mulher cultura plural

O feminino velejando entre mundos da literatura, cinema, comportamento e atualidades.

Simone Bittencourt Shauy

Enfermeira por paixão. Escritora por predestinação. Ilustradora por inclinação. Mulher plural por emancipação.

Vida também se aprende na cozinha...

Na escola da vida, todo e qualquer momento é uma oportunidade de aprendizado e crescimento.


kitchen-conversation.jpg

Sempre que penso em mamãe, as melhores recordações que tenho são dela na cozinha e eu com ela na cozinha. Como a caçula da casa, onde mamãe ia, lá estava eu. Não era necessariamente com o interesse de pedir alguma coisa ou testar-lhe a paciência com minhas questões de criança, mas pelo simples prazer de estar na presença dela quando orquestrava os acontecimentos e rituais na cozinha. Adorava observá-la preparando as coisas, transformando a matéria prima em deliciosos pratos. A voz dela, o aroma dos temperos, a fumaça saindo das panelas, a dinâmica de tudo isto junto me encantava os sentidos. Que curiosidade insaciável eu tinha quando começava a contar sobre os tempos dela de moça, tempos de bailes, de namoros de portão, filmes favoritos no escuro do cinema de bairro, vida em família, passeios com as amigas. Que prazer ouvir sobre um tempo que não era o meu e também quão interessante poder saber que mulher mamãe era quando eu ainda nem existia, nem mesmo em rascunho estava.

Hoje quando olho para trás, me dou conta de que mamãe sendo ela, estava dando-me lições de vida, ensinando-me a ter senso de valores, através dos próprios credos, esperanças, sonhos, perspectivas, experiências pessoais. Quando falava sobre os bailes, estava ensinando-me sobre a gratificação de se ter uma vida social e saudável. Quando falava sobre os namoros, ensinava-me sobre a experiência de amar, o processo de encantamento por uma outra pessoa. Quando falava sobre a família, ensinava sobre a importância de se ter um porto-seguro, criar vínculos, ter raízes, senso de respeito, tolerância, companheirismo. Educou-me sobre ter fé na vida, nas minhas capacidades, nas pessoas, ser otimista, honesta, generosa, sobretudo corajosa, perseverar não importando os desafios em caminhos cheios de curvas perigosas, terrenos acidentados, vales e montanhas dos quais a vida é feita, afinal de contas!

Mamãe naquela cozinha, passando, cozinhando, falando, lavando, limpando, arrumando, encerando, cantando, dançando, silenciando, recordando, sorrindo e chorando foi uma escola prá mim. Por todos aqueles anos de infância, adolescência e início da vida adulta passados naquela cozinha, formei meu caráter, me senti pertencendo, sendo amada, ouvida, merecedora de confiança, aprendendo, ensinando, sendo feliz, moldando minha personalidade, crescendo por dentro e por fora.

Sou muito grata por todos aqueles tão enriquecedores e iluminados momentos, por ter estado na primeira fila de um espetáculo chamado vida e viver e diante de uma mulher singular, admirável, sábia, forte, amorosa, generosa e inspiradora. Vida também se aprende na cozinha!

(Ilustração: "Women in conversation" por Arthur Sarnoff).


Simone Bittencourt Shauy

Enfermeira por paixão. Escritora por predestinação. Ilustradora por inclinação. Mulher plural por emancipação. .
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/recortes// @destaque, @obvious //Simone Bittencourt Shauy