Fábio Congiu

Escritor e jornalista. Autor do livro de poemas "Olhar das Coisas". Mais textos em: olhardascoisasblog.wordpress.com

  • Versos-para-se-pensar-no-novo-ano.jpg
    Versos para se pensar no novo ano

    Por mais que se fale em ano novo e em transformações, a verdade é uma só: ao longo do tempo, na essência, mudamos muito pouco e, na toada atual, continuaremos sem progressos significativos. Os versos de Adélia Prado, Drummond, Gullar, Cecília Meireles e Borges podem colaborar no exercício de rever valores e atitudes para a construção de um ano diferente

  • _nenhum_olhar_obvious.jpg
    Nenhum olhar, várias perspectivas

    No romance vencedor do Prêmio Saramago de 2001, o português José Luís Peixoto leva o leitor a uma viagem misteriosa pelo "caminho onde tudo é muito pouco, e cada uma dessas coisas pequenas é demasiada”

  • cem-anos-gabriel-garcia-marquez.jpg
    Cem Anos de Solidão, um livro imprescindível

    Como os fios e as cores de um tapete persa – daqueles em que os ciganos se exibiam em mirabolantes voos nas feiras de Macondo –, tudo se entrelaça com perfeita harmonia em Cem Anos de Solidão. A obra-prima de Gabriel García Márquez é uma viagem que, se não pode ser lembrada com total clareza devido à confusão de gerações, inunda o imaginário de passagens literárias inesquecíveis e dos mais variados sentimentos. A triste saga dos Buendía não se permite esquecer nas mentes que mergulham na escorregadia realidade de uma terra onde beleza e palavras se fundiram em estilo único e inspirador, capaz de traduzir não apenas a solidão humana, mas também de fazer pensar e conhecer a própria natureza solitária e relativa do mundo

  • bethania-1.jpg
    Tempo de agradecer

    Fim de ano, época de colocar os fatos na balança. Não raramente, uma análise dos últimos 12 meses apresenta resultados pouco satisfatórios. Para a cantora Maria Bethânia, no entanto, o saldo de cinco décadas de carreira se resume em duas palavras: abraçar e agradecer. Algumas características e posturas da intérprete baiana – como o absoluto respeito aos seus ideais – podem explicar seu sentimento de gratidão diante da vida e inspirar quem anseia por mudanças

  • o-que-tera-acontecido-a-baby-jane.jpg
    O que se foi e o que será

    Quantas vezes não permitimos que pequenos desentendimentos se tornem motivos de rancores eternos? Por que tendemos a nos apegar tanto às mágoas? Quanto elas nos protegem de novos sofrimentos e quanto simplesmente nos sabotam? O que realmente nos ensinam e o que nos levam a deixar de aprender? Como devemos lidar com o preço das experiências negativas? Esquecendo tudo? Lembrando sempre? Quanto é ingênuo perdoar e quanto é necessário? Diante das pequenezas e mesquinharias humanas, cabe a cada um de nós escolher entre o que se foi e o que será. Mas é possível? A tempo?

  • monica-e-mehmari.png
    Música, diversidade e respeito

    De um lado, uma cantora rigorosa, de técnica impecável, precisa, “quase religiosa”, como ela mesma se define. Do outro, um pianista virtuoso, inventivo, imprevisível. O que, à primeira vista, parece uma receita de pouca química torna-se, na verdade, um espetáculo nobre. Os músicos Mônica Salmaso e André Mehmari mostram a beleza da diversidade e provam que o respeito não só é preciso, mas também possível

  • elis.jpg
    Elis Regina e a missão de fazer bem ao mundo

    Elis Regina tinha o cuidado de acompanhar seu tempo e a lucidez de reconhecer o falso brilhante da fama. De não perder de vista os valores e anseios da sua geração. Tinha a ousadia de se posicionar como mulher em um mundo de homens. De se equilibrar na corda bamba diante dos desmandos de um regime autoritário. E de manter vivos, em meio a tantos compromissos e desafios, a busca pela leveza e o otimismo de acreditar na melhoria das pessoas e do planeta

  • o-menino-e-o-mundo.jpg
    Por que nós estamos destruindo tudo?

    Em algum ponto da nossa caminhada, perdemos a capacidade de nos surpreender. A indiferença dita o ritmo alucinado da vida e, embora quase imperceptível, não é inocente: ela evita que encaremos o desafio de procurar soluções para nossos inúmeros problemas, sem nos deixar concluir que, destruindo tudo, destruímos pouco a pouco também a nós mesmos

  • bruna-lombardi-2.jpg
    Amor por Sampa

    São Paulo tem um espaço urbano em transformação: cada vez mais colorido por grafites e intervenções criativas e mais propício à convivência, com ruas fechadas para carros e com ciclofaixas espalhadas pela cidade. Os potenciais da metrópole vão muito além dos financeiros. A terra da garoa pode ser, sim, acolhedora, limpa, colorida, lúdica, apaixonante, sustentável. Depende de como a olhamos, conforme mostra o mais recente filme do casal Bruna Lombardi e Carlos Alberto Riccelli, Amor em Sampa

  • bibi.jpg
    O que aprender sobre carreira com Bibi Ferreira

    Quando você completar 94 anos de vida – e as chances disso acontecer são cada vez maiores –, gostaria de continuar fazendo o que está fazendo agora? A trajetória de sete décadas de carreira da atriz e diretora Bibi Ferreira tem muito a nos ensinar sobre as relações entre trabalho e realização pessoal

  • paulinho-da-viola-v2.jpg
    Paulinho da Viola, do estilo comedido à nobreza do samba

    Considerado o "príncipe do samba", Paulinho da Viola prova, como poucos artistas são capazes de fazer, a tese de que menos, muitas vezes, é mais