ministério das letras

Visionário às ocultas

Profeta do Arauto

Próximo, lado a lado com as teorias e longe, anos luz da solução, sigo impotente, escrevendo nada de óbvio em palavras não lidas; e se lidas, mal interpretadas, para a Obvious

O último diálogo - primeiro ato

Encontrar-se, é a confluência ou o desvencilhamento de um caminho, trilha ou estrada com a outra.


"A superiorização da ciência tecnológica, o escravismo do trabalho, o dinheiro corrompendo a dignidade, as gaiolas do ego e as passarelas da vaidade são para os doutos e celebridades que possuem dom para a prisão. Eu preferi ser pássaro silvestre analfabeto, porém, aguardo pacientemente na fila pela minha vez; e quero morrer humildemente sábio e libertário de princípios. Sou sim, néscio tateando os labirintos da obtusa ignorância e assumo meus atos. Hashtag # partindo em direção à LIA: Liberdade, Independência e Autonomia". - esse foi o derradeiro discurso inflamado do ultrapassado Felisberto em 2017.

pai e filho.jpg

Seo Bertinho, como é carinhosamente chamado nos arrebaldes, é um moçoilo animado e feliz da vida. Quando criança, acompanhando seus pais de gravatinha, sapatinhos lustrados e a bíblia que ganhara debaixo do sovaco, chegara frequentar a "Primeira Igreja Encontro de Deus com seus Filhos" por muitos anos. À ocasião, para alegria e deleite dos progenitores, cantava de peito estufado e com voz afinada no coral da igreja. "Lindo, lindo". Seus pais guardam as recordações do cabelo jogado de lado em vários álbuns de fotos de família. Bertinho com o tempo, segundo declara animadamente, por não se identificar com coisas divinamente sagradas de Deus onisciente, sabedor de todo sofrimento e mal humano, preferiu se desligar da religião. Ao ter certeza que o filho desistira de vez da igreja, sua mãe devolveu o presente para o pastor. Limpa, limpa, com as páginas brancas como a neve, a Bíblia estava do mesmo jeito que fora dada. "Deus seja louvado. O sangue do cordeiro tem poder, irmã. Ele voltará um dia, tenhamos fé! Embora leve, muito mais leve que o pecado, a culpa recairá sobre todas as mentes e Deus todo Poderoso, aliviará os culpados.

Os seus pais seguem firmes e para consolidar os corações em Deus Pai Redentor, batizaram-se nas águas correntes do mar. Está previsto comemorar o batismo de fiéis seguidores do Pai Celestial, juntamente com a santa ceia de virada de ano. Seguindo as ordens doutrinárias da igreja, não comemoram o natal. Respeitam, mas é dos consumistas católicos. Aliás, retiraram dos nichos e paredes, os santos, flâmulas, bandeiras, garrafadas, presépio, bengalinas, sininhos, guirlandas, chaminés, tudo concernente à festa maior de final de ano. No que depender da atual crença, paganismo e idolatrias não entra em vossos corações, nunca mais. Afinal, não se pode adorar dois deuses ao mesmo tempo. "Louvado seja o nosso Deus Pai, único rei dos reis e fiel amigo de seus servos".

Bertinho hoje está no auge de suas 35 primaveras e não fuma, não bebe nada que contenha álcool, não namora e se não namora, supõe-se que não é morcego comedor de frutas; bem como não acompanha as sombras que seguem os maus caminhos. Quase um feliz puritano. Todavia, com seu raciocínio astuto e rápido, ao mesmo tempo cauteloso, equilíbrio metal e percepção aguçados, fuçando os seus 25 anos de obscuridade no mata tempo da internet, aprendeu jogar xadrez e agora tendo o que fazer, passa dias e dias nas rodas de amigos em praças, jogando. Sua genialidade não lhe permite perder uma partida, sequer. Por isto, é muito bem quisto. Quando perguntado sobre a soberania da felicidade e a correria do dia a dia que os homens levam, responde que tudo na vida e encontrar-se no meio da multidão de cartas marcadas é apenas questão de tá-lento; quando não, culpa do Presidente Temer que está cavando a cova e enterrando o nosso estúpido povo; que dá aos pilantras poder e quando vem a ruína, não se põe diante do problema. Quando enfurecido, (o que é raro) chama seus compatriotas de omissos.

