o vácuo

As paradas da vida pós-moderna.

Lucas Shiniglia

Sei lá. Sem ter muito o que fazer... eu escrevo. Uma rabiscada aqui, outra ali; às vezes me surpreendo ao ver um texto coerente na minha frente, então — ao invés de colocá-lo em uma pilha de textos anônimos — eu o publico aqui

lucasshiniglia

Lucas Shiniglia

As palavras de um garoto desajustado, expostas com sinceridade e violência. Não é uma afirmação descabida, quando se admite que ele transborda espírito e possui uma alma rara e intensa. Ele possui um desejo descontrolado de viver, mas ainda não possui habilidade suficiente para isso; por causa disso ele perambula errante pelo mundo, demonstrando potência em cada ato e permanecendo isolado, resguardando-se da ignorância e da mesquinharia, que estão presentes em tudo o que é considerado por todos como sendo digno e verdadeiro. Intocável e abrangente, de constituição incomum, raríssima; possuindo um ódio ilimitado e uma força imensurável, constantemente sentindo nojo de tudo o que é imposto como sendo real. Pasmem, eis um ser humano.

Últimos artigos publicados

Mais artigos publicados