ministério das letras

Visionário às ocultas

Profeta do Arauto

Um Rebelde depressivo, que faz da rebeldia, patrimônio

O Álibi dos 10 =s

Canta, mete a boca no microfone, Cazuza:

"... Canibais de nós mesmos,
Antes que a terra nos coma,
Cem gramas, sem dramas;
Por que que a gente é assim?"


A gênese:

Florada zumbizada,

Pelas abelhas,

Colmeia deflorada,

Transbordante doçura derramada.

lula.jpegUm corrupto fazendo campanha para o assecla, incomoda o honesto. Dois corruptos incomodam muito mais. Três ou um exército, é muita sacanagem, junta! Certamente, por ser brasileiro, Deus não merece toda essa traição.

Quanta diferença entre as sociedades:

Uma é ajuntamento melevolente;

A outra,

Separação padronizada,

Fel malevolente.

Como se comportariam os animais, de modo geral, se fossem iguais aos humanos...

O mesmo discurso, sempre:

Recentemente, a turma do [email protected] disse que com a derrama deliberada de vinténs, melhorou a renda de miríade de brasileiros. Discurso igual dizia a súcia do Lula, ex-detento e líder maior dos miseráveis, que tirou mais 40 milhões de brazucas da linha de pobreza.

Uai sô, analisando as falas de um e outro, como pode em menos de 11 anos, mais de 60 milhões de Identidades de mesma nacionalidade, incluindo engenheiros, professores, militares, advogados e outros doutos mais, receberem a merreca 600 reais, (aproximadamente 115 dólares americanos) por 5 meses.

Esquecendo-se do que dissera em sua gestão, o Lula fará campanha contra, dizendo: "gorpe fascista, gorpe! É gorpe...; o nosso pobrema é os gorpistas. Encostaram o Assis, mas o machado amolado dele, tá gorpiano. Gorpe dos fascistas, muito gorpe nesse país"!

Alias, sobre classes profissionais e corrupção deslavada, um fulano engenheiro, recebedor do Auxílio Emergencial, profissão que no parecer do dito-cujo (ou Dito sujo) está acima da cidadania brasileira, desmoralizou o fiscal, que cumprindo com o seu dever, exigiu dele a colocação da máscara. Episódios iguais ao visto pela massa bruta, ocorre de Norte à Sul no país, constantemente; provando que há algo de rançoso no Reino do Pau Brasil.

Para uns poucos, o Brasil é o Jardim do Éden celestial. Para mais de 60% da população, as caldeiras borbulhantes do inferno. E para o restante, o purgatório; onde pagam-se os pecados, sorrindo, enquanto que deveriam chorar.

Como predisposto pelo Caipira,

"Corrupção no Brasil é mato",

Continue lendo a racionalização dos fatos:

A ignorância dos burocratas Brasileiros sobre o que é pobreza é espantosa. A pobreza no país irá persistir enquanto persistir a crença no governo de que ela se resume apenas à posse de bens, portanto pode ser reduzida num toque de mágica pela simples distribuição de dinheiro.

Deleito, curto demais ser pobre, porém, detesto, odeio a pobreza, pois a massa bruta é semelhante à alguém que está afogando e o salva-vida vai socorrê-lo; e se não desmaiá-lo e puxá-lo pelos cabelos, o afogando atarraca no pesçoco, pula com tudo no corpo do salva-vida, levando-o para o fundo, sob risco de ambos afogarem.

Diretamente, a pobreza tem mais a ver com o bem estar físico e mental das pessoas ( conheça e confira como negociam os sobreviventes de uma favela, mas que não fazem nada mais, que o escambo deles, de cada dia) o que depende em grande parte do ambiente em que vivem. Se a pobreza tivesse apenas uma dimensão, já teria sido eliminada faz tempo.

A pobreza é uma doença contagiosa. Bem, pensando na execração popular, devido tamanha ferinidade: "um mal necessário", fica melhor.

Para simplificar o descrito nos dois parágrafos acima, tome como exemplo o IDH: Índice de Desenvolvimento Humano, do país. Se não houver manipulação dos dados, através dos números, minuciosamente pesquisados e obtidos, verá em que patamar a população goza de boa saúde. Grau elevado de escolaridade e por último, o poder aquisitivo da população.

