náufrago

Uma lente sobre o mundo

Ronan Gonçalves

Mestre em Ciências Sociais pela UNESP, foi colaborador do site luso-brasileiro Passa Palavra escrevendo sobre educação, cinema, lutas sociais. Produz pequenas análises e algumas poesias. Anda por ai.

O olhar de Ana Paula Cordeiro para o interior paulista

O interior esquecido


11873473_1077816382271022_5503684253806719303_n.jpg

A fotografia possui uma importância ímpar porque um único momento pode valer por toda uma eternidade. Petrificado num registro fotográfico, uma dada coisa ou momento podem ficar para a posteridade carregando significados e valores simbólicos muitíssimos valiosos. Além dessa capacidade de eternizar, a fotografia é mágica porque insere o olhar construindo uma ordem de discurso. Ver, junto com o falar, é talvez o maior dos impulsos estéticos pois com a fala e o olhar adentramos e também deixamos vivas vastas heranças culturais acumuladas presentes na língua e no formato das coisas. Assim como a língua é proveniente de um amplo acúmulo histórico, aquilo que olhamos é também a experiência estética ofertada por milhares de anos de ação humana que deixaram as coisas como estão: as cidades e os respectivos formatos, a arquitetura, o enquadramento urbano, a construção da paisagem.

Embora o falar e o ver estejam disponíveis para todos, num sentido amplo, não falamos nem olhamos da mesma forma. O olhar é sempre um certo olhar, uma construção, e adentrar o olhar alheio pode ser uma bela forma de experiência estética. Aquilo que não é visto por uns é notado por outros e coisas sem importância para alguns adquirem importância para outros.

Ana Paula Cordeiro, nascida em Marília, embora não seja fotógrafa profissional, desenvolveu um projeto pessoal de olhar sobre o interior paulista que possui uma riqueza estética e toda uma particularidade que merece ser conhecida. Distante das grandes fazendas, casas, e cidades que vão se fortalecendo, ela volta o seu olhar para elementos que ficaram abandonados nesse interior robusto que une o moderno e o tradicional, o sacro e o profano. Capelas e casas abandonadas, objetos, ela vasculha por coisas perdidas e para as quais talvez poucos olhem mas que dizem bastante daquilo que é e foi o interior paulista.

11896013_1078848725501121_2698018741122932872_n.jpg

10636002_1077816545604339_1648994237285672262_n.jpg

10422047_1077816518937675_2354178662854822797_n.jpg

11831801_1077816158937711_9172339825620168151_n.jpg

11836918_1077814445604549_5681211159711376267_n.jpg

11846657_1077814592271201_6819778436055482795_n.jpg

11846730_1077815965604397_4642950543568241821_n.jpg

11855798_1077816692270991_8741120822376877398_n.jpg

11880378_1077815378937789_3855213955338259832_n.jpg

11889494_1077815878937739_1853355184277118101_n.jpg

11889495_1077816095604384_5346627414747815406_n.jpg

11891140_1077815438937783_4165253883587137360_n.jpg

11898777_1077815048937822_2595474093918432051_n.jpg


Ronan Gonçalves

Mestre em Ciências Sociais pela UNESP, foi colaborador do site luso-brasileiro Passa Palavra escrevendo sobre educação, cinema, lutas sociais. Produz pequenas análises e algumas poesias. Anda por ai. .
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/fotografia// @obvious //Ronan Gonçalves