o segredo da pausa

O que existe no silêncio dos intervalos?

JULIANA VALENTIM

Nós moramos mesmo é nas entrelinhas, no silêncio dos intervalos. Somos feitos de uma voz que grita e uma voz que cala. Como música! A magia não está no que se ouve, mas no exato instante da pausa

Bom senso: tem, mas acabou

Bom senso é aquela qualidade que todo mundo acha que tem, basta acessar o estoque cerebral e lá está: uma boa dose de bom senso para viver civilizadamente nesse mundo. Acontece que, para um número cada vez maior de pessoas, o estoque acabou. E elas nem perceberam.


boy-666803_1280.jpg

Segundo definição da Internet, bom senso é um conceito ligado às noções de sabedoria e razoabilidade, que define a capacidade média que uma pessoa possui, ou deveria possuir, de adequar regras e costumes a determinadas realidades, considerando as consequências e, assim, fazer bons julgamentos e escolhas.

Bom senso é aquela qualidade que todo mundo acha que tem, basta acessar o estoque cerebral e lá está: uma boa dose de bom senso para viver civilizadamente nesse mundo. Acontece que, para um número cada vez maior de pessoas, o estoque acabou. E elas nem perceberam.

Não é legal ser o último a sair da festa, quando os anfitriões (que possuem bebê pequeno) já estão dormindo no sofá. Ou pior, estão tentando ser agradáveis com você enquanto comentam sobre o quão pouco têm dormido ultimamente. Há uma crença popular, dessas de vó, que diz que colocar uma vassoura atrás da porta faz com que a visita indesejada vá embora. Não queira ser o cara da vassoura atrás da porta.

Ter bom senso não significa virar um zumbi sem identidade, obrigado a aceitar todo tipo de norma social. Mas se queremos viver em sociedade, precisamos prestar atenção aos sinais dos outros, para não atropelarmos tudo. Você pode até ser um zumbi, mas seja um zumbi com noção. Noção é outra palavra boa que periga cair em extinção. Aí vai mais um conceito: noção significa conhecimento imediato, intuitivo, de algo; ideia, consciência.

Ter a consciência do espaço do outro é fundamental. Aquela música alta no transporte coletivo não cai bem. Apertar insistentemente o botão “fechar” do elevador, só para subir sozinho, mesmo vendo que alguém se aproxima, também não. No ambiente de trabalho, bom senso deveria ser qualidade altamente considerada na hora da contratação. Não adianta a pessoa ser brilhante e atender o telefone como um ogro. Ou palitar os dentes durante aquele almoço de negócios. Glória Kalil enfartaria!

Quando o quesito é presentear as pessoas, cuidado! O inimigo número 1 do bom senso chama-se amigo oculto, aquela brincadeira onde inovar pode ser desastroso, principalmente quando você não conhece muito bem os envolvidos. Pedir o presente de volta então, nem se fala. Você, leitor, pode estar se perguntando: mas quem é que dá um presente e pede de volta? Isso não acontece! Pois eu lhes digo, aconteceu comigo uma vez. Ganhei de presente um livro, do próprio autor. Era um colega bastante culto, também escritor. Alguns meses depois, me mandou e-mail pedindo o livro de volta, pois precisava presentear outra pessoa. Bom senso, ou a falta dele, não escolhe nível de escolaridade.

Segundo dados do IBGE, mais da metade da população brasileira tem acesso à Internet. Mais um motivo para as redes sociais serem a casa do bom senso, mas não são. Pelo contrário, lá ele não mora. Arnaldo Jabor, Pedro Bial e Luis Fernando Veríssimo que o digam. Ou melhor, que não o digam, pois nem 1/12 das citações relacionadas a esses autores foram realmente escritas ou ditas por eles. A norma da Internet deveria ser: diga-me o que compartilhas e eu te direi quanto bom senso tens. Não, você não precisa emitir uma opinião sobre tudo, nem dar conselhos. Provavelmente, salvo algumas exceções, você também não é especialista em partos. As grávidas agradecem a noção alheia.

"O bom senso é a coisa mais bem distribuída do mundo, pois todos pensamos ter o suficiente. Até os que não se contentam com as coisas, não desejam mais bom senso do que já tem". Parece bem atual, mas a frase foi dita pelo filósofo e matemático francês, Descartes. É também dele a citação: "Não basta termos um bom espírito. O mais importante é aplicá-lo bem". Esse René Descartes sabia das coisas. Homem de bom senso! E isso foi lá em meados de 1600...


JULIANA VALENTIM

Nós moramos mesmo é nas entrelinhas, no silêncio dos intervalos. Somos feitos de uma voz que grita e uma voz que cala. Como música! A magia não está no que se ouve, mas no exato instante da pausa.
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/sociedade// @destaque, @hplounge, @obvious, @obvioushp //JULIANA VALENTIM