palavras na barriga

Verbalizo as emoções que me provoca o mundo!

Daniela Monteiro Torres

Apaixonada por viagens, acredita que:
"O valor das coisas não está no tempo que elas duram, mas na intensidade com que acontecem. Por isso existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis." Fernando Pessoa

Feminista, eu?! Claro que sim! Não deveríamos ser todos?

"O feminismo é uma forma de viver individualmente e lutar colectivamente" (Simone de Beauvoir)
[Quando é que o mundo vai perceber que esta é uma luta de todos nós, homens e mulheres?]


Sinto-me colérica quando vejo situações de sexismo, quando percebo que o muito que se avançou na luta pelos direitos das mulheres, pela igualdade entre géneros; na verdade e na prática não é suficiente e não se reflete na vida quotidiana das mulheres.

Posso compreender (sem concordar) que fomos educados e crescemos numa sociedade patriarcal, onde os homens assumiram um papel de liderança e direcionaram o da mulher para uma posição secundária, muitas vezes subjugada e retraída; e quase sempre discriminada. Mas isso não pode ser eternamente a justificação para se continuar a manter uma posição retrógrada, machista e injusta em relação ao papel da mulher no mundo.

Nos últimos 20 anos a evolução da tecnologia foi assustadora e efetivamente influenciou a forma como as pessoas se relacionam; mas não afetou a nível equitativo, imparcial e justo, a forma como se educam as novas gerações em relação à igualdade de género.

Outro dia a desfolhar um catálogo de uma loja de brinquedos, vejo que a secção das meninas está a rosa e a dos meninos está a azul. Os brinquedos na secção rosa são: bonecas, cozinhas de plástico, salões de cabeleireiro e outros jogos relacionados com atividades do mesmo tipo. Os brinquedos na secção azul são legos, helicópteros para pilotar à distância, carros, motos e vários jogos de estratégia ou aventura.

A sério que em 2017 ainda se pensa que as crianças devem ter interesses diferentes baseados no conceito de género do século passado?!

IMG_9944.JPG

Recentemente numa conversa entre amigos dei-me conta de que no fundo, muitos dos homens que me rodeiam são um bocadinho machistas. Ainda que tenham um diploma, uma mente aberta, tenham viajado, sejam progressistas e aparentem respeito e consideração pelas mulheres; poucos conseguem anular a ideia de supremacia que lhes foi incutida desde sempre.

Por exemplo, quando questionados sobre o conteúdo das mensagens nos seus grupos de whatsapp, a maior parte dos homens confirma que muitas são de teor sexual e algumas bastante misóginas. Mensagens onde a mulher é constantemente exposta como objeto, imagens de rabos e mamas enviadas sem critério, apenas para “alegrar as vistas”. Assim são as mensagens do grupo do futebol, do grupo da universidade, do grupo do trabalho; em todos os grupos onde só há homens inevitavelmente circulam mensagens sobre mulheres.

Os homens alegam que as mensagens são inofensivas, que eles recebem mas não reenviam, que às vezes nem vêem. Mas nenhum é capaz de confrontar os amigos e dizer que não concorda; perguntar se gostariam que naquelas imagens estivesse a irmã, a sobrinha ou a filha. Os homens calam-se quando estão em grupo, perante o seu semelhante; porque no fundo são exatamente isso, semelhantes.

Não posso deixar de sentir uma profunda desilusão ao constatar que no fundo os “nossos” homens continuam a alimentar a objetificação sexual da mulher. E sei que não estão sozinhos, que na verdade fazem parte de uma sociedade que privilegia o masculino e que aceita e defende comportamentos androcêntricos.

Eu sou mulher e eternamente feminista, nem poderia ser de outra forma. Sinceramente não percebo o porquê de não sermos todos feministas, o feminismo não subjuga ou discrimina os homens; o feminismo apenas defende as mulheres. Defende uma igualdade justa e legítima entre homens e mulheres.

O feminismo não é contra os homens, é apenas a favor das mulheres.

.


Daniela Monteiro Torres

Apaixonada por viagens, acredita que: "O valor das coisas não está no tempo que elas duram, mas na intensidade com que acontecem. Por isso existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis." Fernando Pessoa.
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/sociedade// @obvious, @obvioushp //Daniela Monteiro Torres
Site Meter