o infinito é logo ali...

Escrever é como sonhar desperta...

Thiana Furtado

Escritora por paixão, aventureira por conexão, e admiradora de tudo que nos remeta a uma possível felicidade...
Insisto em acreditar na bondade que habita dentro de cada pessoa.
Acompanhem-me em minha página:
(https://www.facebook.com/amantesfecundosdotempo/)

Você cuidou de mim na infância e lhe sou muito grata

Viver é recordar-se, toda forma de lembrança deve ser bem vinda quando seja ela enternecida.
Quem de nós não se recorda de alguém que marcou a história do seu tempo?
Ela era especial para mim. E você, recorda-se de alguém assim?


151201212535_pagina10_Whoopi.jpg

Ela era dessas pessoas que quando se dedica a algo, o faz de corpo alma e de coração.

Quantos de nós quando pequeninos, não guardam na lembrança, a terna imagem de alguém que lhe foi muito caro e que lhe fazem brotar nas faces, sorrisos lânguidos de ternura, ao se recordar de sua mais tenra idade, de um tempo que nunca mais voltará?

Ela era assim, era como uma segunda mãe, e quando envolta em seus fazeres domésticos, incluía-me para que eu pudesse sentir-me um pouco adulta e útil na natureza típica da idade que eu tinha.

Quando ela chegou em minha casa, eu tinha por volta de quatro anos de idade, e comigo permaneceu até a minha adolescência. Sua cor era de um marrom negro, e isso a tornava especial, por ser por mim, vista de alguma forma como sendo diferente e mágica. Envolvia a mim e a minha irmã no doce acalentar de sensações, que recordo-me até os dias de hoje.

Os carinhos eram muitos, e a maneira com que nos tratava, fazia-nos esquecer dos difíceis momentos sofridos pela ausência que tornou-se remediável de meus pais, quando estes saíam para entreter-se com o seu ofício mundano.

Quem poderia dizer que não se recorda de alguém que lhe foi querido em sua meninice? Que lhe tratava com doçura sem igual e que lhe fizeram esquecer os maus bocados que toda criança atravessa na linha tênue que divide o que é sério, das pequenas fantasias vividas por tantos de nós, que teimamos em fazer parecer pelas vias dos fatos, como reais e intensamente sentidas?

Lembro-me bem de que quando arteira, abria o guarda-roupa de minha mãe e divertia-me com seus batons, maquiando meu rosto inteiro e sentindo-me respectivamente linda e sensacional...

Como uma boa cuidadora de mim, precisava a minha guardiã das tardes, que antecediam as noites, realizar a sua função, e guardar novamente o batom dentro do guarda-roupa, mas ela fazia isso sem demonstrar em nenhum segundo, qualquer tipo de agressão, quando comigo ela suavemente chamava-me a atenção. E fazia isso com todo cuidado existente nesse mundo.

Quem de nós, não recorda-se de alguém que é lembrado com um carinho mais do que especial, enternecendo as lembranças que hoje se fazem tão distantes por todo contar do tempo que apressadamente corre solto, mais com leveza, neste transpassar de horas cotidianas?

Sempre levarei no coração as melhores lembranças. Penso que existem pessoas nessa vida, da qual seremos eternamente gratos e que de nós elas retirarão sempre o melhor existente de nós.

Sabemos que a realidade muitas vezes no Brasil e no mundo, é o oposto da história que acabei de contar, que existem sim, verdades paralelas comparadas à nossa, que são feitas de dor e de péssimas lembranças, que são capazes de traumatizar alguém, até que se olhe para o problema e decida-se finalmente dar a volta por cima e superar as limitações que foram impostas duramente por certas pessoas, que ao invés de carinho lhe ofereceram espinhos.

Existe lado a lado, um mundo que se avizinha ao nosso e que não é tão colorido quanto algumas recordações que nós insistimos em guardar bem aqui dentro do nosso coração.

hp_31032015_AcabarComOsMausTratosPorqueAinfanciaNaoSeRepete-1074x483.jpg

Que possamos, independente da realidade que vivenciamos em nosso passado, fazer delas o melhor que pudermos, e que pensemos que o que não tem remédio, remediado um dia estará, basta que procuremos por auxílio. Que guardar segredos a sete chaves, jamais será a porta que será aberta quando decidamos exorcizar os fantasmas, que por hora estiveram trancafiados em nós.

Que saibamos ser gratos com as pessoas que mereceram créditos em nossas vidas, e que possamos saudar essas pessoas transportando para junto de nós, os nossos afetos mais verdadeiros dessa vida. Pois saber ter gratidão como um sentimento latente batendo no peito, é como poder lançar um olhar de maturidade, que nos proporcionará ingresso para um mundo que será sempre promissor e cheio de novidades esperando por nós, em qualquer esquina desse memorável tempo.

Afinal, quem não possui em suas fases, motivos para poder ser grato, seja aos seus pais, estes a quem muito devemos, mas que jamais nos cobrarão, e a tantos outros que passaram pelas estradas recheadas de momentos em nossas vidas, nos tornando felizes em diversos acalentares de nossas existências?

Sejamos agradecidos a quem pudermos e julguemos que devemos ser, pois sempre seremos recompensados por poder sentir guardado em nosso pequeno ou vasto universo, verdades que nunca serão oprimidas, por serem nada mais nada menos, do que as janelas que nos levarão para universos inteligentes, nos proporcionando sempre o chão que iremos trilhar em novos mundos, que terão por qualidade a justiça, o amor, a verdade e a cumplicidade.

Vale a pena trilhar um caminho colorido e do bem. Faça por onde que o céu sempre lhe ajudará. Insista em acreditar que vale a pena carregar consigo, todas as lindas qualidades que você já possui.


Thiana Furtado

Escritora por paixão, aventureira por conexão, e admiradora de tudo que nos remeta a uma possível felicidade... Insisto em acreditar na bondade que habita dentro de cada pessoa. Acompanhem-me em minha página: (https://www.facebook.com/amantesfecundosdotempo/).
Saiba como escrever na obvious.
version 4/s/recortes// @obvious, @obvioushp //Thiana Furtado