mudando algumas certezas de lugar

Acomode-se, vamos comemorar os nossos desastres. Aceita cookies?

Nathália Moura

Curiosa nata, quer conhecer saturno, escrever um livro, fazer um café decente e conseguir que um girassol sobreviva em um apartamento.

Inside Out - uma perspectiva animada da delicadeza de ser humano

A Disney traz uma história nova para nos instigar, dessa vez não há príncipes, nem princesas, a bruxa vilã e muito menos mágica - há somente imaginação, a nossa imaginação. Inside Out (ou Divertida mente, aqui no Brasil) nos induz à uma viagem dentro de nós mesmos. (Desculpe, mas já aviso, há spoiler)


aqui.jpg

Uma produção da Pixar, juntamente com a Disney, o filme é dirigido por Pete Docter - conhecido por dirigir outras animações como Up, Monsters, Inc., Toy Story - Um mundo de aventuras e WAAL-E (Outros longas que nos trazem lindas lições)- foi lançado dia 18 de junho e conta com cerca de uma hora e meia.

A história começa como todas as histórias começam - ao nascer. É daí que experienciamos o primeiro contato com o mundo, e podemos dizer que é aí que também nasce a nossa Alegria? Pois bem, brevemente chega a Tristeza, o Medo, a Raiva, o "Nojinho"- Esses cinco elementos são uma espécie de administradores da personalidade de Riley, uma garotinha que nos mostra sua infância de maneira um tanto quanto comum, mas revelando-nos a sua perspectiva, a sua percepção acerca dos fatos, que são regulados pelos cinco sentimentos básicos em forma de personagens na trama.

Thumbnail image for INSIDE-OUT.jpg

Suas lembranças são guardadas em bolas com cores correspondentes ao sentimento que remete à lembrança, seja ele - alegria, tristeza, raiva ou nojo (repulsa). E assim vai sendo construída a personalidade de Riley com os anos. Tudo parecia bem, a alegria sempre estava no controle, mas o imprevisto aconteceu. Os pais de Riley - que já estava com seus 11 anos - tiveram que se mudar para uma nova cidade e é aí que tudo entra em choque.

De início, a Alegria, toda positiva, cria expectativas que acabam, posteriormente, sendo frustradas. Seus companheiros a pressiona, mas ela consegue ainda ter boas perspectivas, ideias e continua fazendo tudo que pode para assumir o controle da vida de Riley.

Mas em um incidente, a Alegria e a Tristeza que estavam em conflito, acabam sendo transportadas para fora da sala de controle e o caos é instalado. De um lado, Riley enfrentando a nova escola, a nova casa, tudo novo, enquanto do outro, na sala de controle, o Medo, "o" Raiva e "a" Nojinho tentam consertar a situação, claro, da forma que lhes cabem. A Alegria sempre positiva, perdida com a Tristeza, procura todos os caminhos possíveis para voltar à sala de controle e tomar posse do seu "cargo", utilizando os atalhos da mente de Riley.

A maior parte do longa se passa nesse cenário. E entre várias tentativas, claro, nenhum filme da produção da Disney nos presenteou com um final triste, ou totalmente triste - Coisas se perdem, mas outras coisas se ganham.

É realmente uma animação que me conquistou por inteira. Me emocionou e me sequestrou de mim mesma, ao mesmo tempo que me trouxe revelações que nem sabia que pudessem existir.

O longa nos mostra o quanto é complexo sermos quem somos, o quanto nossos sentimentos podem controlar nossas ações e o quanto as nossas lembranças podem ditar a maneira como enxergamos o agora. Entre tantas reviravoltas, conseguimos rir, chorar e nos encontrar pensativos, esperançosos, torcendo para que no final tudo pudesse dar certo.

Por fim, nos mostra que a vida não é somente constituída de alegria ou de tristeza, raiva, medo ou nojo, mas que todas essas sensações, sentidos, significados e momentos são construídos por uma mistura deles, que nos embriaga, que nos enfraquece ao mesmo passo que da força. Como uma montanha russa, entre seus altos e baixos, porque não tudo ao mesmo tempo, tudo agora, tudo de uma vez? Viver é isso, um turbilhão de sensações. Parafraseando Paula Fernandes - "Eu me aqueço, eu endureço, eu me derreto, eu evaporo e caio em forma de chuva, eu reconheço, eu me transformo."


Nathália Moura

Curiosa nata, quer conhecer saturno, escrever um livro, fazer um café decente e conseguir que um girassol sobreviva em um apartamento..
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/cinema// @destaque, @hplounge, @obvious, @obvioushp //Nathália Moura