- Esse meu povo não sabe e jamais saberá o que é votar por convicção, ainda estamos na era do "eu voto naquele camarada, primeiro porque é o "menos ruim"; segundo porque é do fundo de minha casa. Outra, porque envia uma carta ao Posto de Saúde, solicitando a liberação com urgência dos remédios controlados da Dolores, mês sim, mês não; e por último, às vezes, empresta-me a panela de pressão. Como não dar o voto para uma pessoa, um gentleman, para um ser superior, para um amigo e compadre, desses?!

Ninguém entendi bulhufas do professado por Bertinho; porém, o mocinho sempre tem uma carta compatível ou um curinga na manga para combater o onirismo dos corsários e transcendências dos piratas. Travessias tormentosas exigem precisão no descarte:

- Não passamos de provincianos, achando que somos cosmopolitas! Ratifico: povo provinciano; ou melhor, suburbano. Eu não, mas esse meu povo, sim. Tô vendo tudo; tudo, tô vendo!

Felisberto é felicíssimo e por não possuir nenhuma habilidade para seguir o exemplo de seus pais, que suam as caras malhando a enxada em solo árido no campo, tem tempo de sobra para escrever poemas estilo Augusto dos Anjos, filosofar as intimidades do vazio da maiêutica de Sócrates e amar a boa vida no superlativo. Com essa passada e rigorosa premissa de vida, a estrada nunca lhe faltará e por mérito, a caminhada lhe será leve.

- Amém!

Nas orações, Bertinho agradecia ao Raul algumas coisas que aprendera com o "Maluco Beleza". Sim; rock, o jogador de xadrez curte. Aliás, são as únicas duas coisas que deveras gosta...; e como gosta. Dorme ouvindo Raul e acorda dando xeque mate com o Rei, comendo todas as peças dos adversários fictícios.

O último diálogo:

A letra escrita por Wilson Aragão foi dedicada, exclusivamente, para um Bertinho que tem sérios problemas com a previsibilidade perpetuada pelas famílias e sociedade.

É mais fácil o esparrame da mediocridade denominada Tiririca (ex-deputado), Pelé (o rei da bola) Ronaldo (o fenômeno), Galvão Bueno, Roberto Carlos (rei da música) Adriano (o imperador) Temer, Lula, (a alma mais honesta do país) Neymar (futuro príncipe) e demais canastrões que em nada contribui para a intelectualidade, cultura e política brasileira, serem aclamados e reconhecidos pela lucidez da cúpula, que os excelentes experimentalistas Santos Dumont, Oswaldo Cruz, Juscelino Kubitschek, Machado de Assis, Santos Dumont, Paulo Autran, Inesita Barroso e outros catados com a mão esquerda por Deus, serem vistos pela ignorante e decrépita massa coadjuvante da mediocridade.

Por que papaaai?

Por que em terra de incultos nutricionistas, o abalo sísmico é cíclico e quem possui e usa uma potente levedura fermentada, faz crescer o biscoito. E a massa come com prazer, gosto e deleite.

Por que papaaai?

Por que em terra de incultos, quem faz uso de metáforas, hipérboles, metonímias, idiossincrasias, onomatopeias, redundâncias, ironias, polissíndetos, sinonímias, aliterações e outras figuras de estilo em seus escritos, não é lido.

Por que papaaai?

Cê quer parar de perguntar, filhooo?

Por que eu tenho que parar de perguntar papaaai?

Por que sapiência se faz com curiosidade, percepção e arguições.

O que é arguição papaaai?

Por que em terra de incultos, quem é surdo, mudo e cego, também é, ou será um rei parasita; e não morrerá, jamais.

