outras frequências

Constantes inquietações que transbordam e vibram em outras frequências.

Não dá para controlar... cicatrizes!

Existem as da pele e existem as da alma. As cicatrizes vêm de traumas às vezes até irreversíveis, não pela dor que causam, mas pelas marcas que deixam. Mas as cicatrizes são muito importantes na vida, para nos lembrar das lições que aprendemos com elas e seguir em frente.


cicatrizes.jpg

Algumas levam um tempo para curar, às vezes muito. Outras marcam tanto, que não desaparecem nunca. E de fato, é uma coisa que não dá para controlar. Existem as da pele e existem as da alma. Estou falando das cicatrizes.

São muitos os fatores que podem deixar cicatrizes. São traumas às vezes até irreversíveis, não pela dor que causam, mas pelas marcas que deixam. É claro e é muito natural que na vida surjam feridas, afinal, não estamos isentos de nos machucar em algum momento.

O que importa é o que fazemos com tudo isso, principalmente no controle dos sintomas dos ferimentos. Como a vida é um campo de batalhas diárias, os conflitos são inevitáveis, e por mais difíceis que eles sejam, eles vão nos ajudar a lutar melhor e a aprender que as feridas vem e vão. Mas as cicatrizes, estas permanecem, para nos lembrar sempre das lições de cada combate.

Porque gente, sonhos, amores, relacionamentos, trabalho, na vida em geral, vamos combinar, arranhões são fáceis de acontecer, que dirá lesões maiores! E daí? Viver com medo de cair e se estrepar no chão é que não dá, tem é que correr o risco mesmo. O que não sara, cicatriza. (Ou será que cicatriza porque nunca sara?) Ah, depende da pessoa! Acho mesmo é que as cicatrizes funcionam como um tipo de defesa, um escudo anti-queda, pelo menos, pelo mesmo motivo do machucado. Vai vendo.

É importante lembrar que a cicatrização é um processo fundamental para manter a integridade do corpo humano, tanto quanto para manter a integridade da alma, quando nos ferimos. Assim como uma série de processos orgânicos se instalam no local para tentar recuperar o tecido que foi lesado na pele, na vida, as feridas não podem ficar abertas, nós temos que ser responsáveis por recuperar o pedaço da nossa alma que foi danificado. É verdade. É doloroso, mas é preciso sim.

E sem dúvidas, não há melhor remédio e melhor tratamento para as cicatrizes que o tempo. Não dizem por aí que ele cura todas as feridas? Então... e até onde eu sei, não tem contraindicação. E lembra sobre o controle dos sintomas dos ferimentos que falei? Esse aí não é com o tempo, mas com a gente. Não há tratamento que cure aquilo que não queremos superar.

Mas sério mesmo, acho as cicatrizes muito importantes. Paulo Coelho disse que elas são uma bênção. “Cicatrizes ficam conosco o resto da vida e vão nos ajudar muito. Se em algum momento – por comodismo ou qualquer outra razão – a vontade de voltar ao passado for grande, basta olhar para elas. As cicatrizes vão nos mostrar a marca das algemas, vão nos lembrar dos horrores da prisão – e continuaremos caminhando para frente.”.

Para mim é isso que as cicatrizes têm de mais importante: a possibilidade que temos de seguir em frente. É não deixar que as marcas nos imobilizem. Temos que ter consciência de tudo que carregamos na bagagem, mas, sobretudo, de não deixá-la mais pesada do que já é, e mais que isso, torná-la mais leve a cada dia. Cicatriz, conforme o dicionário - marca deixada no corpo por um ferimento, conforme o que eu penso sobre isso – vestígio que a vida deixa para nos lembrar que somos fortes, aguentamos o tranco e que não para por aí!


deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do autor do artigo sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
version 6/s/sociedade// @destaque, @obvious //Manu Marques