o segredo da pausa

O que existe no silêncio dos intervalos?

JULIANA VALENTIM

Nós moramos mesmo é nas entrelinhas, no silêncio dos intervalos. Somos feitos de uma voz que grita e uma voz que cala. Como música! A magia não está no que se ouve, mas no exato instante da pausa

Em nome dos Pais

É preciso coragem para voltar quarenta e cinco anos no tempo. Coragem para procurar pessoas, buscar respostas, caminhar sobre cobras que rastejam em salas apertadas.


em-nome-dos-pais retangulo.jpg

Meus pais me falaram muito pouco sobre a ditadura. Talvez porque, mesmo não tendo sido presos e torturados, carregassem dentro do peito uma dor coletiva de quem viveu aquela época. Era Chico Buarque que tocava na vitrola de casa, geralmente aos domingos. Meu pai dizia que ele era um artista inteligente, que escreveu músicas para enganar a censura. Eu, criança, não entendia o que aquela palavra significava: censura!

Em nome dos pais é um livro que começa assim, com uma curiosidade de criança pelos significados. O autor, um menino apaixonado pelas palavras, queria entender um pouco mais sobre elas: censura, ditadura, tortura. Queria saber porque, cada vez que mencionadas, aquelas palavras criavam abismos do lado de dentro de seus pais. E ainda que eles tentassem disfarçar, o menino percebia. Porque abismos, quando muitos, invadem os olhos. E os olhos não mentem.

Esse livro demorou muitos anos para ser escrito, uma vida inteira. O menino precisou crescer e compreender que aquela história também era dele. Aquela história era a história de muitos pais e muitos filhos, de muita gente que não voltou. Então, o abismo que ele via em seus pais, passou a morar dentro dele também. É aí que essa jornada começa.

É preciso coragem para voltar quarenta e cinco anos no tempo. Coragem para procurar pessoas, buscar respostas, caminhar sobre cobras que rastejam em salas apertadas. É preciso coragem para enxugar as lágrimas que caem, ao ter nas próprias mãos, documentos que contam a luta de uma nação inteira. Provavelmente, essas lágrimas acompanharam o autor durante sua caminhada e agora nos acompanham durante a leitura.

Olhar nos olhos de um delator, sem perder a cabeça, é para poucos. Escrever sobre a ditadura, sem destilar ódio, é algo muito íntegro. Talvez, por isso, esse livro seja uma joia rara, porque nos lembra, entre solavancos e redenções, que amanhã é sempre outro dia...

* Em Nome dos Pais é um livro de Matheus Leitão, publicado pela Editora Intrínseca.


JULIANA VALENTIM

Nós moramos mesmo é nas entrelinhas, no silêncio dos intervalos. Somos feitos de uma voz que grita e uma voz que cala. Como música! A magia não está no que se ouve, mas no exato instante da pausa.
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/literatura// @obvious, @obvioushp //JULIANA VALENTIM