palavras desenhadas

Literatura e contemporaneidade

Tais Veloso

Resenha - Terceira Pessoa, de Lucimar Mutarelli.

Lucimar Mutarelli é uma escritora contemporânea, que vem se destacando desde 2009 com suas obras diferenciadas. Seu estilo difícil de definir chama a atenção pela diversidade de elementos e narrativas. Seu último lançamento, Terceira Pessoa (2015), nos oferece uma seleção de textos que inclui crônicas, poesias e outros gêneros. Esta diversidade permite ao leitor iniciar a leitura de seu livro por qualquer texto sem prejudicar a experiência de apreciação das histórias contadas, o leitor atual acostumado a ler em blogs independentes talvez tenha mais facilidade para acompanhar o ritmo proposto pela autora.


Lucimar Mutarelli é uma escritora brasileira nascida em 1969, São Paulo e, além de escrever, é professora e roteirista. Não posso deixar de mencionar que ela é casada com Lourenço Mutarelli. Ela já publicou Impessoal (2009) pela editora Editacuja, Entre o trem e a plataforma (2012), Férias na prisão (2013), ambos publicados pela editora Prumo. Seu último lançamento, Terceira pessoa (2015) foi publicado pela Chiado editora e é sobre esta obra que falaremos nesta publicação.

LucimarMutarelli.jpg

Terceira Pessoa é um livro maravilhoso, que permite ao leitor começar a lê-lo de qualquer parte. É uma leitura dinâmica e prazerosa, um texto escrito para qualquer tipo de leitor, mas, em minha opinião, principalmente para os leitores jovens, estes que devem ser entendidos como leitores curiosos, de olhos abertos para o contemporâneo, que podem admirar Shakespeare, Machado, Kafka , Clarice Lispector, Hilda Hilst entre outros, mas estão abertos para os escritores vivos e não acreditam naquela história de que, hoje em dia, ninguém mais escreve o que preste. Mesmo assim, se você tiver essa opinião, te convido também a ler Terceira Pessoa de Lucimar e se dar a oportunidade de se surpreender com essa autora.

capa_terceira_pessoa_ebook.jpg

Esse é um livro hibrido, onde você encontra, comédia, drama, romance, poesia e até reproduções de frases cotidianas. Muitas vezes, você vai ter a impressão de já ter ouvido muitos diálogos citados no livro. A narração não é muito confiável, já que Terceira Pessoa é pra o leitor disposto a construir um sentido para o final. Existem vários narradores, várias vozes, várias histórias, a primeira, segunda e a terceira pessoa se fazem presentes em um só livro. Apesar dessa liberdade, o livro começa e termina com o mesmo título, mas com histórias diferentes, o que me levou a pensar que pode haver também uma ordem para a sua leitura.

Lucimar é impecavelmente imagética e influenciadora em Terceira Pessoa. Ao ler, você pode parar para ouvir uma música de Zeca Baleiro que é citada no livro e imaginar toda a situação contada, com direito a trilha sonora, como se fosse um filme ou uma peça teatral. Talvez seja o seu lado roteirista misturado com o lado de escritora que faz do livro um emaranhado vozes, histórias e situações que podem nos levar à infância, à vida adulta, à adolescência, e até à vida das outras pessoas que conhecemos. Eu coloquei este livro em minha cabeceira, e pretendo relê-lo várias vezes. Deixo ao leitor, a indicação e a liberdade de tirar as suas próprias conclusões.


version 1/s/literatura// @destaque, @hplounge, @obvious, @obvioushp //Tais Veloso
Site Meter