o que não me faz feliz não pode me fazer falta

Somos muito mais importantes e preciosos que imaginamos, somos parte indissolúvel do universo

Maria Madalena

Nordestina, Graduada em Pedagogia e Pós Graduada em Políticas Pública, gosto de café quente, amo escrever, gosto de gente simples, de coisa natural. De palavras fáceis... De gestos singelos, de comidas simples... De gente simples... Gosto de montanhas, matas, mar, flores ,cactus, mandacarus, girassóis, pedras, lua cheia, chuva. Gosto de vento leve no rosto principalmente no final da tarde, gosto do cenário de cor alaranjada que o sol faz ao se pôr... Gosto da orquestra sinfônica dos pássaros ao amanhecer...Existe algo mais lindo que a simplicidade da natureza? Gosto de tudo que é simples e natural. Ah! Como eu amo.

Consumismo,indiferença, insensibilidade: Frutos do capitalismo

O capitalismo não é desconhecido por nenhum de nós que vivemos imersos numa sociedade que visa o lucro, acima de tudo. Infelizmente, o que é de se lastimar, é que esse imenso vício de se produzir muito, a custo de qualquer coisa, afeta instituições como as igrejas e a área da Educação. Religião, fé, Educação vão, a cada dia mmais, se tornando mercadorias que se vendem - e com preços cada vez mais elevados. Nesse âmbito, nasce a concorrência que é um dos fatores determinantes do sistema capitalista. Deparamo-nos, sempre, com igrejas que demandam pelo poder e colocam Deus como motivo desse contexto conturbado.


O capitalismo teve seu berço no desaceleramento e ruptura do Feudalismo e chegada da manufatura; tendo maior desenvolvimento no Séc. XIX paralelo à Revolução Industrial, a qual provocou incentivos e aceleramento no nível das pesquisas cientificas, progresso nas tecnologias, crescimento da produção e desigualdades sociais. Em contraposição, nasce o Socialismo que foi facilmente derrubado na Europa em consequência ao detrimento Neoliberal.

Consumismo .jpg

Atualmente, o mundo vive consequências drásticas advindas do Capitalismo, a pobreza, a fome, morte e miséria - exceto as elites que gerenciam os negócios, a União Européia e os países da America do Norte. Esses se sobressaíram com o Sistema Capitalista através do gerenciamento dos negócios ditados pelo FMI o fato que vem para beneficiar as metrópoles.

O espírito capitalista impele-se à inversão de valores, instiga ao consumismo, à competição, ao individualismo e ao acirrado desejo do lucro, modela as pessoas à insensibilidade e ao não comprometimento às causas sociais, levando ao isolamento, tornando pessoas egocêntricas e fechadas no seu próprio mundo.

Nessa ótica, desenvolve-se a pratica do sensacionalismo, a pobreza, a miséria e a dor dos menos favorecidos. Isto se torna espetáculo na mídia, a violência e a pornografia se tornam meios de zombaria para aquisição de melhor audiência nos programas midiáticos.

Diante dessas realidades, percebe-se que as mazelas sociais são bastante comprometedoras, mas o que é mais grave é que atitudes - antes reconhecidas como defeitos - são vistas, atualmente, como valores. Ou seja, o capitalismo instiga a ser os melhores, em produzir mais que todos os outros, automaticamente, encuca nos indivíduos a competição, a inveja, o individualismo, a avareza, a cobiça.

Nesse sentido, leva-os ao acirrado desejo de acumular bens, possuir cada vez mais sem levar em consideração os aspectos coletivos; os afastam das lutas de classe para as conquistas de direitos sociais coletivos.

O espírito capitalista exclui o pronome Nós, não há vínculo com o termo nação. O povo está centrado no Eu, nos objetivos e metas pessoais para maior aquisição de lucros; o mais curioso é que ele abrange a todos sem distinção de classes. Atinge desde os intelectuais até o menos escolarizados, leva todos aà ambição de apropriação de bens, não só materiais mas, também, simbólicos, como é caso da prática dos credos religiosos como o meio para alcançar graças. Nesse caso, até a prática da caridade se torna interesse para alcançar a salvação, tudo que se faz está vinculado ao retorno e ao lucro.

Por fim, o espírito capitalista de acordo com Frei Beto cria a indiferença a insensibilidade, que destrói toda e qualquer atitude de generosidade, gratuidade e cooperação.


Maria Madalena

Nordestina, Graduada em Pedagogia e Pós Graduada em Políticas Pública, gosto de café quente, amo escrever, gosto de gente simples, de coisa natural. De palavras fáceis... De gestos singelos, de comidas simples... De gente simples... Gosto de montanhas, matas, mar, flores ,cactus, mandacarus, girassóis, pedras, lua cheia, chuva. Gosto de vento leve no rosto principalmente no final da tarde, gosto do cenário de cor alaranjada que o sol faz ao se pôr... Gosto da orquestra sinfônica dos pássaros ao amanhecer...Existe algo mais lindo que a simplicidade da natureza? Gosto de tudo que é simples e natural. Ah! Como eu amo. .
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/sociedade// @obvious, @obvioushp //Maria Madalena