José Silveira

Professor universitário, bon vivant, hedonista e feliz com a vida. Escrevi Sob o signo da Fênix pela Canal 6 editora; A tragédia da política em Ricardo III pela Beco do Azougue editora e eventos; A tragédia da política em Ricardo II pelo Beco do Azougue editora e eventos; Sob o signo das Valquírias pela editora MouraSA.

Sob o signo da Fênix

Sob o signo da Fênix devemos viver e morrer. Parece uma sina em nossa trágica, cômica e mesquinha existência.
Viver sob o signo da Fênix - o símbolo, o caminho – é entender que viveremos em precipitadas, aflitas, angustiantes, felizes, alegres e decisivas decisões do dia a dia, seja no imortal passado, conflituoso presente e assombroso futuro.


lunar-phoenix.jpg

O outono abriga a nossa alma inquieta.

Já dizia a poetisa brasileira, Cecília Meirelles:

"E não pude levantá-la! Choro pelo que não fiz. E pela minha fraqueza é que sou triste e infeliz. Perdoa-me, folha seca! Meus olhos sem força estão velando e rogando aqueles que não se levantarão...

Tu és a folha de outono voante pelo jardim. Deixo-te a minha saudade - a melhor parte de mim. Certa de que tudo é vão. Que tudo é menos que o vento, menos que as folhas do chão...".

O outono nos impõe o recolhimento e a introspecção espiritual. . O outono é um ciclo, uma estação em que o sublime, o baixo, a vida, a morte, a glória e o fracasso vislumbram-se diante de nós.

É uma estação ímpar em que os nossos sentimentos, paixões e as aflições chocam-se.

Um caleidoscópio de retratos e lembranças dicotômicas e paradoxais.

Sentimos o peso da solidão e da angústia.

Queremos rir, sorrir, abraçar e beijar. Neste sentido, a nossa vida está diante das forças secretas, os aspectos “mágicos” ou mesmo inteligíveis que permeiam o mundo à nossa volta.

Não há acaso.

Não há coincidências. Será?

Sob o signo da Fênix é a “aceitação da vida, a jubilosa adesão ao horrível e ao medonho, a morte e ao declínio”.

Mas é o renascer a cada luta, a cada obstáculo, a cada vale de desafios e oceano de tristezas e preocupações.

É o renascer a cada lágrima, a cada suor, a cada frustração e a cada sangue perdido.

Sob o signo da Fênix é ser consumido na fogueira do renascimento.

Ardemos como brasa. Apagamos nas trevas da noite... Porém, iluminaremos como fogo a derradeira e tenebrosa escuridão.

Estar sob o signo da Fênix é viver, renascer e sobreviver.

É aceitar e enfrentar as difíceis e duras encruzilhadas da vida humana.

Estar sob o signo da Fênix é relembrar que o pássaro mítico, de origem etíope, de um esplendor sem igual, nos reserva força, superação e resiliência em nossa frágil, mesquinha, porém maravilhosa e surpreendente existência.

Estar sob o signo da Fênix é saber que o momento difícil passou...senão passará... e que o Sol brilha para todos...e que agora....o Astro rei nos ilumina. e nos iluminará... VENCEMOS. VENCEREMOS.

De agora em diante sinta a presença do signo da Fênix.

Sem medo, sem receio, sem temor.

OBS: Dedico a Malu, minha felina selvagem e sensível.


José Silveira

Professor universitário, bon vivant, hedonista e feliz com a vida. Escrevi Sob o signo da Fênix pela Canal 6 editora; A tragédia da política em Ricardo III pela Beco do Azougue editora e eventos; A tragédia da política em Ricardo II pelo Beco do Azougue editora e eventos; Sob o signo das Valquírias pela editora MouraSA. .
Saiba como escrever na obvious.
version 3/s/recortes// //José Silveira
Site Meter