Em todos os quesitos, estamos atrás de muitos países da América do Sul, dentre eles, o Chile, Argentina e Uruguai. No entanto, quando comparado qualquer um dos três, com a grandeza territorial do Brasil, é vexatório estar atrás desses países; e empatado com a Colômbia.

Mas, há uma explicação, óbvia: ordinários administradores do suor alheio, originando, péssimo planejamento do que é público; ou o Brasil ainda é uma província, ostentando o título de República?

Contudo, a maior porcentagem de ignorância e estupidez está, exatamente incrustada na pobreza, pois além de procriar feito rato, não discerne e nem tem sabedoria para entender, que é o pobre que alimenta o político; portanto, o sistema quanto mais pobre, proporcionalmente, será a felicidade dos que mandam, dispõem e comandam o país, os quais nunca entraram numa favela, ou nos territórios áridos das longínquas periferias das megalópoles.

O primeiro mandamento a ser seguido pelo postulante a político, é que entre os confrades não se preocupa com a qualidade, mas sim, com a volumosa quantidade; porém para isso é preponderante que o ingressante conheça e faça um estudo mercadológico, que nada mais é, que estudar as necessidades e fraquezas de seu público.

Nessa hora, os números é poder, governando a massa bruta, por eles.

Canta, mete a boca no microfone, Cazuza:

"Transforma o país num puteiro, pois assim se ganha mais dinheiro".

Estando dentro, para garantia de poder e melhoria nos índices de popularidade, sempre investem em publicidade, no marqueting pessoal e enviam uma lembrancinha em espécie, cuja finalidade e aquietar e manter a manada confinada. E a manobra política não ocorre só em períodos de pandemia, crises econômicas, épocas de desemprego. No momento, o Corona é o responsável pela justificativa da falta de planejamento a longo prazo, seriedade e competência em administrar os recursos naturais, os quais deveriam ser transformados em riquezas e bem-estar humano; finalizando em IDH, deveras elevado. Aí, quem sabe estará no topo, ao lado da Noruega, Alemanha, Dinamarca...; afinal, o Brasil é ou não, o país do futuro?

Abstração do n°1 aplicada às humanas

1×1=1 - igualdade absoluta

1÷1=1 - igualdade mantida

Mas,

1-1=0 - pereceram os dois

1+1=2 - um, ficou sem nem 1.

É o didatismo matemático do número 1 explicando as condutas dos humanos; e o estudo das humanas complicando a matemática relacional humana.

Quando não encontramos dificuldades até nas facilidades, complicamos o que deveria ser de fácil entendimento.

Gente é bicho estranho e não sobrevive sem criar e enforcar-se nos nós dos números, criados por Ele; afinal, além de pensar, possui o dom da racionalidade e livre arbítrio.

Signos, Imagens, corrupção e nacionalidade representam um povo, tanto quanto, o álibi dos 10 iguais; redundando em cultura de aço inoxidável, difícil de ser oxidada. Rompida; elos quebrados. Com efeito, parafraseando a escatológica "a merda não vai dar para todos", que foi capa principal da revista e pasquim "Mad", nos idos anos de 1990, as vantagens e benesses não vão dar para todos.

Fechando com dois pensamentos de Matuto astuto, que não cai na emboscada numérica:

Contra o poder não há resistência. Embora que a resistência poderia ser efetivada nas urnas; contudo, as urnas são atacadas pelos números, rendem-se facilmente aos agrados e são vulneráveis às lembrancinhas. Daí, deve-se admitir que até as urnas são corruptas.

Tem pessoas que se não estiver tirando proveito e levando vantagem em algo, (com a palavra, o nosso Gérson, canhota de ouro da copa de 1970: "eu gosto de levar vantagem em tudo; leve vantagem você também, fume Vila Rica") sua generosidade e bondade não é tão generosa e bondosa, como Ela supõe ser. Essas, são como as moedas: possui cara e coroa; e nada diferencia do aforismo que diz: "quem vê cara, não vê coração", sobretudo porque também dizem que "de bonzinhos e generosos, o inferno tá cheio, saindo pelo ladrão".


Profeta do Arauto

Um Rebelde depressivo, que faz da rebeldia, patrimônio.
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/sociedade// //Profeta do Arauto