Por que papaaai?

Por que faz prevalecer a mutação genética em seus ideais de vida e sobrevivência.

Chega de ser cáustico FdP e vomitador na cara da sociedade, papaaai...

E você que vá cumprir com seu papel social, trabalhando e sendo produtivo, filhoooo!

Por que tenho que trabalhar, se o momento é de desemprego e crise, papaaaaai...?

Por que lavar banheiros e carpir feijão não são profissões indignas e auxiliam no PIB doméstico, filhooo! Portanto, lavar banheiro e contribuir com a humanidade é ser culturalmente capaz, filhooo!

Cultura é poder e lavar banheiros é para os incultos, certo, papaaai?

Está definitivamente decretada a nossa separação, segue seu caminho musgo parasita infame...; se quiser comer, beber e dormir, você que vá se virar, procurar outro substrato para apoiar sua indolência...; o mundo é grande e a casa de papai é nada para sua imensa sabedoria cultural, filhoooo!

Seu velho ranzinza de merda; monte de adiposidade ambulante! Escravo do trabalho. Aposentado de araque, sua saúde é diamantina...

Sob a poesia da separação, as cortinas se unem e encerra-se o embate, ou melhor, o primeiro ato do teatro da soberania familiar:

Para mudar a postura e sabedoria dos cultos em terra de incultos, somente soltando um enxame de abelhas no lombo deles. Impossível haver ação, se não houver reação; e vice-versa. No globo terrestre tudo é movimento constante e cíclico, exceto no indolente universo humano. Portanto sem uma gota de remorso, boto para andar com suas próprias pernas, quem as tem...; sempre! Agindo assim, a Natureza agradece pela evolução e gregarismo de todos os que dela dependem.

Bye, bye filho querido! Não sei a humanidade, mas esse meu filho não possui nem 1/10 da valia de um grão de mostarda, por consequência, não é viavelmente, democrático. Aliás, está mais que provado que a democracia não deu e não dará certo, nem na Grécia; berço dos teóricos. Os ossos do povo grego estão tombando aos poucos. Como estão os ossos estruturais dos filósofos? Já perecerem, esfarelaram faz tempo nas catacumbas. Pensando na democracia brasileira, tanto quanto a dos gregos, é ciência velha, ultrapassada, anacrônica; e necessita, urgentemente, ser esculpida, recriada, restaurada, redemocratizada.

Minha flor, se pela janela olhar / a minha sombra verás.

Partirei depois que a lua surgir / antes do dia raiar;

Porém, o filho prodígio à casa torna / para mais prazer / ao papai dar.

P.S.: A peça de teatro comentada. Prêmio Nobel de Literatura 2018: "Brasil, mais de 500 anos de corrupção, desordem, encontro de balas perdidas nos morros, dinheiro na cueca, indisciplina, tráfico, putarias, falência da família, falcatruas, retrocesso e solidão".

Inicialmente, o troféu será mostrado em carreata pelas ruas do Rio de Janeiro, que é a "Cidade mais bela de todas as maravilhas" e posteriormente, para todo Estado; seguindo, a mais famosa conquista brasileira irá percorrer as principais cidades do Rio Grande do Norte; e com o tempo, passará pelo resto do país.

Confúcio adorava criar confusão palavriada e sob um ataque psicótico de sabedoria, não havia super dosagem de remédio tarja preta: Clorpromazina ou Aripiprazol que aliviasse ou desse jeito aos seus pensamentos evolucionistas, disse que "Não se pode esculpir em madeira podre e nem aplainar uma parede de esterco seco".


Profeta do Arauto

Próximo, lado a lado com as teorias e longe, anos luz da solução, sigo impotente, escrevendo nada de óbvio em palavras não lidas; e se lidas, mal interpretadas, para a Obvious.
Saiba como escrever na obvious.
version 9/s/literatura// @obvious, @obvioushp, @obvious_escolha_editor //Profeta do Arauto