nas entrelinhas

Todos os sentidos escondem-se nas entrelinhas

Lenny Lima

O Universo Criativo do Cineasta Alagoano Nivaldo Vasconcelos

Nivaldo Vasconcelos é uma das grandes revelações do audiovisual alagoano nos últimos anos. Seus filmes são sucesso de público e crítica e por isso convido a todos a descobrir comigo um pouco do universo criativo desse diretor que foi o grande vencedor da Mostra Surruru de Cinema Alagoano em 2013 e 2014.


Nivaldo

Nivaldo sempre soube “que nasceu para fazer cinema” criado em ambiente onde os estímulos artísticos eram constrantes destacando a figura de sua mãe que tinha um atelier de onde se dedicava a prática artística e de seu pai, um exímio contador de histórias, que até hoje ele lembra. Mas para o menino Nivaldo a paixão pelo cinemas aconteceu de forma muito natural “...eu acho que uma das minhas primeiras brincadeiras era brincar de fazer filmes quando pegava as bonecas da minha irmã, ou quando não pegava a minha própria irmã e colocava em situações que eu imaginava ...” conta-nos. Apesar da arte e do universo da criação está muito próximo seguiu a vida sem nada muito definido estudou e trabalhou, mas ele afirma que só “funcionou” como profissional quando definitivamente começou a trabalhar com criação antes disso se sentia deslocado. O cinema entra na vida de Nivaldo através dos Cine Clubes no qual descobriu ser possível também produzir cinema em nosso estado.

Fimes.jpg Nivaldo nos revela ainda que a inspiração para escrever um roteiro vem de situações de isolamentos que usa como uma busca para enxegar os personagens no meio desse confinamento psicológico. Para ele o que não pode faltar num bom roteiro é a verdade autoral. E é o amor pelo cinema que o mover sempre em está trazendo algo novo na sua produção cinematográfica apesar de ainda ser difícil viver exclusivamente de cinema em nosso estado. Seu filme Mwany levou vários prêmios na Mostra Sururu de Cinema Alagoano em 2013 incluindo o de melhor diretor e o prêmio de melhor atriz, mesmo se tratando de um documentário, fato inédito e que surpreendeu a todos. O filme foi a vários festivais no Brasil e no exterior e levou Nivaldo ao país de origem de sua persongem Sónia fazendo-o ter contato com a história e as raízes de Moçambique e também com uma questão ainda muito delicada por lá: a diáspora africana.

Muwany e Penedos.jpg Nivaldo é um ser multimídia, já escreveu histórias infantins e em 2014 lançou-se no desafio de criar a identidade visual do espetáculo “Penedos” para o balé Emilia Vasconscelos e tem produzido alguns trabalhos de “publicidade autoral” como ele denomina a característica da publicidade que faz para algumas empresas. Lançou recetemente na Mostra Sururu de Cinema Alagoano deste ano três filmes: A Gente Não Combina Com Essa Sala, Ela e Norturna. Todos muito bem recebido pelo público, crítica e premiados. A Gente Não Combina Com Essa Sala ganhou dois prêmios: Melhor Ator para Bruno Alves e Melhor direção de arte para: Lucas Nascimento, Thauana Ferreira e Nivaldo Vasconcelos. Noturna venceu na categoria melhor atriz para Lorena Barbosa.

Para 2015 seus pretende dar continuidade aos trabalhos significativos desenvolvidos pela sua empresa Filmes Atroá ao lado de seus parceiros Alice Jardim e Matheus Nobre. Em 2015 ainda tem planos de explorar outras linguagens criativas e junto com o Bailé Emilia Vasconcelos vem mais um projeto que estão desenvolvendo. E também em 2015 pretende produzir mais um novo filme.

A parte dele Nivaldo Vasconcelos vem fazendo brilhantemente. Vamos torcer cada vez mais para que nossos criadores do audiovisual assim como ele e tantos outros seja reconhecido cada vez mais e que a trajetória da cada um seja um paragráfo de sucesso na história do cinema de alagoano que está começando a ser escrita. Acompanhe os filmes produzidos por Nivaldo no site de sua produtora: www.estudioatroa.com.br


version 1/s/cinema// @obvious, @obvioushp //Lenny Lima