observações sobre o belo e o sublime

Sob um ponto de vista fortemente influenciado pelos olhos de quem viu...

Farah Serra

Uma jovem mulher que está deixando de ser quem era e se transformando em quem é... Se é fácil? Não. O que vem adiante? Não sei. Mas alguma coisa está acontecendo.

O meu eu e os meus pais

Aos meus pais, pois são raras as vezes em que nos damos conta de que muito do que somos nós aprendemos com eles – os nossos pais.


pai e mãe.jpg Crédito imagem: Juliana Hilal Fotografia

Há uns dias atrás eu tinha uma difícil missão: escrever um discurso para os meus pais. Até parece uma tarefa simples, mas levando-a a sério logo se vê que de fácil não tem nada. Buscas por inspirações, o retorno de muitas lembranças, pensamentos que começam a surgir, ideias, ideias… foi somente no momento, em que me dei conta de que muitos dos elogios ou críticas que eu recebo são iguais aos elogios e críticas que ouço em relação aos meus pais, que tive um estalo e o meu discurso ‘nasceu’ como um raio de inspiração. Segue ele logo aí embaixo.

Ao meus pais

Dizem que as crianças aprendem o que vivem.

Bem, se hoje sou paciente é porque vivi a tolerância, se hoje não condeno é porque não vivi sob críticas, se não sou tímida é porque não fui ridicularizada, se sei apreciar é porque recebi elogios, se sei amar é porque vivenciei a aceitação, a aprovação. Se sou verdadeira é porque convivi com a sinceridade, se sou justa vivi com equidade. Ensinaram-me a gostar de mim mesma. Porque convivi com a bondade e a consideração, aprendi o que é respeito. E se hoje acredito que o mundo é um bom lugar para se viver é porque vivi em segurança, é porque aprendi a ter confiança em mim mesma e naqueles que me cercam.

Entretanto, a verdade é que são raras as vezes em que nos damos conta de que muito do que somos nós aprendemos com os nossos pais. A minha mãe me ensinou a independência, a coragem de fazer, o amor de mãe. Ela também me ensinou que precisamos ter coragem de partir, mas que precisamos ter ainda mais coragem de voltar. Meu pai me ensinou a bondade, a compaixão, a humildade, o perdão, o incentivo moral e emocional de forma incondicional. E mesmo tendo crescido e me apoderado da minha vida eles continuam me ensinando, pois com eles também aprendi que bondade e humildade demais, às vezes, não ajuda, que manter sentimentos do passado no presente nos aprisiona e deixa nossa vida mais chata e pesada. Também aprendi que temos que tomar cuidado com as nossas atitudes e palavras, pois nunca sabemos o dia de amanhã. E que gratidão é a chave da felicidade e do amor recíproco.

Sobretudo eles constantemente me ensinam que uma relação não se faz só de amor. A união vem da amizade, do cuidado, do bem querer. Se hoje eu sei o poder da união em uma relação eu devo esse conhecimento aos meus pais, pois mesmo separados, tenho pais unidos - muito mais do que tantos outros pais casados por aí. Sempre os tive. Eu e o meu irmão crescemos em uma casa tranquila, de choro e de risadas – como muitas outras. Porém, por alguma razão eu me lembro muito mais das risadas do que dos choros.

Posso lhes dizer que bons exemplos eu tive e tenho de sobra. E se é assim que eu quero construir a minha família e criar os meus filhos eu devo isso a eles. E os agradeço por terem tido a preocupação e a responsabilidade de fazer com que eu ‘desse certo’! Os agradeço por sempre, e até hoje, me olharem com carinho e amor.

Colocando isso em poucas palavras eu lhes diria que o meu pai não é aquele que me dá uma festa de casamento, mas é aquele que não mede esforços para me ajudar a construir uma casa. Enquanto a minha mãe me ajuda a escolher o vestido de noiva e a fazer uma bela festa. E eu acho que é a soma desses dois que me completa. É a retidão da segurança e as curvas do querer viver que tornam a minha estrada mais bonita.

O meu muito obrigada a vocês – pai e mãe!

Pai e mãe juntos.jpg.jpg Crédito imagem: Juliana Hilal Fotografia


Farah Serra

Uma jovem mulher que está deixando de ser quem era e se transformando em quem é... Se é fácil? Não. O que vem adiante? Não sei. Mas alguma coisa está acontecendo..
Saiba como escrever na obvious.
version 12/s/recortes// @obvious //Farah Serra