda mais sabendo que a safra de candidatos está chocha, estéril, totalmente carunchada. Para 2018 faltam algumas horas.

- Ei, para de escrever e me beija!

- Já vou, pera, quieta aí muié! Amacie o couro, aqueça a comida, que sobrô para ancê tumbém! É que ideologia, eu quero uma para dar sentido à minha escrita e direcionar minha vida para tudo que for reto; sem curvas e desimpedido de sinuosidades; em contrapartida, para tudo que for dotado de fidelidade, licitude, honesta cumplicidade, ereto. Será que conseguirei tais coisas sem as temeridades, temer; hem muié?

P.S.: Para pequenos feitos, grandes sonhos. Para um pequeno Partido, grandes líderes falazes. Para um país de incompetentes e desqualificados pela cegueira política, levando consigo enormes canastras vazias de ouro puxadas por cabriolés, gigantes larápios de olhos gordos no Poder.


Profeta do Arauto

O perfil de uma lesma manca, canalha, anacrônica e gosmenta sem perfil, resume-se ao: "Ei, esperem por mim! Não entendo o porquê dessa correria atabalhoada, o porquê de tanta competição, se iremos para o mesmo lugar! Embora não aparentem, sapatos camufladores e tênis mimetistas são egoístas e não suportam retardatários na pista. Faz-se saber, portanto, que se for pelo atletismo cotidiano, não compito e nem sou exemplo de atleta".
Saiba como escrever na obvious.
version 5/s/recortes// @obvious //Profeta do Arauto
Site Meter