Francisco Fernandes Ladeira

Mestre em Geografia pela Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ); Especialista em Ciências Humanas: Brasil, Estado e Sociedade pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF); articulista do Observatório da Imprensa e professor do Instituto Federal do Espírito Santo (IFES) - Campus Vitória. Autor (em parceria com Vicente de Paula Leão) do livro A influência dos discursos geopolíticos da mídia no ensino de Geografia: práticas pedagógicas e imaginários discentes, publicado pela editora CRV.

Fascismo e neoliberalismo na educação brasileira

A mistura entre fascismo e neoliberalismo é absolutamente nefasta e, caso seja concretizada, trará o maior retrocesso da história da educação brasileira


liberais-e-fascistas-capa.jpg

Ao que tudo indica, o próximo governo federal pretende colocar em prática uma política educacional que alia elementos fascistas e neoliberais (dois termos que estão mais próximos do que muitos imaginam).

O caráter fascista diz respeito a projetos que visam tolher a autonomia do professor em sala de aula, sob o pretexto de supostas doutrinações comunistas, cientificismos educacionais ou o ensino de "ideologias de gênero".

Tais ideias delirantes estão presentes em projetos como o chamado "Escola Sem Partido" que, se aprovados, contribuirão para a proletarização do magistério (pois o professor perderá o controle sobre o seu trabalho) e para a formação de mão-de-obra alienada (pois os alunos terão acesso apenas a uma educação tecnicista).

Não obstante, professores progressistas poderão ser perseguidos e poderá ser instaurada no Brasil uma política denuncista em relação aos profissionais da educação (algo semelhante ao que ocorreu na Alemanha Nazista).

Por outro lado, o neoliberalismo na educação poderá se fazer presente no sucateamento da escola pública em benefício dos grandes empresários da educação, entre eles o próprio futuro Ministro da Educação, Paulo Guedes.

Assim, aulas à distância substituirão as aulas presenciais; o aluno cederá lugar ao "consumidor"; os professores (ou o que sobrar deles) serão "prestadores de serviço" e reprodutores de apostilas e a universidade pública gratuita de qualidade cederá lugar ao ensino como "mercadoria", voltado para o lucro e não para a construção do conhecimento reflexivo.

Em suma, a mistura entre fascismo e neoliberalismo é absolutamente nefasta e, caso seja concretizada, trará o maior retrocesso da história da educação brasileira.


Francisco Fernandes Ladeira

Mestre em Geografia pela Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ); Especialista em Ciências Humanas: Brasil, Estado e Sociedade pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF); articulista do Observatório da Imprensa e professor do Instituto Federal do Espírito Santo (IFES) - Campus Vitória. Autor (em parceria com Vicente de Paula Leão) do livro A influência dos discursos geopolíticos da mídia no ensino de Geografia: práticas pedagógicas e imaginários discentes, publicado pela editora CRV..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/sociedade// //Francisco Fernandes Ladeira